24/08/2015

PESSOAS DE SORTE

Adriana Tanese Nogueira

Por que algumas pessoas parecem ter sorte e outras não? Por que há pessoas que encontram oportunidades que outras não têm? E, em contra partida, há o grupo extenso dos que olham invejando, lamentando sua falta de sorte e se entristecendo ainda mais...

Na verdade, ter sorte não é uma questão de sorte. É uma questão de fazer acontecer. Como? “Se ajuda que Deus ajuda.” Não se diz assim? Observem a cronologia da frase: você primeiro se ajuda e aí, então, Deus ajuda.

Ah, mais eu faço tudo o que tenho que fazer, eu trabalho feito um cão, eu persevero, eu tenho paciência, eu sou bonzinho, eu tentei tantas vezes....

O que parece porém nem sempre é. Como escrevi em outros artigos, às vezes, se fz um monte de coisas mas não justamente aquela única coisa que precisamos fazer e isso porque temos medo das consequências. Fazer mil e uma coisa mas evitar aquela que é realmente importante para... Para que? Para seu desenvolvimento e crescimento como pessoa. Sim, porque esta é uma necessidade da sua alma, se você não atendê-la o universo não irá cooperar com você.

Ter paciência...? Será que é sempre bom? Às vezes a tolerância é o pior dos pecados. Têm coisas com as quais não se deve ter paciência ou ser bons. Manter esse comportamento poderia ser uma super sabotagem contra sua alma.

Ah... e como saber o que a minha alma quer? Basta ser um mínimo sinceros consigo próprios. Todos sabemos lá no fundo o que precisamos e o que nos machuca. A sorte só vem quando fazendo limpeza na nossa existência e aguentamos heroicamente as consequências e assim uma brecha se abre para o universo intervir.

Ninguém pode suprir as necessidades de sua alma, somente você. Ninguém pode começar a transformação da sua vida, somente você. Deus não faz por você. O primeiro passo é seu. O risco é seu, cabe a você assumi-lo. Chama-se “salto de fé”. A atitude é sua, a possibilidade de ganhar ou perder, é de ninguém mais: só sua. A sorte intervém (e sempre segundo seu cronograma) após você jogar suas cartas.

Os grandes golpes de sorte nasce de dentro da gente, quanto tomamos a coragem para encarar algo que precisava ser encarado, que estava esperando por nós. O trabalho interior não poupam da responsabilidade e do possível sofrimento mas dão as condições para levar adiante uam vida verdadeiral.

É preciso conseguir tomar atitudes, selecionar prioridades, fazer escolhas e cortar o que precisa ser eliminado: somente assim, podando a vida, permitimos que ela (re)floresça. Modificar a realidade significa alterar o que é conhecido e o conhecido é confortável, certo? Pode ser um vício, uma crença, uma relação, um trabalho. O conhecido, mesmo quando infernal, conforta.

Como dizem os mitos, o herói começa sua jornada sem garantias. Ele é exilado e/ou se exila, passa por muitas atribulações, luta contra seu chamado até que finalmente se dobra à voz da alma. Ao assumir sua jornada solitária e difícil ele encontra ajudantes: a sorte intervém.

Ao grupo extenso dos lamentosos dizemos: levante-se e caminhe! Está na hora de deixar de lado devaneios, enrolações, preguiça, medo e insegurança. A estrela da sorte brilha para os bravos.

A sorte não é um acaso mas uma labuta; o sorriso da fortuna é caro e precisa ser ganhado. Emily Dickinson

2 comentários:

  1. A questão é que fazendo o mesmo método pra uns é difícil e outros vem de graça. Como dinheiro por exemplo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E quantos há que têm dinheiro e não fazem nada de bom com ele? Não basta ter dinheiro para ter sucesso.

      Excluir