04/06/2010

Chantagem contra os homens: as (quase) imbatíveis armas femininas

Adriana Tanese Nogueira


Os homens que querem ser bons deparam-se com algumas artimanhas femininas nas quais, na maioria das vezes, caem como patos gordos prontos para o assado de Natal.          Não acredito que esses homens sejam particularmente estúpidos, não mais, pelo menos, dos durões que usam da violência para resolver suas relações. Se aperceber de estar sendo enrolado por certos truques é objetivamente difícil, e mesmo quando eles se tornam evidentes, sair deles implica responsabilizar-se e aguentar catástrofes emocionais de grandes proporções. Pois é aí que as mulheres atacam.
          Além da famosa gravidez “inesperada”, fazer escândalos é uma das favoritas formas femininas para segurar um homem. Mulheres se jogam no chão, berram, choram, arrancam os cabelos, correm atrás, imploram, conversam e reconversam. Mulheres vítimas e sofredoras.
          O homem que quer ser bom, o que pode fazer? O homem que não quer ser identificado com o aggressivo e injusto, o homem de espírito cavalheiro que não aceita tomar o caminho da violência, o que pode fazer?
          Geralmente, na ausência de uma alternativa melhor, ele simplesmente aguenta, se cala e suporta. Se o homem mau é aquele que se aproveita das mulheres, o bom, só pode ser quem assume o fardo de sua responsabilidade masculina: cuidar das mulheres, no caso da própria. Ele então, com toda a seriedade, joga nos ombros sua cruz e enfrenta o inarredável destino. Destino uma ova.
          Mulheres infantis e aproveitadoras ganham assim seu espaço na base do senso de culpa inculcado na alma ingênua de seus companheiros. É fácil de reconhecer um casal assim porque ele e ela não são parecidos em suas necessidades reais. Visto de fora, uma pessoa legitimamente se pergunta o que é que estão fazendo juntos.
          Quando disponível, entra em cena outra chantagem feminina: os filhos. Em nome deles muitos pais não se separam e mantêm um casamento de fachada (como se isso fosse saudável para os filhos), cortam uma relação significativa que poderia ameaçar seu casamento, e se afundam sempre mais na dependência recíproca com a mãe de seus filhos. Ela precisa deles, eles precisam delas para não se sentir maus se as deixarem.
          Com o passar to tempo, homens que queriam ser bons perdem seu horizonte, misturam-se sempre mais com a personalidade de sua esposa, passam a ser cúmplices, perdem a capacidade de dizer a verdade. Enfim, para sobreviver, buscam um nicho confortável, se acomodam. Ajeitam-se naquela mesma vidinha que se estivessem sóbrios, sem o narcótico afetivo, não aceitariam jamais.

10 comentários:

  1. Nooooossa!espetacular! parabéns

    ResponderExcluir
  2. como sair das tramas dessa manipulação?

    ResponderExcluir
  3. Excelente texto...!Sempre que vejo textos sobre violência psicológica doméstica, me deparo apenas com textos feministas ou exemplos apenas contra homens. Sendo esse tipo de violência, ambígua. Parabéns Adriana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simplistas, eu sei. O feminismo conquistou muita coisa em âmbito social, e ainda tem muitas para conquistar. Mas não se pode esquecer que além do social há a psicologia...

      Excluir
  4. É verdade que existe esse tipo de manipulação com chantagens,dramas,ameaças de suicídio, existem dois lados sendo que no caso do narcisista opressor das vítimas psicológica e física o homem usa de autoridade o tempo todo e culpa a mulher de ser sempre a responsável até mesmo pelos erros dele,o agressor ele faz pressão psicológica e a vítima sempre é acusada de errar e é castigada com agressões verbais e físicas muitas vzs,o homem sempre diminui a vítima a fazendo acreditar que ninguém quer estar com ela ,ele afasta a mulher do convívio de amigos e familiares,decide tudo sobre a vida e vítima que fica sem identidade e vive da forma como opressor a manipula ...Leia mais sobre gaslight existe até um filme onde o homem faz a mulher achar que está louca,ele inventa coisas que a vítima não falou a ponto da própria vítima ficarnem dúvida,acontece em todas as famílias,existem mãe e pai narcisista e existem os maridos opressores dos filhos ,da mulher,ele age concientimente mas não tem nenhum tipo de arrependimento eles apenas sugam suas vítimas que é o que fortalecem eles.por isso será comum ver um opressor narcisista gaslight se defendendo por trás de uma matéria que não tem nada a ver com esse assunto.parabéns pela matéria esse assunto é verifico porém o opressor não dá chance para que a vítima faça chantagem ou drama por esta sempre sendo castigada é como se ele infantilizasse a vítima ,se agir errado da forma que ele não quer será castigada verbalmente e fisicamente e ele nunca assumirá papel de culpado ou pedirá desculpas...ELE É O CERTO!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo verdade. Primeiro: proteger a vítima fisicamente. Segundo: levar a sério sua dor. Terceiro: ouvi-la! Quarto: ir mais fundo. O que eu faço, o meu trabalho começa no terceiro ponto. Não exclui que os homens massacram as mulheres fisica e psicologicamente e por isso devem ser punidos. Mas como trabalho com psicologia profunda, posso ver outros fios, mais sutis, que agem na psique masculina manobrados por aquela feminina. Cada um com suas armas. Combato e desmascaro toda forma de opressão e manipulação: TODA.

      Excluir