01/09/2010

INGENUIDADE


Ingenuidade é o estado de espírito natural da criança, uma condição espontânea do início da vida. Tudo é novo e há de ser descoberto. Pela ingenuidade nos aventuramos, confiamos, testamos e aprendemos. E aqui está o objetivo final: aprender.

Com o passar dos anos, a ingenuidade haveria de dar lugar à sabedoria, que consiste em algumas notas amargas e em outras doces. Acontece porém da ingenuidade cair para fazer espaço à mágua diante da vida e do mundo, produzindo descrença e misantropia. Este é um dos motivos pelo qual há pessoas que se agarram à ingenuidade como forma de preservar sua infância e otimismo com relação à vida. Assim fazendo, porém elas não salvam a “criança interior”, e sim permanecem infantis.

A Criança Interior é o arquétipo da abertura ao novo, da disponibilidade a conhecer e a experimentar. A criança renova-se constantemente, está leve a desperta. Sua simplicidade de espírito lhe permite não ter preconceitos, logo seu potencial é multiplicado por causa da ampliação das oportunidades. O arquétipo da Criança Interior é uma dimensão da psíque que está na raíz das mudanças e atrevimentos que uma pessoa faz ao longo da vida, de sua capacidade em recomeçar, arriscar e acreditar.

Inevitavelmente, ao crescer, a pessoa adquire conhecimento, penas e alegrias. A ingenuidade inicial vai se transformar em maturidade. Cada experiência deveria ser um laboratório alquímico de transformação. Uma pessoa deveria sair de uma vivência fortalecida e ciente do que aprendeu, e aberta diante de outras novas experiências.

Existe, entretanto, uma tendência a manter a ingenuidade, a esticá-la para além do devido. Por que? Por dois motivos, para preservar a doce ilusão de um mundo onde a maldade e as desavenças são afinal das contas em número e intensidade inferior ao “Bem”, que sempre prevalece, e para evitar de tomar uma atitude, que acredito seja o que mais assusta. Quem teme a luta e o confronto prefere a ingenuidade. Quem não se sente capaz de aguentar a vida, também.

A ingenuidade tolhe muita gente inteligente impedindo-a de ser responsável, palavra que significa saber dar respostas condizentes às situações que se apresentam. Acaba-se por ter um juízo distorcido, insistindo na bondade de tal pessoa ou na possibilidade “que as coisas melhorem” quando ao olhar objetivo e realista o passado e o presente já deram indicações suficientes do que está acontecendo e do que é provável que aconteça. Queremos manter acesa a chama da esperança? Tudo bem. Mas por que permitir sermos machucados novamente?

Perder a ingenuidade não corresponde a se tornar pessimista, mas em ganhar a coragem de incluir o negativo na visão que se tem. Incluir o negativo significa atinar para a ambiguidades, a maldade, a mentira, a inconsciência conveniente, a ignorância, a vaidade, a superficialidade, a falsidade. Não são esses aspectos da natureza humana tanto quanto a bondade, generosidade e ética? Não poderiam objetivamente falando estar presentes em todos, incluindo as pessoas com as quais nos relacionamos e até nós mesmos?

Continuar a ser ingenuos após ter visto a realidade, é propositalmente fechar os olhos fingindo positividade. Desta forma, o progredir da vida é impedido e a verdadeira ação da Criança Interior que quer explorar novos horizontes falha.

Adriana Tanese Nogueira, Psicanalista, filósofa, autora, educadora perinatal, fundadora da ONG Amigas do Parto. www.adrianatanesenogueira.org



43 comentários:

  1. Me ajudou muito esse texto, sou ingênua e sempre achei que ver o lado bom das coisas é um ato de maturidade , na verdade não...preciso não esconder o lado ruim das coisas...

    ResponderExcluir
  2. Exatamente, Flávia. Saber enxergar o lado ruim (sem perder o bom) é que nos torna pessoas adultas e maduras.

    ResponderExcluir
  3. "Quem teme a luta e o confronto prefere a ingenuidade. Quem não se sente capaz de aguentar a vida, também."
    Como assim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente ninguem "prefere" a ingenuidade. Nao e' um menu: "Bem, vou escolher este." . Sao as forcas `as vezes obscuras e a combinacao delas pode gerar resultados nunca antes imaginados sequer em ficcao. Nao somos 100% donos de nos mesmos. Em, parte, nos rendemos `a natureza e `as suas forcas.

      Excluir
  4. Oi Fabio, são dois aspectos da mesma moeda. Por um lado há os delicados de espírito que temem se machucar e machucar, agem como se eles não tivessem direito a criar um espaço para si, então permanecem no mundo de Alice... Por outro lado, há os que não enfrentam porque não se sentem capazes, nestes está mais claro (consciente) o que os impede de agir, eles enxergam eventualmente o problema mas não sentem forças internas para enfrentá-lo, e aí voltam para o conforto dos sonhos ingênuos.

    ResponderExcluir
  5. Após muitos falarem, "nossa como vc é ingênua e inocente". Ao ler esse texto, me considerei ingênua, mas sempre achei que isso fosse algo bom...encaro algumas circunstâncias como normais e sem vergonha por não conhecer; no entanto, as pessoas ao redor ficam surpresa por eu não conhecer determinadas coisas da vida jovem e adulta. Será que sou muito ingenua ou as pessoas que são muito malintencionadas...?
    Me considero uma pessoa muito responsável, justa, correta com tudo o que faço. Considero que minha maturidade foi 'precose', pois desde pequena fui uma menina quieta, obediente e responsável demais por ser criança.
    Acredito que as pessoas, por mais ruins que sejam, são passiveis de mudança e que temos que dar uma chance a elas.
    Como poderia melhor essa forma de visão? Com quais atitudes?

    ResponderExcluir
  6. Maria, é impossível responder à sua pergunta sem conhecer sua história e personalidade. Vc mesma, após ler o texto, parece não saber se é ingenua num sentido "bom" ou se as pessoas são malintencionadas. Só olhando de perto as situações, atitudes, crenças, sentimentos e pensamentos para saber ao certo. E esse é o trabalho da psicoterapia, ou seja, o trabalho da educação psicológica e do auto-conhecimento.

    ResponderExcluir
  7. Eu sou uma garota que chamam de ingênua e criei um blog, com uma postagem falando sobre isto e vc me ajudou bastante como fonte de inspiraçao obrigada!Você é muito inteligente

    ResponderExcluir
  8. como fazer para mudar,pois a engenuidade atrapalha muito..enfrentar

    ResponderExcluir
  9. O único jeito é AUTOCONHECIMENTO >> Terapia.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Adriana
    Vc teria indicação de textos, livros e artigos sobre esse tema?
    Obrigado

    ResponderExcluir
  11. Danilo, não saberia dizer. Todas as minhas reflexões nesse blog são o resultado de anos de leituras, experiências de vida e reflexões...

    ResponderExcluir
  12. Olá Adriana, achei seu texto muito assertivo. Sou muito ingênua, apesar de conhecer a personalidade de algumas pessoas, sempre me decepciono se elas não reagem da mesma forma e com a mesma educação que eu. Também tento agradar todo mundo, e fico triste quando vejo que alguém não vai com a minha cara. E o pior é que mesmo sabendo que eu estou certa em alguma situação, quando tenho que defendê-la pra alguém muito agressivo, eu travo. Existe alguma forma de lidar melhor com estes meus problemas? Muito obrigada!

    ResponderExcluir
  13. Vc está percebendo que tem um problema. O problema é que vc não sabe ser assertiva, assumir a tua posição, defendê-la e das aos outros a liberdade de reagirem como quiserem. Vc não é assertiva porque depende da aprovação dos outros. Precisa crescer para além da fase da dependência. Isso se consegue após muitas e muitas experiências de vida. A experiência traz sabedoria, mas requer tempo. A alternativa consiste em vc fazer uma terapia que é um atalho a passar os próximos 20/30 anos fazendo experiências para crescer.

    ResponderExcluir
  14. "depende da aprovação dos outros", poxa, preciso de uma psicologa! :) Isso foi elucidador, aquile tipo de coisa que voce nao percebe sozinho. 20/30 anos!? Parabens de novo(te mandei um email "crise dos 40"), estou começando a enxer gar psicologos como pessoas com habilidades de conselheiros, gostei disto,e me parece melhor se tiverem alguma experiencia/maturidade de vida.

    ResponderExcluir
  15. Obrigada, Mateus! Já respondi a seu email. Eu não sou psicologa, sou psicanalista de formação, psicoterapeuta de vocação, filósofa de formação acadêmica, mestre das religiões, e etc. A questão poré é a mesma: precisa ter conhecimento + experiência de vida, bem digerida e processada para ajudar a outros.
    Abraço

    ResponderExcluir
  16. Adorei o texto. Recomendo à todos as informações sobre o tema!

    ResponderExcluir
  17. Parabéns pelo texto. Ajudou-me muito essas poucas, mas profundas palavras, levaram-me a reflexão sobre a ingenuidade. Cresci um pouco mais com a leitura. Obrigado. Edmilson

    ResponderExcluir
  18. Sem duvida o texto é muito assertivo. Foi a melhor coisa que li hoje.

    ResponderExcluir
  19. Adriana, texto muito rico! Tem alguma bibliografia a indicar sobre o assunto "ingenuidade" ou "criança interior"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernando, nenhuma que me venha em mente agora :-)

      Excluir
  20. Como faço para deixar de ser inocente?
    Minha criação não permitiu agir com má intenção, nem se quer pensar com má intenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cristina, esta é uma boa pergunta. Em outro comentário que deletei sem querer vc diz que "não se encontra nesse mundo". Percebe que você precisa se compreender e compreender melhor o mundo para encontrar formas de saber lidar com ele sem deixar de ser você e sem porém se sentir alienada. Este é o trabalho terapêutico que desenvolvo. Não tenho outra resposta para ti. Abraço.

      Excluir
  21. Olá. No seu texto você afirma:
    "Sua simplicidade de espírito lhe permite não ter preconceitos, logo seu potencial é multiplicado por causa da ampliação das oportunidades."
    Ser preconceituosa é algo que não quero para mim. E também ter o potencial multiplicado não parece ruim. Pagarei um preço, em troca disso, se eu escolher viver na ingenuidade? Será uma ilusão que estarei vivendo?

    ResponderExcluir
  22. texto muito romanceado, gostaria de um texto sobre o mesmo assunto, mas embasado na psicologia.

    ResponderExcluir
  23. Então ser ingênuo é um problema? Tá tudo invertido nesse mundo mesmo... O certo virou errado em muitas coisas... Não é porque a maioria é assim, e hoje ser malicioso é o mais comum, que é a maneira correta de ser minha cara. Abraça essa raridade da ingenuidade, coração puro é a forma mais simples (não a mais fácil) de alcançar a famosa felicidade que todos buscam em conquistas, através de suas malícias. Posso afirmar que ser ingênuo não é ser fraco, longe disso, necessitamos de uma força maior ainda P reconhecer a fraqueza do outro e ter a sabedoria de perdoar. E você diz que viver desconfiando seria ter maturidade? Respeito sua opinião, pois, acredito que ninguém tem a verdade absoluta. Mas se conseguisse viver do lado de cá, Tb respeitaria a minha, ser ingênuo está bem longe de ser fraco. Acredito que verdadeira felicidade esta na paz de espírito que poucos alcançam por perderem justamente a pureza de coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ser ingênuo não quer dizer "pureza de coração".
      Ingenuidade não é o oposto de "malícia".
      "Malícia" é o oposto de "pureza de coração".
      O oposto de "ingenuidade" é "sabedoria".

      Excluir
    2. Sim, ingenuidade não quer dizer pureza de coração mesmo, mas ter pureza de coração sem ser ingênuo é quase uma missão impossível. E ser ingênuo e malicioso seria quase um transtorno de personalidade. Por isso, se vc usar toda a sua "sabedoria", no fim, vai perceber que estamos falando a mesma coisa. Porém, entendo perfeitamente você definir ingenuidade como sendo falta de sabedoria. Porque só sabe exatamente que se trata de uma afirmação sem fundamento, quem é ingênuo. Isso realmente não se explica, se vive!

      Excluir
    3. Concordo com tudo o que disse Vivian! Acho que ser ingênuo é uma GRANDE qualidade, para poucos, e eu já fui chamada por algumas pessoas de "inocente", mas acredito que é o meu jeito tão alegre de ser e alto astral de ver a vida, prefiro confiar no dia de amanhã e conseguir as coisas sem pisar em ninguém!!! Um abraço e viva "nós" os ingênuos! Gisely =)

      Excluir
    4. Curtindo mil vezes o comentário da Vivian!

      Excluir
    5. OU seja, você quer dizer que se a pessoa não for ingênua não pode curtir a vida, ser positiva, alegre, confiante no amanhã??
      Sabem qual é o problema? Falta de um bom dicionário. Ex.: Sinônimos de Ingenuidade
      Ingenuidade é sinônimo de: puerilidade, criancice, simplicidade, infantilidade. Retirado de; http://www.dicio.com.br/ingenuidade/

      Excluir
  24. incrível, esse texto me ajudou bastante...Eu sempre agi de uma forma pensando só em mim,pelo fato de quando eu mais precisava das pessoas elas simplesmente me magoavam de uma forma que eu me deixava levar e as vezes não acreditar nelas novamente e chegou uma hora que me fechei para as pessoas... Desde então comecei a viver em um mundo só meu, minha vida, meu modo de pensar, e não confiava em ninguém, ate em mim mesma... Estava quase se tornando uma pessoa infeliz, com angustia, magoa, rancor, raiva entre outras coisas por guardar as coisas pra mim, muitas vezes eu perdia a coragem de expressar a minha opinião ou de falar os meus sentimentos, hoje já não sou mais assim não penso só apenas nas coisas boas, não confio totalmente nelas, mas confio em mim mesma e tento muito ser eu mesma, ser sincera, verdadeira... Mas o que eu realmente queria saber é como relevar as coisas? ou pensar que tudo vai passar e preciso confiar, valorizar mais as pessoas que convivem comigo ou que conheço e coisas desse tipo... já fui ingenua, mas hoje não sei como devo agir, pois as pessoas mudaram, eu mudei, as coisas e enfim o mundo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É preciso aprender novas formas de sentir os outros para ter uma orientação ao se relacionar com eles. Não há padrões: "são todos ruins", "são todos bons". Cada momento é um momento e deveríamos ser capazes de estarmos presentes a nós mesmos para perceber o que a relação, a realidade está querendo de nós, ou seja a ler as coisas com olhos o mais possível transparentes diante do real atual.

      Excluir
  25. Adriana, você acha que uma pessoa ingênua não tem desejo? Tal qual um budista (Sidarta) que chegou a iluminação dizendo que o mal do mundo é o desejo e que sem desejos as pessoas são melhores? Uma criança ingênua seria essa expressão da falta de desejos, até pela falta de conhecimento acerca de sua natureza e do mundo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Renato, no meu texto não estou me referindo a uma CRIANÇA ingenua, as crianças precisam ser ingenuas! Estou me referindo a uma pessoa adulta. Agora, com relação à sua pergunta: por que não teria desejos? O desejo não está vinculado somente ao conhecimento. O meu foco no artigo acima é aquela condição de se manter bobinhos para não enxergar a realidade da vida, as sombras e os problemas. O ingenuo do qual falo é quem foge do virar adulto e maduro.

      Excluir
  26. Adriana amei o seu texto! Sempre achei que minha ingenuidade fosse algo positivo. Depois de anos me lascando, neste domingo nublado graças a você vou ser mais sabia e menos ingênua. Nunca é tarde para amadurecer e reconhecer que nem tudo são flores! Minha sensibilidade e ternura permanecerão, mas chega de ser boba. Beijos

    ResponderExcluir
  27. Olá Adriana. Gostei muito do seu artigo e me enquadro muito no perfil de pessoa ao qual você descreveu como significado de ingênua. Porém, gostaria de saber como posso não ser ingênua ou tentar não ver o lado bom em tudo. Pois, isso tem me atrapalhado e me deixado confusa em vários aspectos. Por exemplo, eu estou estudando para uma prova que farei daqui dois meses. Tenho várias habilidades, que além das quais eu exercerei se passar na prova, que gostaria de exercer também. Dessa forma, vejo com tanto otimismo que posso ser e fazer o que eu quero que tenho muita dificuldade de escolher uma área, decidir e focar, sem me abrir para as outras dezenas de possibilidades que vejo. rsrs. Logo, cenário real: estou formada, insatisfeita com minha carreira e só vejo a saída se for em outro ramo ou diferente de tudo que fiz nos últimos 10 anos. Que é o tempo que formei. Fui clara? Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Êlo, ser ingênua não é ser boa e deixar de ser ingênua não quer dizer deixar de ver o lado bom das coisas.
      O que descreve não tem a ver com ingenuidade.
      Vc parece querer abraçar o mundo de uma vez só, tem dificuldade em ser realista, com os pés no chão, em implementar seus projetos. O que falta é saber quem vc realmente é, o que tem a ver com vc e como CRIAR a realidade que combina com vc. O mundo não é para ser pego do jeito que é: precisamos adaptá-lo a nós, e nào só nos adaptar a ele. ;-) >>>Trabalho de autoconhecimento é tudo.

      Excluir