10/02/2015

PAIS E MÃES PÉSSIMOS


Convenhamos: há pais e mães ruins. Ninguém gostaria de tê-los, pouquíssimos adimitem tê-los, mas é a realidade. O fato de gerar uma criatura não nos torna automaticamente pessoas melhores. É preciso lembrar que pais e mães são pessoas, exatamente como seu vizinho, seu colega de trabalho e seu inimigo. Pessoas.

É do ser humano a tendência a evoluir, a individuar-se e conscientizar-se. Mas é também do humano uma certa “preguiça” para encarar todo esse “trabalho”. Evoluir custa esforço, significa às vezes quebrar a cara, questionar-se, arriscar-se, sentir-se inseguro... É das pessoas menos conscientes evitarem o “desconforto” que o auto-conhecimento gera e fugir do “exame de consciência” indispensável para evoluir. Além disso e infelizmente, é também das pessoas se aproveitarem dos lugares de poder de que gozam: quanto menos são vistas mais o ladinho malandro, egoísta e mesquinho predomina. Menos consciência = mais malandragem, é uma regra infalível.

É fácil encantar-se com um bebê. Ele é pequeno e fofo, e sorri como um anjo. Mas ele também berra e dá muito trabalho. Uma mãe pode se apaixonar pelo bebê-boneca e encontrar nisso uma fonte de sentido para a vida, pelo menos momentaneamente. Entre os homens, muitos são ainda os que não conseguem se vincular a uma criança tão pequena e sentem, inclusive, ciúmes da atenção que ela exige da mãe. 

Então,a fase bebê passa e essas crianças revelam-se pessoas, novas pessoas com as quais é preciso aprender a lidar. Como todas as relações, esta também demanda dedicação, atenção, tempo, disponibilidade e questionamento. Por isso, quantas vezes não é mais fácil mandar calar a boca? Dar um brinquedo? Ignorar? Manipular a conversa, inventar desculpas, desconversar? 

Não existem pais e mães perfeitos, mas existem pais e mães ruins. São aquelas pessoas que não são capazes ou não querem se abrir, se envolver, se dedicar. Não sabem amar. São pessoas que se perderam em seus próprios labirintos e não tiveram a capacidade de olhar para o outro, seu filho.

Sabem de uma coisa? Paciência. Já era, já passou. Tem como superar isso, uma boa terapia resolve. É preciso libertar-se da mística da maternidade e da paternidade. Há pessoas na vida que nos fazem melhor do que nossos próprios pais. E amém.

Ao invés disso, há mães e pais que inventam mil e uma artimanha para esconder a falha escancarada do outro genitor e “proteger” os filhos da verdade. Para quê? Quem ganha com isso? Sinceramente, quantas pessoas cada um conhece que passa décadas tentando se libertar de algum trauma ou complexo relacionado ao pai ou à mãe? 

Vivemos no sentimentalismo mítico e totalmente inverídico do pai e da mãe como se fossem o Papai e a Mamãe do Céu: perfeitos, bonzinhos e generosos. Mentira. Se é verdade que pai e mãe representam algo maiores do que eles (os arquétipos do Pai e da Mãe presentes na psique e que têm importante funções), logo temos mais uma razão para não tentar identificar à força um ideal com a pessoa concreta: desta forma, fechamos o caminho para encontrar os modelos interiores positivos. O resultado é que as relações pais-filhos muitas vezes são as mais neuróticas e doloridas que uma pessoa tem na vida, e acabam sendo reproduzidas no seio de sua própria família. Novamente escondendo e escondendo-se da verdade.

Qualquer animal pode ser pai e mãe, é do corpo, não precisa de intenção nem de consciência. Outra coisa, e muito mais complicada, é ser mãe e pai de verdade, adultos responsáveis. Para isso é preciso ter a matéria prima: pessoas dispostas a crescer, se trabalhar e mudar. Pessoas disponíveis à consciência.


Adriana Tanese Nogueira, Psicanalista, filósofa, autora, educadora perinatal, fundadora da ONG Amigas do Parto. adrianatnogueira@uol.com.br

48 comentários:

  1. Gostei do texto e me fez pensar no modelo de maternidade que eu decidi (des)construir. Quando engravidei, muito nova, e percebi que eu não tinha a menor ideia do que tava fazendo, me veio o pensamento: o que eu faria se fosse o filho de outra pessoa? Se eu fosse tutora ,e não mãe? Se eu tivesse que prestar contas depois (e tenho, internamente)? Esse distanciamento momentâneo das minhas emoções tumultuadas me ajudou a manter o foco e a agir com mais segurança em algumas horas difíceis. Claro que nem sempre funciona. :) Mas percebi que eu podia sim encontrar respostas se praticasse ser mais eu mesma e menos as influências externas.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, Ju, é por aí mesmo. Esse pensamento "Se eu tivesse que prestar contas depois" é muito útil porque lança-nos para além do momento e chama-nos para a responsabilidade. E a verdade é que o que se faz agora vai ter repercussões. Filhos são para sempre. Você teve uma centelha de saudável consciência te guiando:-)

    ResponderExcluir
  3. Eu infelizmente, faço parte do grupo de pessoas que tem mãe ruim. A minha mãe me azucrina, é sádica, gosta de me ridicularizar frente as outras pessoas, não se importa com meus sentimentos, nao me respeita. A pior coisa do mundo é vc ter que conviver com uma pessoa como essa, porque precisa dela pra sobreviver. Eu infelizmente ainda nao arrumei meu emprego, mas assim que arrumar a primeira coisa que irei fazer é morar sozinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me encontro na mesma situação que você, mas a minha cria situações que me deixe dependente dela, faz de tudo e mais um pouco para que eu dependa dela. Ela faz isso pq depende de mim emocionalmente, ela me trata como mãe dela como se fosse minha a obrigação de cuidar dela. Só me consulta quando é de interesse dela, nesse caso minha opinião importa fora isso minha opinião é sempre errada. Estou muito cansada e exausta com isso... Um dos piores desejos é querer ser livre da própria mãe. Queria que ela agisse como uma pessoa normal mas ela não o faz e finge que não me escuta pois é mais confortável p ela continuar da maneira que está e com isso me arrasta junto. Não aguento mais

      Excluir
    2. Sem querer ser repetitiva, porque já escrevi isso aqui várias vezes, mas GARANTO que com uma BOA terapia e com tempo SUFICIENTE você RESOLVE seu problema.

      Excluir
    3. Concordo plenamente com você

      Excluir
    4. Minha linda, eu passei por um momento muito dificil com a minha mãe. Ela faz tudo isso que vc disse e mais um pouco, só que agora é diferente, no momento que mais precisei dela ela me mandou embora com uma bebê recen nascida e eu tinha acabado de fazer um parto cesariana e olha que eu pagava 800,00 de aluguel pra morar com meu marido e filha na casa dela, brigou com todo mundo, comigo com meu marido com ciumes da minha sogra, fez de tudo pra me destruir e destruir minha familia até acusando meu marido de pedofilia..... Ela me ensinou o modelo de mãe que eu não quero ser e espero que Deus me dê muita força pra perdoar. Mas com isso tudo tenho em mente mais do que nunca que a FELICIDADE DA MINHA FILHA E O BEM ESTAR DELA É O QUE MAIS ME IMPORTA. Arrume seu emprego e crie mesmo sua independência pois vc imagina se eu não tivesse isso seria bem mais dificil.

      Excluir
  4. Um otimo texto que vale muito a pena ler. Eu tenho 24 anos, sou casada e ainda " sofro " com as atitudes infantis da minha mãe. Achava que era so implicância minha, mais meus irmãos tem o mesmo pensamento que o meu. Ela só pensa nela, nela e nela mesmo. Eu nao falo com o namorado dela e por esse motivo, ela nao fala comigo. Incirvel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é :-) Cada um é o que é, como ou sem filhos. Seja vc mãe de si mesma. Se cuide e se torna aquilo para o qual não teve modelos.

      Excluir
  5. Adriana, o que você pensa sobre pais/mães que beijam seus filhos na boca? Eu sou contra essa prática, pois acho que isso confunde a cabeça da criança. Eu quando criança, meu pai chegava em casa, dava um beijo na boca de minha mãe e outro na minha. Passei por muitos conflitos, tendo sonhos eróticos com meu pai, e credito isso, em parte, a esse comportamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não gosto. Acho uma invasão do amor erótico no amor parental. É como se o amor de pais transbordasse em amor erótico. Seu caso, já dá uma resposta à sua pergunta. Beijar na boca não é o melhor para a criança. Talvez possa satisfazer o pai e a mãe, mas a criança....

      Excluir
  6. Adriana, e o que dizer de um pai abusador e uma mãe passiva? Meu pai abusou sexualmente de mim quando pequena, e minha mãe viu tudo e ficou calada. Estou prestes a me casar e formar uma família. Como me desvincular disso?

    ResponderExcluir
  7. Oi sou joão damasceno e infelizmente minha mãe e ruim pakas ela e dos q quer me ajuda e presisa da minha ajuda pra isso e fica fazendo o sinismo e chantajem emocional tipo ela so sabe cobra e meu pai me juga como se ela n meresese e insurportavel eu ela brigamos muinto ela dis q me ama mas n demonstra so sabe cobra e me acusa ningem merese

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faça uma boa terapia e leia bons livros para superar essa situação. Se não sua mãe sempre ficará dentro de vc, mesmo quando não estiver com ela fisicamente.

      Excluir
  8. Passo isso na pele, mas tomei uma decisão, fiz da minha parte a vida inteira para viver de boa com a minha mãe, mas ela não quiz. Então prefiro seguir a minha vida e deixá-la de lado. Que Deus tome conta dela e ela que cuide de si sozinha. Assim estou em paz de verdade.

    ResponderExcluir
  9. Muito Bom esse texto! Gostei muito! Profundas verdades.

    ResponderExcluir
  10. Meu namorado tem uma mãe assim. Eles brigam demais, não se entendem... Ela pega demais no pé dele e ele por sua vez já não tem paciência e as vezes a trata com grosseria. Em uma relação assim, é comum o mesmo comportamento se repetir no casamento? Isso é algo que me assombra um pouco. No futuro ficar no lugar da mãe em brigas sem fim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É possível sim. Vcs devem ser jovens e as coisas estão ainda "confusas". Mas quando tiverem filhos e mais responsabilidades pode acontecer sim. Não se erradica uma mãe do peito sem uma boa e longa terapia.

      Excluir
  11. Isso esta acabando com meu relacionamento. Ele é ótimo comigo, mas sempre fica pairando esse medo que tenho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tente introduzir reflexões sobre a relação dele com a mãe.

      Excluir
  12. Se eu tivesse lindo ante sobre mães ruins, eu teria deixado a minha há muito tempo, fiquei fazendo de tudo na esperança de ela mudaria, só via a mudança dela para pior. Ela é simplesmente insuportável , só pensa nela,passei toda minha infância, adolescência ela alegando o quase nada que fez pelos filhos, nunca tive um exemplo que pudesse me ajudar na vida, até hoje é assim, nunca está satisfeita, nada agrada, só reclama, é caso perdido, só agora entendo que é da própria natureza dela ruim. Só que deixa marcas profundas na gente, magoas, tristeza, se eu pudesse nem chegaria mais perto dela, tem 85 anos, mas a maldade continua perfeita.Como pode uma pessoa ser tão maquiavélica?.

    ResponderExcluir
  13. Oi, acabei de ler seu texto e me identifiquei muito (como filha). Poderia fazer um parecido, porém com um diferencial: mães e família, em geral adotivas? Bjs...

    ResponderExcluir
  14. Excelente texto. Meus pais não foram lá grandes exemplos na minha vida (o que não quer dizer que eu não tenha gratidão por tudo o que eles me fizeram e pelo que sou). Mas Imaginem vcs em um processo de divórcio e sua mãe a seu desfavor em nome de uma estranha amizade com sua ex-esposa( no caso das mulheres, marido)?... inclusive, tenho de usar um pseudônimo para dizer isso, pois essa mesma mãe me provocou ao extremo de eu ter uma discussão violenta com ela para que eu fosse expulso de casa pela justiça, e, por isso, fosse inviável ter a guarda compartilhada do meu filho. É, me identifico bastante com esse texto de pais e mães ruins. A vida já não é fácil, cheia de armadilhas e desventuras. Imagina com sua mãe como inimiga. É uma maldição.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acontece de ter a mãe como inimiga. Atendi um caso muito difícil com essa característica. A resposta estava numa vida passada.

      Excluir
  15. Gostaria de saber como lidar com uma mãe que depende de mim emocionalmente, que não me permite crescer na vida e ser independente. Faz de tudo para atrapalhar quando oportunidades aparecem

    ResponderExcluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Antes de entender o porquê minha mãe era tão agressiva comigo eu revidava aos ataques, era uma forma de defesa, ela gritava comigo por nada e eu respondia a altura. Na frente dos outros ela sabia muito bem me irritar, porém, ficava quietinha e eu não me segurava e respondia as provocações e para os outros ela realmente tinha razão...eu era uma pessoa mal educada. Só depois eu passei a conhecê-la de verdade, passei a não responder as agressões, enfim... aprendi a me controlar e a partir daí algumas verdades foram aparecendo, já encontrei mensagens no celular dela falando mal de mim para pessoas da família dela, ela se diz muito católica e alguns padres já me contaram coisas que ela fala sobre mim. Eu tinha 21 anos e nunca tinha levado namorado em casa e por isso ela me chamava de "sapatão" as poucas vezes que saía para festas quando eu chegava e ela fazia barraco e me chama de "biscate" e inventava coisas horríveis de mim para a família. Passava dias sem conversar comigo. Depois que conheci meu namorado (hoje meu noivo e em pouco menos de 2 meses meu futuro esposo) ela passou a me respeitar, ela até tentou denegrir minha imagem para meu noivo mas...não deu certo. Ele me fala que desde o primeiro dia que a viu percebeu o jeito dela e que ela sentia uma certa "inveja" de mim. No início do namoro, que eu comecei a viajar com ele e passar finais de semana na casa dele já que ele mora em outra cidade ela me mandou ir embora de casa e saiu contando pra um monte de gente que eu havia "ajuntado" com o namorado. Ele um homem de muita educação conversou com ela durantes horas e ela chorou dizendo que não entendia o porque eu fazia ela sofrer. A partir daí ela não mais me ofendeu diretamente como fazia em outros tempos, mas sei que para outras pessoas ela fala mal de mim porque eles me contam. Deus me deu um noivo que me entende é meu amigo, sabe a mãe que tenho e compreende a situação, pois não é fácil explicar para os outros certas coisas, uma vez que para muitos o simples fato de você não se entender com a mãe você já está errada e ela sempre certa....porque mãe é mãe. aff

    ResponderExcluir
  18. Adriana,

    Belo texto. Mas que livros você indica?
    E o que quis dizer com "a resposta estava numa vida passada"?

    Aonde posso me informar e conhecer mais sobre isso?

    Abraço.

    ResponderExcluir
  19. Ola Adriana, gostei imenso do seu texto uma vez que que tenho uma relação com a minha mae super complicada. Não quero prolongar demais mas so pra resumir, ta vendo aquela mae que tenta manchar a imsagem da filha perante os outros porque sabe que todo mundo me adora? aquela mae que criou uma filha do meu pai e com a mesma fica falando mal a meu respeito? aquela mae que esta a espera de uma pergunta dirigiga a mim (seja de quem for) ela vai responder d forma distorcida como se estivessem perguntando a ela? aquela mae que não ve gratidão em nada que a filha ofereça seja la por qual motivo? aquela mae que valoriza uma filha e tenta dimunuir a outra? aquela mae que ve a filha como uma adversaria e por isso compete com ela? aquela mae que fica criticando tudo,inclusie o próprio corpo da filha, dizendo que tem corpo feio, um bumbum que ela não gosta, coisas mesquinhas do género com intenção de fazer a filha se sentir mal? aquela mae que quer distruir a auto estima da filha? aquela mae que tenta arrancar da filha os seus sonhos com comentários desagradáveis seja com quem for, suscita conversas de fórum negativo so pra ter que falar da filha, bom... tentei não prolongar, mas infelizmente esta é a mulher que eu chamo de MAE.
    Hpje tenho 22 anos e muitas das coisas eu simplesmente ignoro porque aprendi a ter controlo mental e não deixar que ninguém muito menos ela consigam tirar o meu sossego emocional nem a minha paz interior, mas convenhamos, já sofri muito, hoje apenas olho pra ela e peço a Deus que ilumine esse coracao vazio e obscuro que ela tem, sempre detestei falar do assunto porque me dava vontade de dar uns tapas na boca quando ouvia : mae é mae.. EXISTE MAES SIM, EXISTEM OUTRAS QUE NAO CRESCERAM O SUFICIENTE E NAO SABEM O QUE É SER UMA MAE.
    Ainda vivc com ela mas graças a Deus é o ultimo ano porque vou estudar para UK. Assim não terei que olhar pra cara dela todos os dias,( quero muito lhe por de lado, não a elimino por completo porque foi a mae que Deus me deu, e isso eu não posso mudar.
    Mas quero deixar aqui um conselho: por mais duro que seja SE AFASTE e saiba lidar com ela de uma maneira indiferente para o que ela diz e sim, mostrando amor e respeito,algo que ela não conhece.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ham , deixo aqui uma pergunta.
      QUE SENTIMENTO É ESSE QUE ELA TEM? INVEJA? ela poe ate a minha beleza em causa dizendo que minha irmã mais nova é mais linda que eu, não que ofenda sinceramente , porque criei em mim uma defesa excessiva pra aprender a ouvir o que ela dizia sem me magoar, mas nao acho isso normal, ru sinto que ela deixou de ver me como sua filha há bastante tempo.. nao entendo.
      se usar um batom rosa hoje e muita gente me elogiar, ela vai tirar o batom da minha bolsa e usar também, QUE NOME TEM ESSE COMPORTAMENTO? é normal essa imitação? cortei meu cabelo ela cortou o dela também, meu cabelo esta a crescer o dela nao, fica chamando nomes horríveis ao meu cabelo, isso o que é?
      NAO ENTENDO..

      Excluir
    2. Realidade bem complicada, Janaína. Um dia vale você entender profundamento isso, pois afinal te cabe responder à pergunta: por que você nasceu dela?

      Excluir
  20. Oi, preciso de ajuda. Já estou cansada dos meus pais, a situação aqui já esta difícil. Meus pais tem aquele pensamento que, se você espancar uma criança, ela aprende a respeitar as pessoas. Eu me sinto humilhada, sempre quando tem uma discussão nossa eles nunca me deixam falar, eu sempre perco a minha paciencia e tenho que gritar porque eu fico muito nervosa, algumas vezes fico com falta de ar e minha mãe diz que eu sou uma ótima atriz e que vai me colocar no teatro. Mas isso não é encenação eu realmente to machucada por dentro e eles simplesmente ignoram isso, se eu tento conversar de boa, eles começam a se irritar e ai por consequência eu acabo perdendo a paciência também. Muitas vezes eles me bateram, mas não foi uma simples palmada, foram puxões de cabelos, tapas de cinto e de chinelo (esse ano mesmo meu pai deixou uma marca gigante no meu ombro), tapas na cara...É doloroso para mim, eles falam que eu vou querer bater e matar eles, mas eu não quero fazer isso, eu to rezando pra poder ficar maior de idade e ir embora da casa deles, as vezes eu acho que eles é quem querem me matar. Quando eu falo que to com um problema eles nunca querem ouvir, ou se ouvem agem como se eu fosse uma retardada, eu odeio isso. Eu não queria magoar eles, mas eles fazem questão de me deixar magoada e depois falam que eu só faço eles sofrerem, mas sou eu que estou sofrendo. Eles são bons, me dão as coisas, são até mais legais que alguns pais, mas quando eles me dão as coisas, sempre vem jogando na minha cara depois, falando que eu sou ruim, que eu sou mal-educada e me batem. Já cogitei ligar no conselho tutelar, mas eles ficam gritando comigo. Até quando liguei lá minha mãe começou a gritar enquanto eu falava no telefone. Já pensei em cometer suicídio porque eu to muito magoada. Quando minha mãe descobriu que eu me cortava, ela me bateu e me xingou, falou que era pra mim chamar a atenção, mas sinceramente eu em sei porque fiz isso, foi no impulso, quando vi já estava fazendo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fortune Cat, muito triste sua situação. Preocupante. Entre em contato comigo: atnhumanize@gmail.com Vou ver como posso ajudá-la.

      Excluir
  21. Poha, minha mãe e um verdadeiro demonio,fala que devia ter me abortado que prefere meu irmão, e tals, mas a desgraçada sempre precisa de mim,fala que é uma boa msemana, MAS NÃO É, me humilha fala coisas que até me machucaria, mas respondo na mesma altura e no final ela que chora, ela tem a manua de bater na cara dos outros,eu já falei que não aceito ela bater na minha cara, inclusive ela já bateu 2x e as duas vezes eu revidei, ou seja nunca foi uma mãe para mim, sempre me tratou mau, e inclusive nunca falou quem é meu pai...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito triste, Keevenny... Cuide de vc, seja mãe para vc mesma.

      Excluir
  22. Olá pessoal, tenho 33 anos e desde muito cedo me lembro de minha mãe interferindo negativamente em meus planos de vida e objetivos. Quando eu ainda estudava eu sempre queria participar de programas de desenvolvimento humano como cursos, concursos de escolas etc, mas ela nunca deixava e me reprimia dizendo que não assinaria as autorizações. Quando adolecênte eu decidi ir em frente sozinho em meus objetivos mas mesmo assim ela corria na frente e atrapalhava e chegou a me tirar da escola pois trabalhava de noite e me colocava para ficar com meus irmãos. Eu, já muito decepcionado começei a beber e usar drogas pois era o que tinha para mim no convívio onde eu morava. Virei um adulto frustrado e atrasado, com pensamentos de angustia e suicídio pois eu não aceitava a pessoa horrível que eu teria virado, tive vários transtornos emocionais e hoje me dei conta de que realmente ela sempre foi um impesilio em minha vida, e ela por sua vez vive me xingando de drogado e bêbado dizendo que eu sou uma pessoa que não deu certo na vida sendo que ela teve participação para isso acontecer. Hoje já fiz tratamentos contra o álcool e drogas e estou limpo, voltei a estudar e retomei meus sonhos que não posso compartilhar com ela pois ela diz que não é do interesse dela. Estes dias estava tendo um pré-vestibulinho para fazer um curso técnico integrado ao ensino médio, eu me inscrevi e muito feliz fui contar para ela que imediatamente me disse que era para eu ter feito isso quando ainda jovem e que eu já tenho 33 anos e que até eu me formar ninguém me pegaria para trabalhar pois estaria velho. Não desanimei mas também não conclui o desejado pois me faltou 30 reais para eu pagar o boleto da inscrição. Retomei o ânimo e percebo que vivo como se eu continuasse a vida deixada para trás dos meus 16 anos e isso me abriu os olhos de que eu devo trabalhar no desapego materno para continuar. Estou num novo ânimo, terminarei o ensino médio e farei um curso técnico de Nutrição e dietética e depois uma faculdade ou duas ou três se Deus quiser. Tenho vários dotes que as pessoas sempre notaram e que minha mãe nunca fez questão de elogiar ou desenvolver quando eu ainda era criança, mas nada melhor do que nós mesmos nos enxergarmos e percebermos quem realmente somos e não o que as pessoas tentam nos tornarem. Obrigado a todos que leram meu desabafo. Um forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns pelos sucessos! Continue assim, não desanime, se proteja de todos os que podem obstacular seu desenvolvimento, independentemente se se chamam "mãe" ou "amigo". Qualquer pessoa que atrapalha precisa ser deixada de lado. Quando vc for forte o suficiente para não se deixar abatar então poderá se relacionar com quem importa para vc mesmo correndo riscos. Evidentemente, há um problema sério entre sua mãe e vc. Desejo que um dia descubra qual é porque irá ajudá-lo muito na descoberta de quem vc é e de seu sentido de vida. Cuide de vc com todo o amor e confiança que teria que ter recebido de uma mãe amorosa. Vá em frente!

      Excluir
  23. Excelente texto.Sou filha adotiva de um casal que me rejeita, ignora e faz da minha vida um inferno.Desde pequena sempre tive que aceitar as escolhas impostas se não agia conforme eles queriam era chamada de idiota, preguiçosa etc... Me mandavam embora da casa deles, falavam que minha adoção foi um erro, que iriam me devolver.E hoje com 21 anos me encontro desempregada e dependente deles financeiramente não tenho um minuto de paz meu pai é ignorante ao ponto de me bater se eu quebrar um copo, e minha mãe não me escuta, e uma pessoa controladora e gosta de causar confusão. Ela me irrita ao ponto de nós brigarmos e ela sair como vítima, ela também gosta de falar mal de mim para os outros.Sinto um imenso vazio na minha alma primeiro a rejeição dos meus pais biológicos e também dos adotivos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seríssima situação, um inferno. Sinto muito por você. Precisa fazer uma terapia o quanto antes para sair disso tudo e construir uma vida boa para você. Saia dessa dependência deles, não vai levar a lugar nenhum.

      Excluir
  24. tenho esquizofrenia e bipolaridade,minha mae sempre me trata mal,quando passo mal com pressao alta e crises de angustia causada pelo que ela me diz,ela gria e diz para eu parar com issso,era pra ela me ajudar com a doença mas ela me deixa mais doente ainda

    ResponderExcluir