21/02/2010

Psicologia e Psicologias - Quando o ponto de vista é fatídico

Adriana Tanese Nogueira


Toda psicologia serve para alguma coisa. Mas nem toda psicologia resolve. A psique é feita de camadas. Há um famoso sonho de Jung falando disso (em Memórias, Sonhos e Reflexões). Ele está numa casa e vai descendo os andares e nisso descobre que cada um é um específico ambiente histórico, cada um com seus móveis da época; até chegar a restos arqueológicos.


A verdade surge em camadas também. Se usarmos a fisica como exemplo, podemos dizer que a física newtoniana é correta e a quântica também. Cada uma delas se aplica a uma “camada” da realidade, a newtoniana para os objetos maiores, a quântica para os infinitesimais (e muito mais). O mesmo vale para a filosofia e outras compreensões da realidade que não vou aprofundar agora para não me delongar.


Falando em psicologia, eu que não sou freudiana, quando analiso sonhos percebo que alguns conceitos de Freud cabem à perfeição, ou melhor eu os vejo atuarem debaixo dos meus olhos! Nem por isso viro freudiana. Nem por isso tenho invalidado Jung, Montefoschi ou Hillman. A verdade vem aos pedaços, sendo o único problema a tendência totalitária do pensamento humano (a que forma igrejas, corporações e escolas) que visa contrabandear um pedaço pela totalidade…

Como escolher o “pedaço” melhor? A melhor psicologia é aquela que permite chegar mais
fundo, ver mais longe, e entender com mais clareza. É aquela que proporciona mais “clicks” mentais, um maior despertar.


Assim como em todos os âmbitos do conhecimento humano, o mais notável é aquele que consegue explicar mais coisas, cujos princípios são mais amplos e mais apurados, ou seja, mais universais. A melhor psicologia tem como pano de fundo uma concepção da humanidade que permite uma maior gama de ações e possui um alto teor de fertilização.


É importante observar qual é a visão de ser humano sadio que as diversas linhas psicológicas têm. É sabido que Freud, por exemplo é fruto da época vitoriana, ele é judeu e sofreu com isso, tem uma história familiar marcante (como todos) e muito mais. Freud é um sujeito com sua história e contexto, cuja produção intelectual é o brilhante resultado de todos os elementos involvidos.


Ao escolher uma linha psicológica, uma pessoa alinha-se também com o pano de fundo que deu origem à tal psicologia, que ela saiba ou não. Esses fundos são como palcos, cada um com sua história. Saber delas é importante porque disso depende muitas vezes o avançar ou o estancamento da situação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário