20/10/2010

Manipuladores

Adriana Tanese Nogueira

Há dois tipos de manipuladores: os maquiavélicos e os “bonzinhos”. Os primeiros sabem o que estão fazendo, os segundos “não sabem que sabem”. em ambas as categorias há uma gradação de consciência que vai da nível mais consciente (a pessoa está perfeitamente desperta) para aquele parcialmente ou totalmente “distraído”, que é de quem faz “sem perceber”.

O maquiavélico em sentido estreito é aquele indivíduo que, determinado em alcançar sua meta, toma as medidas necessárias mesmo que tenha que enganar o outro, porque, como ensinou Machiavel, “o fim justifica os meios”. O manipulador maquiavélico é esperto, 
oportunista, calculador e rápido no agir. Como, porém, nem todo mundo é dotado da inteligência afiada de um Maquiavel, mas não deixa de ser oportunista, há muitas pessoas que manipulam os outros e as situações tentando, ao mesmo tempo, se escondendo de si mesmos. Se trata de uma complicada acrobacia mental que leva à neurose. É como se uma mão “não soubesse” o que a outra faz, desta forma a pessoa obtém um meio termo que serve a dois patrões: seus interesses manipuladores e sua cara de pau.

O outro tipo de manipulador é mais sutil. Se o primeiro é, vamos dizer “masculino”, direto, descarado e insensível, o segundo é “feminino”, indireto, disfarçado e venenoso. A manipulação deste tipo mexe os pauzinhos num nível mais profundo, geralmente o afetivo. Orquestrando o que dar e o que tirar, o que mostrar, insinuar, deixar no ar, quando sorrir, aparecer e sumir, o manipulador feminino se parece com o que chamaríamos de bruxa na acepção negativa. O princípio deste estilo de manipulação está no feminino que suga seus poderes nas sombras, nunca se expõe e costuma ter uma fachada inócua e bondosa. Nem por isso é encontrado só em mulheres, apesar delas darem o protótipo original. Nos homens, a fonte desse tipo de manipulação vem do que Jung chama de Anima. Como a Anima masculina é primeiramente moldada sobre o perfil da mãe real, temos aí a porta aberta para as artimanhãs femininas penetrarem no mundo masculino e sobretudo na forma como o homem lidará com os afetos.

Em termos junguianos, o complexo do ego do manipulador é fraco, não sendo capaz de suportar o peso da ética. Ele está parado num estágio infantil quando o próprio umbigo era mais importante do que o resto do mundo. Na primeira infância esta atitude é indispensável para o saudável desenvolvimento do bebê, na idade adulta se torna um handicap que impede a maturidade. Entre outras coisas, o manipulador não é capaz de encarar a realidade e seus inevitáveis limites.

Se o manipulador masculino mexe com teus interesses objetivos, com teu bolso, tua carreira, tua posição social, teu prestígio, tuas ambições, o manipulador feminino toca os fios da tua auto-estima, do teu se sentir aceito, amado, valorizado, do teu pertencer ao grupo, da tua identidade enfim. Enquanto o manipulador masculino pode te deixar sem um tostão e no buraco, o manipulador feminino acaba com tua força de vontade. Ambos são malévolos, prepotentes e egocêntricos. Ambos são incapazes de amar.

163 comentários:

  1. hmf... muito simplista. Incapazes de amar? Eu digo ao cotrario,eles fazem isso justamente pq amam demais. Eles nao sao tao infantis, cada um tem seu modo de pensar e sao perfeitamente capazes de julgar suas proprias razoes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que quer dizer com "ama demais" é mais um "não suporto que não me amem". Embora a rejeição seja algo que ninguém gosta e não seja fácil para ninguém,os manipuladores não têm qualquer capacidade em lidar com ela. Não amam demais, não chegam mesmo a amar, precisamente porque estão presos na fase da infância que é o umbigo deles. "Amar demais! não existe!

      L. Almeida

      Excluir
    2. Eles "amam" muiiito, a si mesmos ! e mais nada e nem ninguém, as outras pessoas só servem mesmo para satisfazer seus interesses, cada qual a seu modo de acordo com o que cada um serve para o manipulador/a.


      A minha pergunta é: existe cura para isso através da psicologia unicamente ???

      Excluir
    3. Sim, através de uma boa terapia da duração suficiente.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. Gostei muito Adriana, maravilhoso texto, toda abordagem veio na hora certa, no momento certo estava procurando e precisando muito identificar uma situaçao...uma pessoa e fechou beleza na lata, que Deus lhe abençoe por tudo, vou visitar mais seu blog, nao conhecia primeira vez hoje que te achei, bjos querida!

      Excluir
    6. Concordo com vc... Muito simples, mesmo na vida adulta por vezes é necessário ter essas atitudes mas tb não podemos ser humilhados o tempo inteiro e alga vez tem que tomar vergonha na cara e ver que não somos lixo. Acredito que isso é porque se ama ou ja amou demais sim...

      Excluir
    7. É um assunto complicado esse. Acredito que para que cada um entenda realmente o que aconteceu ou acontece em sua vida precisa de uma análise de cada caso, ir com a lupa analizar o tecido da própria realidade para enxergar.

      Excluir
    8. Olá!Manipulação é algo terrível, principalmente quando acontece dentro da própria família. Fui manipulada desde o berço, por irmãos que se utilizavam da minha dificuldade em reagir e isso foi se estendendo até hoje, só que eles não esperavam que eu me tornaria uma estudiosa, especialista do assunto: tornei-me Psicóloga! Fiquei craque em saber as minúcias e estratagemas de pessoas que gostam de fragilizar os outros, de impor rótulos absurdos dentro da família,de tentar isolar um ou dois membros dentro do sistema familiar para obter vantagens, de competições doentias entre irmãos, enfim.... Isso não me pega mais com tanta facilidade como no passado, quando eu era mais jovem e menos inexperiente. Engraçado, Adriana, é o quanto é difícil quando as pessoas manipuladoras são pegas de surpresa em seus intentos, chegando a terem verdadeiras crises de histeria , pois não querem enxergar suas dificuldades em amadurecer em suas relações pessoais!ficam perplexas quando questionadas, odeiam quem se opõem às suas artimanhas e acabam manipulando ainda mais, e isso só demosntra o quanto estão enredadas dentro de sua própria neurose. É triste ver gente mentalmente adoecida e não poder fazer nada quando não querem se tratar....

      Excluir
    9. Sim, há muitas questões profundas na manipulação. É um enredo complicado. Somente na análise pessoal é que podemos encontrar os fios da meada, que não é um só.

      Excluir
    10. Olá!

      Encontrei essa matéria após procurar avidamente por uma explicação para o que o meu marido faz.

      Percebi que fui manipulada desde o namoro, estou casada há 8 anos!

      No início, percebi algumas atitudes estranhas, opiniões conflitantes, conceitos distorcidos...só achava que havia me enganado.

      Mais essa coisa de manipulação evolui...

      Como não sou uma mulher passiva, tenho atitude, opinião e coragem, nunca aceitei e nem calei, então ele passou para a chantagem emocional (sempre doente, com depressão, se denominava como auto-mutilador e com pensamentos suicidas)...nunca tentou se matar e nunca se machucou escondido. Para essas ações tem que ter a platéia - eu.

      Quando deixei de ser platéia, ele surtou!

      Em fim... o deixei ciente que não me deixarei manipular. Da última vez que começou a bater em si mesmo, chamei a família dele e o SAMU. Acredito que nunca mais ele fará isso, pois já o deixei ciente que vou sair, chamar a familia dele e o SAMU sempre.

      Ele está na fase "volte a dormir", tentando ganhar minha confiança, novamente.

      Será que ele tem jeito?

      Excluir
  2. preciso dar um jeito de fazer terapis com vc...

    ResponderExcluir
  3. x-tv, sim, incapazes de amar. Manipular e amar não combinam. Quem mnipula está com problemas e precisa tratar-se.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas você acredita e afirma que não há cura para os manipuladores emocionais...Amo muito meu marido, estamos juntos pq sei q ele é uma pessoa doente, e tento de tdas as maneiras fazer ele enxergar isso..Mas tá dificil...Como mostrar p ele q ele precisa de ajuda especializada....

      Excluir
    2. Pra tudo tem solução, basta querer e se dar o trabalho de mudar.

      Excluir
    3. Vou lhes contar minha história desde o começo....Espero do fundo do meu coração q me ajudem, pois não sei mais a quem recorrer
      A 10 anos atrás qdo tinha 19 anos conheci um homem com quem já de primeira acabei me relacionando sexualmente com ele, na época ele era “casado” mas eu me apaixonei por ele e acabei levando esse relacionamento assim digamos na boa...Mas eu sempre falava p ele largar tudo e ficar comigo mas de nada isso servia, entrei em depressão fiquei encostada pelo inss por quase dois anos devido a esse relacionamento, pois eu era louca por ele e ele só queria sexo, até q um dia depois de quase 2 nesse envolvimento comecei a namorar um rapaz e acabei rompendo com ele (aliás minha mãe por telefone fez isso pq eu não tinha forças). Fiquei nesse namoro com esse outro rapaz por 5 anos..Mas nunca havia esquecido esse meu “ex” por várias vezes o procurava na internet nas redes sociais, até q um dia p a minha alegria o encontrei e começamos a conversar...Pelas conversas eu via o qto ele havia mudado...aparência, jeito de ser e de cidade, pois agora ele estava morando no litoral de SC, sonho dele....Ele sempre insistia q eu fosse ao encontro dele, mas como estava namorando (mesmo q esse namoro eu soubesse q não teria futuro) eu o era fiel.até q em novembro de 2012 eu rompi com esse meu namorado e em dezembro depois de muita insistência minha (pois ele não queria que eu fosse p onde ele estava morando devido ao grande movimento da temporada) a gente se reencontrou e eu percebí q eu o amava tanto qto antes.E assim ficamos juntos em março de 2012 ele foi até a casa dos meus pais e me pediu em casamento e e em maio de 2012 casamos.
      Eu larguei tudo, meus planos, família, amigas, emprego, cursos, tudo e vim estabelecer domicilio onde ele já morava.
      6 meses depois ele começou a mostrar a real face dele, ele começou a me privar de ter contato de visitar minha família na minha cidade, começou a se tornar agressivo, se mostrou a pessoa difícil de conviver que ele é (visto que eu sou a 3 esposa dele e o meu filho o 3 filho dele sendo que 2 ele não tem contato a mais de 5 anos)
      Depois um certo tempo de casados acabei engravidando do meu menino, tive uma gravidez muito difícil chorei e ainda choro muito pois ofensas são constantes.
      Em resumo hje meu filhos está com 1 ano e 6 meses, e estamos com 3 anos de casados e nada mudou, sei q sou um pessoa difícil, as vezes grossa, mas tenho tentado de um tudo p salvar meu casamento, mas está difícil...aki trabalhamos muito durante a temporada ano passado acordamos que ele trabalharia e eu cuidaria do bebe durante o inverno e me jogouna cara o inverno inteiro que eu não trabalhava, que eu era um vadia, vagabunda e começou a me agredir...Mas eu sempre correndo atrás
      Esse ano graças a deus consegui um emprego na minha área, ainda estou na experiência mais tenho fé de que de q vou ficar na empresa...Agora p ele não está bom, pois o ciúme impera em minha casa (pois tenho q trabalhar alinhada ), ele acha q vou trai-lo, desconfia de mim, fala q minto, q não me quer mais ao lado dele, não sei mais o q fazer pois eu o amo muito mesmo depois de tudo q ele já me fez e fez p a minha família. Não quero q ele mude quero apenas que ele seja capaz de assumir seus erros e tentar conserta-los, para não acabarmos com nosso casamento. Estou desolada, acabada.
      Mas tbm não quero largar dele pq sou apaixonada por ele....Não sei mais o q fazer e como ajuda-lo.....

      Excluir
    4. Adriana ....Eu simplesme amei o site....me tirou muitas duvidas....as vezes é precis desabafar p não desabar

      Excluir
    5. Olá! Dou o suporte gratuito possível nesse espaço, mas não posso elaborar sua história e lhe ajudar a encontrar uma solução via comentários num post. Para isso, precisa marcar uma sessão. Abraço.

      Excluir
    6. Ele vai deixar você louca, se já não estiver...seu post foi em 2015.

      Nâo vale a pena!

      Excluir
  4. Entre em contato, Meyre.
    adrianatnogueira@uol.com.br

    ResponderExcluir
  5. concordo com - "x teve disse" meu irmao é um manipulador nossa so fã dele he gentil simpatico inteligente bonito parece com leonardo de caprio agora ele ta meio velho formo pra direito ele he diferente de todos que eu conheço ele pega mulher pra caramba todo mundo gosta dele ele he brincalhao rapido no q fala tudo oq ele dis sai certinho sem um gaguejo parece q ele tem um dom de conquistar as coisas muito facil no q voce disse ai emcima nao entendi nada mais meu irmao é um deles ele nao he infantil he muito cerio no q dis em todas as palavras quando brinca fas todo mundo rir ele ja comeu a metade da cidade de mulheres daqi fora as de outras cidades esse sim he o cara mais tem uma coisa os manipuladores sao capases de consquitar coisas imposiveis esse dom vem de nascencia quando viran jovens ja comecam a conquistar !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diego, você só precisa voltar pra escola e consertar esse português,

      Excluir
  6. Diego, manipulador não quer dizer necessariamente mulherengo. E um cara que "comeu metade das mulheres da cidade" não quer dizer necessariamente que as ama! Prazer sexual e amor podem ser duas coisas bem diferentes. Um cara como teu irmão ama certamente muito mais a si mesmo, ao seu ego, do que as mulheres que "come".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adriana, eu concordo com vc em gênero, numero e grau em todas as definições abordadas...
      Essas pessoas que estão postando estes comentários "sem noção" nunca se depararam com um manipulador... EU SEI O QUE E ISSO... ELES SÃO PREDADORES SOCIAIS.
      "MANIPULADORES POR AMAR DEMAIS?" ME DESCULPE, MAS ESTE FOI UM DOS MAIORES ABSURDOS QUE JÁ LI... Obrigado pela postagem do assunto Adriana... Deus te abencoe... Ricardo Toledo. Sou Pr. Da Igreja do Evangelho Quadrangular...
      rictoledo1109@hotmail.com

      Excluir
    2. Olá Ricardo, obrigada pela postagem. Se quisermos observar: a maioria desses comentários é de homens. Alguns vêm da experiências de serem manipulados, os outros... simplesmente são os manipuladores. Não a caso estão se "defendendo" de assumirem o que fazem :-)

      Excluir
    3. "A maioria desses comentários é de homens"
      "Os manipuladores (...) sua cara de pau"
      "Alguns manipuladores são (...) femininos, vamos dizer assim"

      Demonstra uma visão sexista da parte do avaliador, portanto, parcial, fazendo juízo de valor e de gênero. Não aborda o manipulador como um paciente, alguém com uma questão psicológica a ser tratada, mas o julga.

      Se, na tua opinião, os comentários que dizem que os manipuladores "amam demais", são comentários feitos por manipuladores, acredito que a tua análise, segundo o teu próprio raciocínio, vem de uma pessoa que foi manipulada.

      Excluir
    4. Meu caro, (ou cara?)

      Este pequeno artigo não quer ser exaustivo sobre o assunto, não tem essa pretensão. Os comentários não são de minha responsabilidade, minhas respostas a eles são de minha responsabilidade e feitas na base do meu entendimento da situação. Esse discurso do "amar demais" não pode ser usado como justificativa para manipular... Parece-me bom senso, não psicologia. Outra coisa: não trato ninguém como paciente no sentido de doente. Isso aqui, você realmente não vai encontrar em meu blog.

      Excluir
  7. Adriana seu blog tem sido de muita ajuda para mim... obrigada.

    ResponderExcluir
  8. O que e seria a capacidade de amar ? Não se trataria de meras associações neuroquímicas a experiências cotidianas e/ou pessoas? Encaro desta maneira. E sendo assim, vc pode sugerir, direcionar, subtrair, dosar, enfim, "aquilatar" este tipo de emoção para finalidades oblíquas.
    Basta vc inserir experiências nem sempre autênticas pelos diversos canais emocionais (Raiva, Medo, Prazer, Amor e Alegria) que com o feedback vc terá uma descrição precisa das fragilidades desta pessoa-alvo.
    De posse desse mapa-da-mina sobre esta pessoa-alvo, vc faz o uso mais conveniente a suas estratégias...
    Exemplificando. Atraio-me por uma mulher. Evidentemente o primeiro critério masculino é o visual. Preencheu esse critério, vamos aos demais, digo, esse já basta.
    Se vc como homem for "atacar" uma mulher pela via personalística, ou seja, considerando todas as suas nuances de personalidade e etc, vc levará muito tempo até conseguir o que almeja, que é subjugá-la emocionalmente.
    Então a estratégia mais eficiente é despersonalizar a mulher, desumanizando-a até o nível instintivo e mais básico - sua essência animal.
    Afinal, todos nós em essência somos animais, sujeitos a flutuações ambientais, reações automáticas instintivas, tudo isso ditadas pelas 5 emoções básicas principalmente Raiva, Medo (bater ou correr), Alegria e PRINCIPALMENTE O PRAZER.
    Enquanto animal, eu, homem reajo instintiva e inconscientemente a mais de 90% àquilo que me cerca. A mulher também. Os 10% são as reações mais elaboradas, conscientes, racionais.
    Quando vc "planta" uma ideia/sensação/emoção pelas vias normais (pelos 10% de acesso), há uma chance quase certa desse alvo bloquear pelo seu consciente.
    Entretanto, quando vc se infiltra pelo nível mais inconsciente (pelos 90%) as chances de o alvo bloquear seu ataque é praticamente nulo, exceto se for treinada.
    Enfim. Este é apenas uma aperitivo.
    Hoje a psicologia fornece milhares de ferramentas muito eficazes para se aquilatar "capacidades sugestivas" ou manipuladoras.
    Eu particularmente fui treinado em PNL – Programação Neurolinguística e Viagem Mental Genealógica (VMG).
    Após uma sequência de traumas amorosos, resolvi mudar meus paradigmas. Foi então que resolvi contratar um psicólogo mais hetorodoxo que me apresentou a esses campos da psicologia (PNL, Hipnose e VMG), além de um intensivão para eu me livrar do meu analfabetismo emocional.
    Dediquei-me a isso. Também passei a cuidar do corpo e da aparência também.
    Passado esse período de aprendizado e adaptação, lancei-me ao ataque.
    Resultado, deu mais certo que o esperado em áreas até inesperadas.
    Consequência, 3 anos depois (hoje) tive de recorrer à psiquiatria e à terapia cognitivo-comportamental pq isso tornou-se um vício, e eu que acabei me desumanizando. E esses especialistas foram unânimes em afirmar que eu já era sociopata, só não tinha tanto rebuscamento. E que eu conseguiria no máximo manter sob controle certos comportamentos possivelmente destrutivos, para mim e para os outros.
    Até então sinto-me incapaz de amar, embora eu consiga "furar" a resistência da maioria das mulheres lindas e atraentes e fazer o que bem entender - só não aproveito-me materialmente, mas simplesmente escravizo emocionalmente.
    Eu sou um cara de beleza mediana (acho-me feio), e no momento estou sem carro e um pouco endividado por conta de um grave problema de saúde que sofri há alguns meses, mas mesmo assim há quem esteja por perto...
    Honestamente, hoje quero apenas reaprender a amar, a ser novamente um ser humano, já que tornei-me um qualquer coisa diferente disso.

    ResponderExcluir
  9. Parabéns, Alessandro. Continue nesse caminho, tem um bom trabalho pela frente. Algumas precisações: psicologia não deveria ter nada a ver om "treinamento", assim como amar e "atacar" são conceitos que se excluem mutuamente. O seu caso para mim é a demonstração de quanto métodos psico ou pseudo psicológicos podem fazer mal. A PNL então é complicada porque a idéia reprogramação mental. Esse como outros métodos para "ficar bem" tratam o ser humano como máquina. Logo, que humanização temos? Que evolução temos? Nenhuma. Vc não mudou o paradigma. O modelo de fundo permaneceu o mesmo, só adquiriu novos estratagemas novas artes para continuar fazendo o que já fazia.

    Uma sugestão: comece a questionar a definição que deu acima sobre a capacidade de amar. Se continuar acreditando nisso desista de querer humanizar-se.

    Outra coisa: escravizar uma pessoa emocionalmente não é grande coisa, é feito bem pequeno e corriqueiro na verdade. Há tanta gente desesperada para ser amada, pronta a cair na tua mão só para ter um pouco de atenção. Como se pode estar satisfeitos com esse tipo de relação? É doença linkando e se nutrindo de outra doença. Não é nenhuma proeza.

    Abraço

    ResponderExcluir
  10. TSc TSc amor não é um sentimento é uma Habilidade....

    ResponderExcluir
  11. O padrão da saúde Psquica na psicologia moderna não preenche uma serie de lacunas, um mundo de especulações e conjecturas,visto que, somos percepcções distorcidas de uma realidade que pode nem mesmo existir, uma relação de ideias e substancias, naturalmente procuramos soluções fáceis para problemas complexos.
    Por sabedoria entendo a arte de tornar a vida mais agradável.
    Ciência é conhecimento organizado. Sabedoria é vida organizada."
    Immanuel Kant

    ResponderExcluir
  12. Desculpe, Carlos, o que é mesmo que vc está querendo dizer?

    ResponderExcluir
  13. Alessandro cuidado irmão´,,já que vc tem consciência que o que vc fez é errado,"já é meio caminho ANDADO",,este padrão seu se enquadra perfeitamente em um 007 da vida,,o que no fundo não deixa de ser um cafageste no bom sentido da palavra é claro,,falo isso porque também fui assim e machuquei muitas pessoas com este comportamento que na verdade passamos a ter por mera falta de propositos findados em se ter uma vida abrangente em todos os sentidos,,e direcionamos para coisas assim,,não estou te crussificando porque como vc pode ler tambem fui assim e DEUS me tirou destas coisas no tempo correto da minha vida,,pois traia constantemente minha esposa e feria milheres de mulheres,,comportamento toalmente errado meu,que hj tenho plena consciência disto,,quanto ao fato de ser feio ou não, vá por mim,,as mulheres de verdade independente se ela seja muito mais atraente esteticamente e com condições financeiras que vc,,isso é o que menos importa para elas,,basta termos controle do que pensamos e saber o que elas gostam para passarmos a manipular toda esta situação,,o que remete realmente ao texto da nossa amiga adriana que por sinal é muito bom,,a questão seria que coloco aqui,,será que mesmo inconscientemente nos seres humanos não temos todos um grau de manipuladores? mesmo que seja em doses mais ou menos acentuadas? doutora. Otimo texto.

    ResponderExcluir
  14. Temos sim, Helinho. Essa é uma dinâmica (um "software", um "app") humano, não masculino ou feminino, não seu ou do outro, mas claramente é um programa cheio de vírus que não faz bem nem a quem o pratica, nem a quem o recebe. E a propósito, quem se deixa manipular também faz parte do jogo. Como disse é doença nutrindo doença. Parabéns a você por ter encontrado um caminho mais digno de sua humanidade e coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Adriana,,gostei muito do (SOFTWARE),RSRS.GOSTEI MESMO..COMO SOU (TI) ACHO QUE VC QUIZ FAZER UMA PEQUENA HOMENAGEM NÃO FOI? SE FOI OBRIGADO SE NÃO FOI OBRIGADO DA MESMA FORMA..MAIS GRAÇAS A DEUS ENCONTREI MEU CAMINHO MESMO,,PENA QUE TIVE QUE QUEBRAR BASTANTE A CARA ANTES,,MAIS TODA AÇÃO TEM SUA REAÇÃO,E TIVE QUE LIDAR COM MINHA CONSCIÊNCIA ME BATENDO TODOS OS DIAS ATÉ ENCONTRAR O CAMINHO,,MAIS TUDO É VALIDO QUANDO SE APRENDE COM OS ERROS.

      Excluir
  15. É isso aí, Helinho. Tem que bater a cabeça até abri-la e começar a pensar melhor. E vc está só no começou, muitas outras coisas virão (espero para vc). Abraços e boa jornada.

    ResponderExcluir
  16. Olá Adriana,
    Fiz aquela longa postagem acima falando sobre meu caso. Tenho uma novidade - outra longa postagem.
    Sempre fugi de mulheres pelas quais poderia me apaixonar por interpretava isso, a paixão, como sendo uma fragilização de minha racionalidade.
    Só que recentemente apareceu uma mulher que chamou-me a atenção. E assim que notei nela as características que me fariam apaixonar, tratei de evitá-la o máximo que podia, após travarmos longos minutos divertidos de batepapo, mas sem investidas da minha parte porque estou tentando me redimir.
    Cheguei a acreditar que havia conseguido distanciar-me, mas às vezes o destino conspira contra nossas intenções.
    Mudei-me de um apartamento para uma casa e advinha quem é minha vizinha da frente? Pois é...
    E o mais curioso é que ela assim quando me viu na porta de casa, logo reconheceu e veio dar as boas vindas.
    Ela é uma lindíssima mulher jovem, mas muito madura, segura, autoconfiante, determinada e cativante. Ah! Ela é recém formada em Psicologia. Esse detalhe intimidou-e ainda mais...
    Tentei ser educadamente distante, mas parece que ela não se convenceu muito da autenticidade disso.
    Por acaso ela fez amizade com minha irmã e passou a frequentar minha casa.
    Jamais ela abriu brecha - mesmo se abrisse não entraria... -, mas sempre trata-me com muito respeito e com um interesse velado que tem confundido meus canais.
    Hoje ela convidou minha irmã para casa dela pra conversarem e fazerem algumas coisas de mulher, e de repente minha irmã liga convidando-me para eu preparar uma janta - detalhe, adoro cozinhar...
    E por acaso eu resolvi fazer um prato que por acaso era o que essa pessoa adorava, mas juro que não fiz nada calculadamente.
    Parece que isso e minha conversa na cozinha a impressionaram bastante, e todos realmente gostaram do que cozinhei.
    Agora mais cedo da noite ela pediu pra eu adicioná-la no Facebook, vasculhou meu perfil (eu imagino), em seguida esperou eu fazer uma postagem para iniciar uma conversa que fluiu muito bem, sem eu nem tentar direcionar, nem afastar.
    Ela foi excessivamente perspicaz e parece ter gostado muito de mim ao ponto de pedir meu celular, ligar brincando, chamando de "chef".
    A conversa se prolongou, percebi que estava ficando muito intimista e... como um adolescente inventei uma desculpa e desliguei.
    Senti-me intimidado por não ter sabido exatamente o que fazer, pois não queria usar as velhas estratégias.
    Depois da conversa por telefone, ela fez uma postagem engraçada e enigmática numa foto minha de quando era criança - "Kkkkkkk! Vc ainda tem a mesma cara curiosa e misteriosa de antes! Eu acho que sei o que se passa nessa cabeça...".
    Isso me deu calafrios! (Mesmo suspeitando que tenha um dedo de minha irmã...)
    Detalhe, minha irmã leu este post aqui enquanto fui ao banheiro e está rindo da minha cara porque "vou finalmente me lascar". Disse ainda que ela realmente interessou-se mesmo por mim e está solteira - e eu nem perguntei nada.
    Será que se eu "agir para acelerar o processo" estarei incorrendo no hábito destrutivo de antes?
    Eu sinto que vou me apaixonar por alguém que já está interessada, mas essa dúvida tem doído minha cabeça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkk'
      Ou vc esta sendo manipulado por ela (ela percebendo ou não) tudo isso de acordo com aquela famosa e boba frase "em um dia você brinca e no outro é o brinquedo", ou simplesmente tudo isso é apenas uma grande mentira, como um simples manipulador vc quer passar a imagem de falso arrependimento e bom moço, não importa se ela (a editora e todo o resto) acredita ou não afinal isso não tem importância para você, mais vc fez a "sua parte" De qualquer forma no meu ponto de vista isso se torna fútil e engraçado.
      De qualquer modo isso não pode ter nenhuma importância para vocês, afinal o que eu tenho a ver com isso?! Até porque como meros humanos gostamos de exaltar nossa grandeza e manter a boa imagem (manipuladores) ou mostrar que somos bons e podemos mudar se tornando e mostrando, provando ser alguém melhor (pessoas comuns) ... De qualquer modo gostei do post da autora e dos seus comentários,não concordo a globalização que os manipuladores não possuem sentimentos do tp amor, tudo é relativo, e suas atitudes e pensamento podem ser bons, até por que os fins justificam os meios.

      Excluir
    2. Sai-se da manipulação quando simplesmente nos expomos e somos transparentes com os outros. Que tal tentar? Claro que os manipuladores têm sentimentos! A questão é mostrá-los aberta e singelamente.

      Excluir
  17. O jogo inconsciente entre vocês já aconteceu. As cartas estão dadas. Há dois níveis, o inconsciente e o consciente. O consciente é aquele que me escreveu aqui, que parece uma pessoa cautelosa, responsável e etc. O inconsciente tem uma cara um pouco diferente. Vc não tem como escapar, Alessandro. O negócio é viver de olhos abertos e senso crítico, mas agora como agora as cartas estão dadas.

    ResponderExcluir
  18. ola Adriana.. Acho que passei das maos de uma manipuladora. Apareceu me ha 3anos tivemos uma filha linda casamo nos e 4meses depois divorciamos. Ate ai td bem. O problema é que conversando com algumas pessoas fui notando o tamanho das mentiras que ia contando as pessoas a meu respeito que eu batia nela etc etc. Na verdade nunca bati e o pior de tudo é que como é tudo muito recente sinto "saudade" dela...

    ResponderExcluir
  19. olá naum tem muito tempo que eu ando pesquisando sobre Manipiladores,e pelo o pouco que li,cheguei a conclusão que minha enteada é uma Manipuladora é detalhes de boazinha ela naum tem nada!ela mora com os avós e tem o avô como aliado, ele acredita em td q ela diz ela joga a avó contra ele,e faz ele se volta de contra todos que vê ela como errada,na realidade ela tem 13 anos e se comporta como se tivesse 18,mais andei reparando que ela deve sofrer de algum disturbio de carater, o pai e a avó sabe que ela manipula ele mais "ele naum consegue ver isso ou naum quer".gostaria de uma opinião sua enquanto a isso.ela parece um anjo,quem a conhece gosta dela,ela adora se fazer de vitima,e consegue tudo o que quer mesmo que pra isso ela tenha que prejudicar alguém...se poder me add: lualves_85@hotmail.com

    ResponderExcluir
  20. Ela parece ser uma manipuladora. Se quiser uma analise mais detalhada, marque uma consulta comigo: adrianatnogueira@uol. com.br.

    ResponderExcluir
  21. Discordo. De inicio, sua 'leitura' de Maquiavel é equivocada...

    ResponderExcluir
  22. Adriana

    Como lidar com um manipulador do tipo "bruxa"?
    Há um agravante: Qdo contrariado, o manipulador bruxa ainda se faz de vítima, apelando para as lágrimas com defesa.
    Falo de uma colega de trabalho.
    Tomei a decisão de simplesmente ignorar essa pessoa e tratar-lhe de forma mais formal possível, evitando assim, qualquer fraquesa que possa de alguma forma lhe favorecer.

    Não sou o dono da verdade e muitas vezes me pergunto se eu não estou acusando para a minha própria defesa, como vc mesma mencionou, agindo "sem saber".

    Obrigado

    :)

    ResponderExcluir
  23. Observador, o manipulador tipo bruxa é complicadíssimo. Tem que ver o caso específico, olhar bem de perto para compreender com precisão e portanto ter uma ação efetiva.

    A questão é que há pessoas vítimas de si próprias, que estão tão por dentro de sua própria manipulação que não conseguem percebê-la. ...Mas nós a percebemos e é uma exigência moral imprenscindível não ser cúmplice.

    Lágrimas não vale nada nesse caso. Se ela mexe com você com suas lágrimas, cabe a você analisar o teu ponto fraco. E aí está a tua pergunta: será esse o teu ponto fraco ou um sinal de que você está sendo duro demais e injusto? Percebe como agora o problema virou teu? Ao compreeder com clareza esse ponto você vai se tornar imune tanto da manipulação quanto da injustiça.
    :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adriana, vc é psicóloga? Faz atendimento via Skype?

      Excluir
    2. Sim, Patrícia. Dá uma olhada aqui: http://atnhumanize.blogspot.com/p/atendimento.html. Ou me escreva: adrianatnogueira@uol.com.br

      Excluir
  24. kkkkkkkkkkkkkkkkk opa opa... depois de um milhao de anos eu vejo o q falaram de meu comentário...
    bom.... primeiramente vamos deixar "dogmas" religiosos de lado. Se essa é um conversa que tem bases cientificas, estudos etc.. não tem porque colocar religião no meio(sim, sim eu sei! religião cada um tem a sua e o foco aqui não é falar sobre elas)
    primeiramente, eu na minha humilde opinião não acho q os manipuladores nao são essas pessoas crueis, ruins, q nao amam etc..
    ora, como o proprio texto diz eles sao pessoas inteligentes capazes de definir um objetivo e fazem tudo para alcança-lo, ai vem.. o objetivo tudo bem, certo? agora o fazer tudo para alcança-lo é o q gera problemas..
    eu acho q eles realmente julgam suas acoes, pois tem capacidade para faze-lo. Agora, se ele acha q vale a pena suas continuar ja é outra historia.
    deixando isso de lado, temos q deixar uma coisa bem clara. Na sociedade em q vivemos ninguem é santinho, ninguem nunca fez algum mal para alguem, ninguem realmente é uma boa pessoa ( todos "pecam")
    ok, continuando... eu nao estou tirando de forma alguma a culpa de um "manipulador" se ele prejudicou alguem, causou discórdia.. só quero o significado do "certo" e o "errado" de voces tanto citam. O certo e o errado variam de cada um.
    agora tenho que sair D: quando eu voltar do curso eu completo o meu raciocinio...
    mais eu imploroooooo deixem o politicamente correto de lado! nao fiquem só no : isso esta errado, não se pode machucar ou outros ou PIOR o "amor" é o q importa na vida.
    o mundo nao é justo , as pessoas nao sao justas!
    usem a razão! Vcs provavelmente vao me contestar, tudo bem, mais usem a logica, deem exemplos, deixem os dogmas, se realmente vão debater =D

    ResponderExcluir
  25. Olá Adriana,
    Percebi que estou lhe dando com uma pessoa manipuladora, mas que gostei. Não estou querendo acreditar que ele seja isso, mas lendo está pagina descobri que no nosso caso ele é o tipo sutil, feminino.
    Eu gostaria de conseguir inverter essa situação, lhe dar com isso, pois depois que percebi, sinto que tudo que faço está sendo em Vão. Pois ele não acredita em mim, por achar que sou como ele. Não sei se as pessoas nascem assim,gostaria de mudar este quadro.

    ResponderExcluir
  26. Eliana, precisa fazer terapia. Não há receitas nem fórmulas mágicas. Vc precisa se dar ao trabalho de analisar a situação a fundo para mudá-la. Isso se faz graças à ajuda de alguém treinado para entender a psicologia humana. Esse trabalho se chama: psicoterapia.

    ResponderExcluir
  27. Adriana é interessante e curioso ao mesmo tempo saber que problemas tão simples deveriam se resolver na infância,quando se constrói o caráter de um ser humano,é claro que comportamentos duvidosos são errados principalmente quando se faz um julgamento precipitado sem conhecer a pessoa,todos nós aprendemos com nossos erros,mais a medida que começa a fugir dos padrões de normalidade,talvez muitos usam personagens para não enfrentar a realidade que os envolve nessa trama de erros e,parabéns pelo texto,embora na minha opinião eu sempre procuro entender que a ciência apenas se baseia no que se acredita?eu sempre ao longo da minha vida mantive e mantenho o respeito por determinada ciência independente de qual seja e,fico realizado por saber que quando se parte para uma jornada,lá no início apenas a pessoa sabe por que resolveu escolher tal profissão

    ResponderExcluir
  28. Bruno, não entendi bem o seu comentário. Há problemas simples que se tornam complexos, ou melhor que se apresentam de forma simples no começo e depois se tornam irreconhecíveis. Normalidade é um conceito complicado, mas certamente há comportamentos que vão além do aceitável numa relação de respeito. A ciência se baseia em crenças, sim. Ninguém lembra disso, mas tudo começa com uma crença...
    Abraço

    ResponderExcluir
  29. Adriana tenho um marido assim manipulador bonzinho,e isso tem mexido tanto comigo nos ultimos 2 anos , pq antes ele viajava e agora não mais, q estou em tratamento com psiquiatra e com psicologa,mas acredite eles ainda nao sabem disso pq nao sei explicar,achei otimo esse texto vou mostrar pra eles,mas se vc tiver um conselho pra lidar com isso,ele simplismente acabou com tudo de bonito q tinha em mim e não aceita de jeito nenhum a separação.nao tenho forças.
    Obrigada
    jane

    ResponderExcluir
  30. Adriana tudo na vida tem os dois lados o Bem fazendo oposição ao Mal,isso todos nós sabemos e,existem pessoas que agem de má-fé em qualquer lugar,independente da profissão,doutora uma pergunta,no dia 18 de outubro desse ano de 2012,eu estava vendo o jornal da minha cidade e,mostrou na reportagem um caso de uma psicóloga que inventou o seu próprio sequestro e,dizendo que os criminosos tinham levado o seu dinheiro e roubado seus cartões bancários e,no final da investigação a moça que é psicóloga disse aos políciais que mentiu,eu até gravei no áudio do meu celular a reportagem,por que eu aprendi desde sempre a provar o que eu falo,agora a moça vai responder pelos seus atos na justiça,nesse caso alguém que estuda a psicologia e,se utiliza dessa manipulação que foi descoberta pela policía,é contraditório uma ciência que,se baseia nas inúmeras teorias e,tenta dizer que pessoas manipuladoras sofrem alguma neurose influênciadas por fatores externos,a pergunta que eu faço e,no caso de uma psicóloga que ela é a própria manipuladora,ela estaria usando qual mecanismo de defesa,ou repressão psicólogica,ou seria a pura maldade de se esconder atráa dessa ciência para praticar seus crimes. Esse é meu ponto de vista doutora,espero que a senhora não fique brava, a moça é de Araraquara interior de São Paulo

    ResponderExcluir
  31. Bruno, ser psicóloga, como vc pode ver, NÃO SIGNIFICA NADA. É um diploma que qualquer um pode tirar numa das centenas de faculdades. Psicologia mais do que medicina é um conhecimento para o qual o conhecimento acadêmico é INSUFICIENTE. Psicologo é quem cumpriu o próprio trabalho interno de autoconhecimento. Essa jornada interior não depende de faculdade alguma, mas da própria pessoa.

    ResponderExcluir
  32. Adriana obrigado por ser tão prestativa eu entendi o que você escreveu,no meu ponto de vista seria impossível alguém alcançar esse conhecimento que a senhora escreveu,pois a cada dia todos nós aprendemos algo novo,não importa a profissão,seja o mais jovem até o mais velho,esse ``autoconhecimento´´é imensurável,mesmo que viva 100 anos vai estar aprendendo com a vida,a última pergunta eu prometo,se alguém formado em psicologia e,se descobre que o próprio psicólogo é o manipulador,a senhora utilizaria as mesmas teorias,pra descrever esse quadro,é estranho imagine a doutora orientando o seu paciente ,mais o próprio é formado na mesma ciência que a doutora,a pessoa sofre de alguma neurose nesse caso???

    ResponderExcluir
  33. Bruno, atendo um cliente psicólogo ou não psicólogo da mesma maneira. Não atendo pela profissão, mas pelo que a pessoa apresenta. Com certeza, a pessoa que vc descreve sofre de alguma(s) neurose(s).

    ResponderExcluir
  34. Ola a todos ! Nos. Últimos 5 anos tenho lidado com um manipulador ao ponto de quase me destruir psicologicamente. É uma relacao à distâncias há 4 anos tento terminar . Tentei tudo. Ser directa, demonstrar por actos, mas n conseguia cortar o contacto . Ou ele ou eu interrompia o silêncio . Ele dizia q o silêncio o atormentava . A partir de maio até agosto nunca mais comuniquei. Mandou mais de 30 sms q não li. Em agosto apareceu na minha cidade e ligou dum número q eu desconhecia. Atendi e não resisisti e contei tudo o q não queria. Não entendo o poder q tem sobre mim . Esteve cá 1 semana. Resisisti ao impulso, mas balacei psicologicamente. Entretanto cortei de novo o contacto e nem os parabéns lhe dei no aniversário.mas eu costumava pagar anualmente a sepultura da mãe e neste momento não sei o q faça. Ele vem ao meu pais duas vezes por ano e sei q me vai procurar mas ñ quero . Só q Qdo falo c ele n consigo dizer não ao q me diz. Nãome entendo . Peço ajuda. Obrigada . Paula

    ResponderExcluir
  35. Paula, se quiser ajuda podemos marcar umas sessões. Acredito que vou poder ajudá-la. adrianatnogueira@uol.com.br

    ResponderExcluir
  36. Adriana pode deixar algum meio de contato onde possamos conversar? Preciso esclarecer umas coisas e ver se você pode me ajudar. Obrigado e por favor leve a sério.

    ResponderExcluir
  37. Parabéns pelo texto.Ajuda bastante a fazer um auto conhecimento da nossa visão e comportamento.Tenho 30 anos e nunca fui casado,tenho filho,e sempre procurei uma mulher que me sentisse bem ao lado dela e para que eu podesse amar. A alguns meses, me vi em um relacionamento com essas carateristicas,e sem perceber fui me deixando levar pela ''jogo'' de uma garota,por sinal,formada em psicologia recentemente.Sempre tratei da melhor forma possivel. A manipulação estava se tornando tao evidente,que estava me deixando a mercer da vulnerabilidade,depois de alguns meses de convivência.Cheguei a perder a cabeça de tanta imaturidade com joguinho de ''aparecer e sumir'',que mandei ela se fu*** e mesmo assim depois disso,ela voltava atrás me pedindo desculpa pelo seu comportamento infantil.Depois que rompemos, foi inacreditável,chegando ao ponto de mandar uma amiga dela me ligar pra saber onde eu estava, e depois aparecer com um rapaz,pra me fazer raiva,ciúmes ou qualquer outra coisa.Foi aí que senti aquela ''faca no abraço''que a senhora comenta em outro artigo,me deixando com a auto estima baixa,e muito abalado psicologicamente. Me pergunto as vezes como uma pessoa com tamanha infantilidade,vai conseguir ajudar a resolver problemas de outras pessoas,atraves de terapias.Abraço.

    ResponderExcluir
  38. é uma bela definição de manipuladores, só fico assustada com o "não ter capacidade de amar", não seria possível que algumas dessas pessoas que adotam esse tipo de relação... uma relação digamos por exemplo "manipulação feminina", porque talvez na infância tivessem sofrido muito e o presente medo de que isso viesse a ocorrer de novo fizesse com que elas adotassem a postura pela qual elas mesmas se repugnaram?Isso explicaria o comentário a cima "Eu digo ao cotrario,eles fazem isso justamente pq amam demais" só que no caso não no presente mas no passado "amaram" demais, e foram decepcionados acabando por sentir dor, vazio e uma crescente necessidade de afeto acumulado de medo e proteção que os fizessem quase sempre agir como manipuladores , o fato de sentirem prazer manipulando talvez estivesse ligado com o sadismo que no geral são pessoas que provaram de um desamor e falta de afeto quase sempre relacionada aos pais, isso fez com que vendo a dor pudessem apaziguar o fato de serem infelizes

    ResponderExcluir
  39. Não vai, mesmo. Como respondi a outro leitor com m problema parecido com uma moça formada em psicologia, ter um diploma em psicologia não significa nada. Agora, cabe a vc aprender a discernir comportamentos e atitudes para não ser vítima de pessoas assim.

    ResponderExcluir
  40. Luli, nessa bagunça emocional toda que vc descreve, acha que amor seja possível? Ou então precisamos nos entender sobre o que é "amor". O/A manipuldor/a está interessado em primeiro lugar em si mesmo/a, porque está ferido, foi mal amado e etc., é provável. Fato é que tem aí um comportamento que está voltado para resolver/apaziguar problemas pessoais, e da pior forma para a outra pessoa porque ninguém gosta de ser manipulado.

    ResponderExcluir
  41. Postei o caso acima,sobre a psicóloga que me envolvi.Esqueci de falar meu nome,Carlos.Concordo com você Adriana,amar e manipular não combinam,aliás se excluem.Enfim,acho que para um psicólogo começar a atuar na área,deveria existir um exame de ordem,uma prova para que selecionasse pessoas capazes de lidar com a mente humana,já que erros de um(a) mau profissional,poderiam surgir
    frequentemente,prejudicando a evolução e gerando danos ao paciente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos, é muito difícil controlar essas coisas. Enquanto isso, vamos aumentando a consciência das pessoas para que saibam discernir quem pode ajudá-las e quem não.

      Excluir
  42. então mesmo com esse caso que apresentei ele não seria capaz de amar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lulin, ele é capaz como todos são potencialmente capazes de amar. Mas não será esse o resultada. Precisa limpar um pouco a bagunça para algo de bonito como o amor sair de lá.

      Excluir
  43. vc poderia me dizer como lidar,como se comportar o que falar para esse dois tipos de MANILADORES

    ResponderExcluir
  44. Anônimo, Teria que conhecer a situação e SEU papel nela para ajudá-lo a lidar com as manipulações que encontra.

    ResponderExcluir
  45. Tenho 17 anos e há 7 meses estou namorando uma menina de 16. Quando comecei a namorá-la eu estava passando por um período de uso de álcool (socialmente) e maconha. Ela é contra qualquer uso desse tipo e acabei fazendo minha escolha que foi ficar com ela. Já não ando mais com meus amigos, minhas diversões passaram a ser ao lado dela curtindo caminhadas ao ar livre, academia, praia; estudando sempre juntos, um dando força para o outro, etc.
    Minha formatura do ensino médio foi essa semana e só participei porque ela me incentivou muito, para alegria de meus pais que queriam muito que eu participasse da festa e tudo mais. Meus parentes vieram de longe para participar.
    Como era minha formatura ela permitiu que eu tomasse um copo de cerveja o que eu fiz quando cheguei à festa. Mas antes de eu levar o copo à boca ela já estava de cara feia e gerou um desconforto muito grande na mesa diante de meus familiares. Ela não queria mais falar comigo, me tratou friamente e acabou ligando para os pais dela para irem buscá-la. E essa atitude acabou irritando muito meus pais porque eles se responsabilizaram com os pais dela, de a levarem para casa junto com todos seja qual hora fosse, ou seja, os pais que sempre quer ela em casa às 10 da noite, nesse dia liberaram confiando em meus pais. Levei -a até a porta do salão, mas não fui até o carro e voltei para a festa. Eu fiquei arrasado, quase chorei e meus pais quando viu a situação em que fiquei acabou me levando embora e acabou a festa apenas duas horas depois de ter começado. Tinha tudo pra ser uma festa maravilhosa e ela conseguiu estragar tudo.
    No dia seguinte conversarmos. Ela pediu pra que eu falasse primeiro, insisti pra que ela se pronunciasse afinal foi ela quem teve aquele comportamento, não quis e disse que por questões psicológicas eu falasse primeiro.
    Falei pra ela o quanto fiquei chateado, que foi um desrespeito grande comigo e com minha família, que eu resolvi participar da formatura só por ela, que o pouco que bebi foi ao lado dela e da minha família e não na rua com os amigos.
    Depois que falei tudo então ela começou e de imediato me colocando como o vilão da história e ela a vítima. E disse que o motivo de ter ido embora foi porque estava com a sandália machucando muito seu pé (realmente sandália estava machucando). Aí disse que se sentiu abandonada na mesa porque eu saí por alguns instantes para conversar com outras pessoas, que minha família estava olhando ela com cara feia (o que não é verdade), de que eu a fiz se sentir um lixo, quando na verdade quem ficou assim foi eu. Ela me questionou porque saímos da festa logo em seguida, se quando ela foi embora me falou pra aproveitar bastante.
    Ela quase me fez acreditar que o errado fui eu e no meio da conversa ela procurou sugestionar veladamente de que não era bom eu comentar essa nossa conversa com meus pais.
    É claro que conversei com eles e os ouvi muito e é por isso que estou aqui enviando essa mensagem.
    Ela fazia terapia quando a conheci e o psicólogo dela disse que ela é controladora, manipuladora e possessiva. Ela ficou muito brava com ele e não admite. Só que depois de tudo isso estou preocupado e confuso, pois sinto que é isso mesmo. Ela quer que eu vá passar o natal com a família dela, mas meus pais agora estão preocupados porque ela pode me colocar numa situação dessa novamente e eu estarei sozinho num lugar distante. Meus pais tem razão quando diz que não dá mais pra confiar.
    Adriana, me ajude a entender um pouco tudo isso, é possível? Eu a amo muito e quero entender pra poder agir positivamente.
    Muito obrigado
    Ulisses

    ResponderExcluir
  46. Ulisses, ela é o que o psicólogo dela disse. Era para ela chegar a se enxergar e não ouvir de outra pessoa o que ela é, porque nesse caso não funciona, a pessoa nega e pronto. De qualquer forma, vc não pode ser dócil desse jeito, ela está parecendo tua mãe e vc o menininho bom... quanto tempo vc vai aguentar isso? Teu pai tem razão também. Agora, quem precisa de ajuda psicológica é vc, porque pelo jeito é facinho de pegar numa téia e fazer de vc o que se quiser... Cuidado, Ulisses!

    ResponderExcluir
  47. mas no caso do manipulador, o que fazer pra mudar sua propria natureza?

    ResponderExcluir
  48. Oi...Estava pesquisando na net por artigos sobre pessoas manipuladoras... e eis que abri este e comecei a ler...A minha questão é seguinte Dra. Adriana...é mau demais para ser verdade...mas aqui vai...e me dê por favor a sua opinião...
    Eu tenho 38 anos e há um ano atras conheci uma prima que morava muito perto de mim...não sei porque nunca nos conhecemos antes...ela tem 40 anos e é uma mulher linda, corpo e cara de modelo, tem muito dinheiro, um carro topo de gama e mora numa zona fina, eu não sou rica, mas sou uma pessoa com carácter e principios...ao inicio a minha prima parecia-me simpática...mas como a verdade vem sempre ao de cima, este natal me deu a sua prenda de natal...que foi uma atitude que nunca esperava dela...é familia...familia deve se amar...
    Ela tinha um namorado de 4 anos que já vivia com ela,e que tinha sido o namorado da irmã dela e ela roubou o namorado à irmã, recentemente veio um amigo de infancia da minha prima que morava noutro país e ela fez questao de me apresentar, porque dizia gostar muito de mim e querer ter um casal com quem saisse mais o namorado dela.Ela apresentou-nos, entendemo-nos perfeitamente, parecia um sonho, dizia que parecia que me conhecia ha anos e sentia-se à vontade comigo, ele disse ser da mesma religiao que eu...enfim...era tudo bom demais para ser verdade...e ele me disse coisas que me encantaram...e eu deixei-me levar...
    Conclusao...porque é mau demais...a minha prima me apresentou o moço,nós começamos a sair e de seguida acabou o namoro de anos...e só tem saido com esse tal moço,que dizia gostar tanto de mim e da minha companhia e que desde que ela acabou o namoro nunca mais me ligou...ela agora se faz de vitima...e eu tenho a certeza que me usaram para andar um com o outro e o namorado dela não desconfiar...porque como eram amigos de infancia e ele andava a sair comigo ninguém iria desconfiar, e também acho que me mentiram sobre a religião dele só para eu pensar que ele era o homem ideal...ela tb tem um filho de 22 anos que não fala com ela nem quer ouvir ouvir falar o nome dela, eu sabia, sempre a apoiei... e esta é a minha paga de ser amiga dela ...mas me diga...ela é manipuladora ou não??? Esta situação toda me deixou bastante confusa...porque meu lema de vida é Nao faças aos outros o k nao queres que te façam...Bem haja!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que sua prima não é só manipuladora como também uma NARCISISTA. Se for o caso, praticamente só há uma coisa para fazer: FUJA!

      Excluir
  49. Leia meu texto: Ser bons, não bobos http://www.psicologiadialetica.com/2009/09/ser-bons-nao-bobos.html

    E outro: Ingenuidade http://www.psicologiadialetica.com/2010/09/ingenuidade.html

    Há outro sobre família... procure no blog...

    Precisa abrir os olhos e viver mais de realidade e de sentidos/instintos do que de ideias.

    Ser família = não significa necessariamente alguma coisa.

    Abraço

    ResponderExcluir
  50. Prezada Adriana, simplismente não sei o que fazer.
    Sou a filha do meio, de três irmãos. Sempre fui vítima de minha irmã mais velha. Ela é manipuladora ao extremo. Quando crianças, era fato, toda brincadeira ela liderava. Porém, como eu sempre fui muito esperta, observadora e sagaz, se ela liderava, eu sempre tinha soluções e criatividade para tudo. Contudo, alguns dos nossos colegas em comum, as vezes eu sentia que preferia ela e eu não entendia porque. Aos poucos fui entendendo, ela por tras de mim, se desfazia de mim e ajuda os outros a me sacanear. O tempo foi passando. Veio a adolescência, e o mesmo problema. Hoje, estamos com 34 (eu) e 35 (ela) e passo pela mesma situação. Quando tem eventos ela diz para os outros que eu não gosto de sair, por isso não me chama ou que chamou e eu recusei – o que é, na maioria das vezes não é verdade. Tá sempre dizendo para os outros o que eu não gosto de forma negativa e depreciativa, e os que não me conhecem, acabam por acreditar. Nossos pais, nunca prestaram atenção nessas maldades dela. Lembro-me de uma vez, nós tinhamos na faixa dos 10 ano, como eu era muito grudada com uma amiga nossa, ela mandou uma bala com um monte de desaforos para a menina, quando a menina foi reclamar ela disse que era mentira, deu uma confusão danada e nosso pai me proibiu de andar com a menina. Hoje, olhando para traz, vejo o quanto ela me prejudicou. O pior de tudo é o quanto ela prega pequenas mentiras para sair por cima de tudo. Ela é do tipo manipulador feminino (indireto, disfaçado e venenoso). Sempre boazinha, disponível, disposta a ajudar e doar. Sempre quando é a vez dela em tudo (aniversário, formatura, quanquer coisa), eu sempre me dou (ou doava) de corpo e alma. Mas quando é a minha vez, ela sempre dá uma desculpa para não ir, não fazer, e blá blá blá. A última dela foi no Reveilon de 2012/2013. Pior, ela inventou uma fofoca envolvendo uma prima. Fofoca essa que eu sou soube agora em 07/01/2013. Como fomos muito pobres quando pequenos, ela já chegou a dizer que nossos pais não deveriam ter tido mais filhos, somente ela, o que me chocou completamente. Eu admito minhas faquezas, sei que sou um desatre com os homens, hoje me cuido mais, mas na minha adolescência eu não tinha instrução a respeito de nada em relação a cuidados pessoais, sempre fui mais reservada, mas sou uma pessoa como outra qualquerm com defeitos e qualidades, vivendo a vida. Mas ela consegue transformar essas fraquezas em algo muito maior, do que elas realmente são. Por anos eu até me acovardei e cheguei a acreditar na “boa” opinião dela em relação a certas coisas, mas com o tempo percebi o tipo de pessoa que ela realmente é.
    Sabe Adriana, mesmo longe dela, ela continua tentando me atingir. Como me livrar disso?

    ResponderExcluir
  51. Triste situação. Vc precisa entender com mais profundidade essa situação para desarmar as bombas e sair desse karma. Parece um karma. Irmãos nascem às vezes para resolver problemas, o que nem sempre conseguem. A tua irmã no mínimo está em competição com vc, é insegura, ciumenta e maldosa. E teus país foram omissos. Se quiser posso te ajudar a resolver isso, é o trabalho terapêutico que faço. Entre em contato.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece um karma mesmo. Por mais que eu ignore, ela continua. A situação até mudou. Quando eu não respondia, ela me atacava frontalmente, depois que eu adotei a política do "bateu, levou" e passei a responder em tempo real e de maneira clara e objetiva, questionando e jogando a responsabilidade para ela, ela passou a intensificar esses ataques por traz, manipulando e plantando pequenas sementes de maldade, principalmente com os nossos amigos em comum, para me isolar socilmente.
      É bom saber que tem solução, desejo saber os valores e condições da terapia. Meu e-mail é dinammotta@gmail.com.
      Um grande abraço e obrigada pela ajuda.

      Excluir
  52. OLA,NAUM SEI MAIS OQ FAZER AS MINHAS CUNHADAS(3)E MINHA SOGRA,NA FRENTE DO MEU ESPOSO SÃO UM AMOR MAS QUANDO ELE NAUM ESTA POR PERTO,SOCORRO,FALAM DE MIM,COISAS Q NAUM FIZ OU CONVERSAS Q NAUM FALEI,SOU BEM NA MINHA,AS PESSOAS ACHEM Q SOU O ¨BICHO¨,POIS ELAS INVENTAM DEMAIS,SE FALO PRA ELE,ELAS SE FAZEM DE COITADINHAS,E MIMHA SOGRA ATE MENTE Q ESTA DOENTE...JA ATE UM CERTO PONTO ACHEI Q ESTAVA ENDOINDANDO,Q ERA COISAS DA MINHA CABEÇA,SE NAUM VO LA ,FALAM Q SOU ORGULHOSA ONDE JA SE VIU...SE VOU,QUANDO ESTOU LONGE DELE(ESPOSO)ME HUMILHAN,SE DESFAZEM DE MIM...FAZEM DE TUDO PRA ME DIMINUIR...ELAS QUEREM SABER DE TUDO OQ ACONTECE...

    ResponderExcluir
  53. Adriana, muito sensato seu texto. Acredito entretanto, que este tipo de classificação não é muito adequado quando tratamos de interações humanas. Já imaginou se a partir de hoje comecemos a nos entender como "manipuladores" e "outros", particularmente essas categorias só me trouxeram problemas pessoais, igualmente a psicoterapia me levou a uma tentativa de suicidio...enfim, ver-se como um "manipulador", "histérico" "obsessivo" não é uma boa forma de tentar mudar uma realidade pessoal, e infelizmente, me sinto uma testemunha viva de que a medicalização da vida - clinicalização da psique - pode ser tão prejudicial quanto a própria "neurose" em questão, especialmente quando não conduzida de maneira adequada.

    abraços

    ResponderExcluir
  54. Anônimo das 3 cunhadas e da sogra... precisa sair do papel de vítima e aprender a lidar com a situação. Isso significa vc fazer terapia.

    ResponderExcluir
  55. Cristopher, nada nesse blog vai na direção da medicalização, muito pelo contrário. Outra área da minha vida é trabalhar com a humanização do parto e nascimento que é exatamente o oposto da medicalização. Esse mesmo processo está presente na psicologia que tende a patologizar. Entretanto, as pessoas precisam ter instrumentos para compreender o que lhes acontece. Isso não é categorizar. Não sei que tipo de terapia vc fez, mas parece que lhe fez mal. Sinto muito e, acredite, empatizo com vc.

    ResponderExcluir
  56. Adriana, tenho dúvida se meu namorado é manipulador ou algo do tipo. Ele me disse q seu maior problema eh a questao sexual. Porem ele me conta qse tudo, inclusive qdo eu peço, se alguma menina esta dando em cima dele. Sou bem ciumenta e isso aconteceu, mas ele e eu pensamos q era soh o jeitpo dela. Porem ela começou a enviar msgs de bom dia e mandando beijos... Ele estranhou e eu alertei logo q ela estava sim afim dele. Tenho medo q ele esteja escondendo algo de mim. Peço pra ele cortar relaçoes com ela?

    ResponderExcluir
  57. Pergunte para ele o que ele quer fazer. Vc não pode mandar na vida dele. Ele tem que saber o que quer fazer e fazê-lo.

    ResponderExcluir
  58. Quer sair da manipulação? Resolver seu carcere social?
    Tenho a solução.

    1. Perceba quando e como a Pessoa lhe supre, seus desejos, atenção, estima.

    2. Note as palavras de depreciação( se repetem ) Aprenda coach emocional.

    3. Guarde um tempo para você refleir, sobre o seu dia. O que gostou? Como se sentiu? De atenção a suas emoções.

    4. Supra suas necessidades de atenção e amor próprio, se ame, sejá grato por tudo que tem.

    5. Faça coisas que você gosta! Identifique o que pode desenvolver mais dentro de sí. Relacione-se, identifique pontos de tensão em seu relacionamento e seja assertivo? Na hora da reflexão fale a si mesmo. Como poderia ter feito diferente? e Crie 3 situações de respostas aceitaveis. Você criara respostas criativas e alternativas as suas situações.

    6. Integre-se consigo mesmo e com os outros, reduza a fatia da Pessoa, sua atenção estara focada em VOCÊ!

    7. Disprenda-se dos seus pensamentos colados. Mande os pensamentos pras nuvens e aproveite a essencia da paz.

    8. Se todas essas sugestões tiverem um efeito não desejado por você. Aprecie o curriculo de um bom terapeuta, que fara uma massagem em seus pensamentos e relaxa-ra seu comportamento cristalizado. Avalie o curriculo dele a experiencia e o conselho de Psicologia( se ele faz parte).

    9. Abra agora o LISTEL lista de psicologos da sua cidade. Ligue, marque uma consulta, a primeira é gratis e sai da sua zona de conforto.

    10. Pergunte-se estou feliz com esse relacionamento? Se foce começar um relacionamento assim gostaria de iniciar? Até que ponto basta para mim?

    E procure Adriana para uma consulta.

    ResponderExcluir
  59. Sou adulta, casada e mãe. Mas até hoje me pego confusa pelo tratamento que minha mãe me dava na infância e adolescencia. Ela teve um casamento sofrido, meu pai alcólatra, agressivo e não trabalhava. Ela era pai e mãe de família. Eu sabia que ela sofria, mas não entendia porque ela me chamava de inútil, besta, burra, falava que eu jamais seria boa esposa, boa nada. Eu era muito nova, nem queria saber dessas coisas. Me lembro de tapas no rosto, dela rasgando roupas no meu corpo, quebrando coisas minhas. Não era sempre, mas era sem eu esperar ne entender. Depois que fugi de casa pra morar com meu atual marido há oito anos, ela se tornou uma mãe maravilhosa, carinhosa. Mas tem milhares de coisas que ela usa o choro e a emoção pra conseguir de mim. Eu não faço quando acho que é cena e ela depois pede desculpas. Qual delas é minha mãe de verdade, a de antes ou de agora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As duas. Uma sob a responsabilidade da maternidade em condições difíceis, a outra sem essa responsabilidade, já que vc é independente agora. Isso, entre outras coisas. Valeria a pena você começar um dialogo sincero e redentor com sua mãe.

      Excluir
  60. Eu tenho um filho de sete anos, também sou filha única. Meu marido tem filhos de outro casamento mas convivemos pouco. Cansei de ver meu marido sendo amoleçido pela ex e plo filho deles, ela muda até o tom de voz pra dar uma de coitados pra ele e ele fica com dó do filho, passa a mão na cabeça e talz. Meu primeiro plano era ser feliz com minha familia, incluindo enteados. Mas quando percebi que não conseguiria lidar bem com algumas coisas decidi deixar meu marido resolver a parte dele pra lá sem esquentar mha cabeça e acabei focando só em mim e no meu filho. Cuido do meu casamento mas saí fora do assunto enteados pra não ficar doente,pq vivia nervosa com certas coisas. Só que quero ser uma mãe boa e criar meu filho pra ser independente e tenho medo de acabar conseguindo efeito contrário porque somos absolutamente ligados. Não fazemos nada um sem o outro. Não sinto medo de perder ele, ele tem gostos pessoais, opinião dele, ensino tudo pra q ele possa fazer sozinho.... mas vivo mesmo por ele, pensando sempre no que é melhor para ele. Posso estar fazendo alguma coisa errada, mas só consigo enxergar um enorme amor. Não quero causar nenhum trauma ou dependência no meu filho mas tnho medo q a superproteção deixe ele com marcas no futuro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Moça, o problema é que vc, ao "deixar o problema dos enteados de lado" deixou seu marido também, e se focou no filho. E dá no que dá, uma atenção excessiva nele porque não há o companheiro para equilibrar. O que seu marido é com os filhos dele será com o seu e dele. Isso significa que não há como escapar do problema. O que vc fez foi tirar o problema do caminho e com ele foi seu marido, ou sua confiança nele, seu contar com ele - e focou tudo no filho....

      Excluir
  61. Pô minha situação é estranha ah tudo aqui é estranho... tenho 27 anos nunca namorei por não querer mesmo coloquei pesos nas condições financeiras e tempo. Não me sinto infeliz por isso, mas tenho uma amiga de infância nunca tive interesse a mais nela e ela (pelo menos eu nunca vi nada ha mais). Eu gostei da irmã dela mais nova e ela saia com caras de relacionamentos claramente infrutíferos eu nuca entedia mais nada que me abalasse muito, mas ela no dia do meu aniversário deliberadamente veio a me dar os parabéns por uma rede social também postando o seu inicio (mais uma vez infrutífero)de namoro, entendi... Para piorar a filha da minha amiga na qual crescemos parece gostar de mim desda cedo e quando ela teve a oportunidade deixou bem claro, foi ai que percebi que a minha "amiga" agia por trás. Ela começou a tentar induzir comportamentos e colocar a filha em situações que eu certamente jugaria horrendas! Bom a irmão dela parece ter aceitado a se juntar agora de bom grado contra a filha.
    Gosto muito dela mas as perturbações mentais são muitas e intensas foco agora em deixar claro comportamentos para ela que não levem a provocar sofrimento por puro egoísmo.
    Sou do tido de pessoa que vai sempre atrair este tipo de coisa não é querendo ser egocentrístico mas minha autoconsciência é fantástica. Julgue a manipulação errada aos 13 ganhei ascensão social me formei e agora quero um relacionamento só que ao passar pro isso quando olho as pessoas vejo suas fraquezas tão exposta que tenho medo de utilizar isso sem querem, na verdade de modo errado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael, vc já pensou se não existe em vc o medo de se entregar e ser vulnerável?

      Excluir
  62. Olá obrigado por responder Dona Adriana! Na verdade tenho mais medo de fazer algo de errado para a outra pessoa. Não é tentando me justificar não! Tenho a fama de ser o "senhor certinho" o que não erra, o sabe tudo. E sim acabo controlando tudo a minha volta, não é um controle escravo, não sou eu que vou até as pessoas elas e que vem até a mim. Confesso que ultimamente com algumas coisa que aprendi estou meio perdido nesta parte...
    Mas estou conversando com uma menina e já marcando algo talvez no próximo post eu fale para Sra que estou namorando. Adoro o jeito dela interagir comigo e com os outros. Sua observação já imaginei claro. Se fosse inteligível ser vulnerável acredito que para tudo tem uma margem de segurança. Filosofando entre as pessoas ser surpreendido e enganado são coisas bem diferentes! Obrigado bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo de bom para vc então, Rafael. Continue SE observando e aprendendo. A vida ensina :-)

      Excluir
  63. Olá, gostei do artigo sobre manipuladores, e analisando melhor em uma situação amorosa que o perfil enquadrada no manipulador feminino. Descobrir contato meu caso para um psicologo bastante experiente. O meu ex namorado, que faz duas semanas que não cortamos contato, por tais razões, estava consumindo minha energia, usava e abusava do meu amor e em seguida me descartava como um lixo. E incrível não enxergava o problema, o amor que tenho por ele não deixava ver, mas tive procurar ajudar e estou sentindo muito bem, é sungar emocional, que não conseguia entender. Ainda mais de um homem de 48 anos agindo assim é muito triste e lamentável

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O vampirismo emocional é muito comum. Parabéns a vc que conseguiu sair dele. Se cuide.

      Excluir
  64. Olá, Adriana.
    Não costumo participar desse tipo de debate, mas a qualidade e precisão do seu texto me motivaram a comentar e saber se tem uma opinião sobre o meu próprio caso. Sou um manipulador do tipo bruxa. Identifiquei isso há pouco tempo, até então não sabia que era assim. Ou sabia e não admitia. Só admiti (ou soube) quando me interessei por outro manipulador do mesmo tipo. E por isso cheguei ao seu texto. Procurando certezas das minhas impressões. A questão é que ter, no meu caso, esse comportamento cansa. E estou cansado. Mas coloquei como condição fazer com que o outro manipulador deixe de ser pra que eu também deixe. Um jogo empatado. Coloco no sucesso em fazer com que ele deixe de ser uma espécie de redenção, ao mesmo tempo que não consigo identificar se é apenas mais um capricho. E pela primeira vez me sinto perdido.
    Parabéns pelo texto, mais uma vez. Até.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua condição não funciona e é mais uma manipulação baseada no medo. A solução é aprender a desnudar-se e usar seus conhecimentos "internos" de como funciona a manipulação para o bem seu, da outra pessoa e da relação. Para isso, precisa de terapia :-)

      Excluir
  65. meu deus! todas as caracteristicas da minha irma. A boazinha. Só agora, 23 anos depois que eu me atentei que eu comia o pao que o diabo amassou na mao dela. Ela ta destruindo a familia. Só nao sei se ela tem consciencia disso, pq se nao tiver, tenho pena, mas se tiver, é muita perversidade .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Impossível que ela não tenha se dado conta de alguma coisa. O problema é que essas pessoas manipulam a própria percepção das coisas, portanto conseguem se manter inconscientes. Mas no fundo, sabem que tem algo nelas errado...

      Excluir
    2. Eu sei que é minha irmã, mas ela me culpava tanto, mas tanto que eu chorava as escondidas sem saber o que eu realmente estava fazendo. Ela me responsabiliza por tudo. Ela faz assim: cria a situação e depois manda eu ir resolver e eu ficava sem saber o que resolver. Em suma, ela joga contra mim uma pessoa que eu me dava muito bem e depois manda eu ir lá me reconciliar. Eu não conseguia perceber que ela me manipulava, e eu tentava achar em mim o problema pra tentar mudar minhas atitudes. De uns tempos pra cá comecei a rebater os argumentos dela, falei o que ela me fazia sentir: culpa, peso na consciencia e ela mudava completamente de assunto e dizia que tava preocupada com a minha filha, que talvez o meu emocional estivesse abalado, e do nada colocando a minha filha no meio da história. Ela jogou todo mundo contra mim, inclusive minha mãe. Minha mãe me vê e já vem me julgando. A pessoa que ela colocou contra mim tá na completa merda, sofrendo de depressão e outras doenças relacionadas ao psicológico. E ela insinua que é por minha causa. Essa minha irmã não faz nada da vida, não para em emprego nenhum e não conquistou nada, não possui nada e toda vez que eu conquisto alguma coisa ela insinua que eu tenho obrigação de ajudar ("sustentar") todo mundo. Já sofro com isso há muitos anos, inclusive ela recentemente tentou jogar veneno sobre o meu marido elogiando ele e depois fazendo referência ao meu passado. Essa semana li uma reportagem sobre manipuladores e incrivelmente ela se encaixava nas 30 características citadas. Tô devorando esse assunto e quanto mais eu cavo mais vejo que o nível de influência que ela faz sobre outro membro da nossa família é tão grande, que já tive até medo de sofrer um atentado contra a minha vida. Tô vendo o quanto ela é uma cobra, não sei se sinto ódio ou misericórdia. Tô chocada que exista pessoas que massacrem o emocional das outras, veem a pessoa a beira da depressão e não sentem nada!!!!!!!!!!!!!!. Aliás, ela ultimamente estava se queixando que estava com insônia direto. Acho que de uma forma a consciência deve estar pesando. Esse é o tipo de assunto que se eu falar pra alguém ninguém vai acreditar em mim pq ela é tida como a boazinha, a justa, a generosa, toda solícita e cheia de boa vontade mas é uma víbora venenosa. Não sei como lidar com ela daqui pra frente, agora que eu saquei a dela. Não adianta discutir, já fiz isso e ela muda de assunto e vem toda preocupada com a minha família, tentando me fazer me sentir culpada por discutir com ela. Ela mete o pau em todo mundo por trás aí no facebook fica curtindo e elogiando todo mundo. Ah. vai tomar no cu!! Deus me ajude!!!!

      Excluir
    3. Desculpe o desabafo, mas tô engasgada aqui. Só pra vc ter uma ideia, minha irmã só me procurava pra me jogar bomba. Bomba essa, que ela mesma plantava. E mandava eu resolver como se eu fosse Deus, como se eu fosse a única que poderia resolver. Ela nunca me poupou. E ela sempre tirava o dela da reta, sempre com desculpas que não dava pra ela resolver e coisa e tal. E eu burra, idiota ia lá e resolvia, as vezes me sacrificava pra resolver. Ai no final, ela dizia que eu não tinha feito nada e que eu poderia fazer mais. Nada do que eu fazia satisfazia e mesmo que eu desse o meu melhor ela dizia que eu tinha condições de ter feito mais. Pra vc ter uma ideia, quando ela me ligava eu ficava tão tensa que eu cheguei a fazer tratamento psiquiatrico com lexapro e rivotril pq eu tava com síndrome de ansiedade generalizada. Eu estou me sentindo meio desorientada por causa da indignação que estou sentindo. Tenho muita pena da outra pessoa que está envolvida, que eu me dava super bem e hoje me odeia com todas as forças e defende essa pilantra, safada.

      Excluir
  66. Já pensou em fazer uma boa psicoterapia? É disso que precisa. Faça algo de bom para si mesma antes que seja tarde demais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como funciona a psicoterapia com vc? Gostaria de conversar com quem entende desse assunto especificamente.

      Excluir
  67. Olá Adriana, e quando a própria pessoa se vê manipulando a pessoa que ama e quer mudar por amar demais essa pessoa e não quer perde-la por isso, o que fazer ? quais são os primeiros passos pra mudar e se policiar, para não cometer o mesmo erro e magoar a pessoa amada sem perceber o que esta fazendo ?

    ResponderExcluir
  68. Augusto, primeiros passos: se policiar, se entender (por que faz isso?), resolver a raíz do comportamento, e desenvolver uma nova forma de relação.

    ResponderExcluir
  69. TERAPIA COMIGO: entrar em contato pelo meu email adrianatnogueira@uol.com.br.

    ResponderExcluir
  70. oi Dra. Adriana, aos uns anos atrás minha filha brigou com a vizinha, ela trabalha com minha mãe mais idosa que ela, uns 20anos de diferença, essa briga aconteceu por ela não aguentava mais ver sua vó ser enrolada, a mesmo tempo essa outra mulher se fazia de boazinha, coitada e se aproveita de sua vó de 80 anos, que por sinal ajudou a comprar a casa do lado da minha, essa mulher ameaçou pegar minha filha na rua, jogou pedra que quase acerta minha mãe e sua filha ainda se meteu na briga querendo agredir minha filha, bom no final dessa história ela manipulou uma colega que estudava psicologia e que estava trabalhando numa delegacia de transito e quis nos intimidar, nos agimos de acordo com a Lei e fomos para delegacia da mulher registrar a ameaça, somente deu um documento de bom convívio, mas não adiantou, no mesmo dia essa mulher tentou me agredir, quando eu saio de casa as vezes me deparo com suas filhas faz ação de agressão, batem na pareide ao para me provocar, porquê isso? tudo poque ela tem mais contato com minha mãe, nem eu e nem a família deixa ela e sua filha chegar perto na minha mãe. Ela esta com ódio de mim e quer se vigar, procura motivos para provocação. Na delegacia só falou mentiras que nunca aconteceram,
    Veja bem essa mulher é acostumada a se fazer de coitadinha para conseguir as coisas, e mentira e normal do seu cotidiano.
    Ela hoje procura saber atrás de outras pessoas de mim, como vivo, de que dependo, manda as filhas da em cima do meu marido, seu filho dar em cima de mim , procura alternativas para mim atingir, que tipo de comportamento é Adriana, ainda mais, a minha mãe conhece todo mundo onde moramos e ela usada isso para ganhar dinheiro, que agora não tem mais, a minha mãe não trabalha mais com ela, e ela tá desesperada, a minha mãe era ponte para conclusão dos objetivos serem concluídos.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dra. Adriana desculpe-me meus erros de português, na digitação engoli algumas letras, e desculpe-me meu desabafo, essa mulher agora monitora minha casa dia e noite, procura escutar minhas conversas quando estou com alguém no portão, passa trote para minha casa de vários telefones.

      Excluir
    2. Que tristeza! Você não pode mudar de casa? Essa sua vizinha quer definitivamente o controle sobre sua mãe, a qual parece ser cúmplice..., e deve haver mais nessa história. De imediato, saiba que bater de frente com esse tipo de pessoa não adianta. Você precisa aprender com ela as armas para vencê-la.

      Excluir
  71. Por favor, me oriente. Estou sendo vitima de um manipulador com quem eu me casei e, segundo meus advogados, eu so posso sair da casa (dos pais dele) onde ele me colocou pra morar enquanto dizia que seria provisorio (o que nao é o caso) quando eu obtiver meus documentos de dupla nacionalidade. Até isso ele manipulou e me impediu de dar entrada e interferiu. Como a situaçao està etremamente critica, ao ponto de precisar da interferencia de policia e que eu sou obrigada a tomar calmantes pra suportar, a situaçao. Gostaria de saber como devo agir com ele uma vez que ele grita demais e me acusa de coisas que nunca fiz. Ele diz coisas que so um louco diria. Mas preciso esperar ainda oito meses. Como faço? Meu endereço é meire.mariani@hotmail.fr
    Por favor, me escreva. Fico aguardando.

    ResponderExcluir
  72. DNóssa Demorou pra chegar ate aqui em baixo. kkk
    Aentão quero saber se tem como uma pessoa ser maquiavélico e bonzinho, Nisso juntar os dois. tem como essas duas ficar dentro só de uma mente?
    Tobrigado.
    DIsso Ajudaria Bastante, bom nAão muito pKois já sei, mas qTueria saber de você.
    ????????? e aAi? hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, temos vários personagens internos. Pode haver o manipulador e o bonzinho. Agora: quem você realmente é ou quer ser? Isso depende de sua escolha - e responsabilidade.

      Excluir
  73. UAU! Boa noite/ dia Adriana! Adorei o artigo, lí todos os casos do início ao fim, meu deus, isso aqui dá um livro, um livro muito bom e instrutivo por sinal! Parabéns pelo Blog e pela ajuda e trabalho! Excelente sua capacidade de percepção (até onde a minha permitiu perceber), considerando que são textos, e que mesmo não estando frente a frente com as pessoas, você consegue captar a essência do que estão passando.

    Gostaria de lhe fazer algumas perguntas e não quero tomar muito de seu tempo, por que ele é maravilhosamente preciosíssimo! Se puder responder ótimo! Se não puder, ótimo!

    Antes das perguntas vou me explicar:
    Um indivíduo, que tive a "necessidade" de conviver em função de uma escolha profissional que fiz, do qual tive a benção de me afastar, é um manipulador ativo, extremamente egocêntrico, vaidoso, avesso a críticas quaisquer que sejam os níveis delas (talvez medo de perder o controle, considerando que é viciado em dinheiro e em controle)...com pouquíssima e quase nula empatia, salvo quando se identificava no outro, nas raríssimas vezes em que isso acontece, sempre suspeito de tudo e todos...sua principal arma, ao que pude compreender, é a utilização das fragilidades e impotências dos outros em uma dinâmica na seguinte tríade: culpa, medo e ambição utilizando do velho bate e amansa com todos à sua volta... Suas vulnerabilidades são a vaidade, o egocentrismo mascarado e a extrema necessidade de afirmação de sí mesmo, seus podres mais podres são a ganância, os fins justificam os meios, custe o que custar, e sua dissimulação interminável...ou seja, um indivíduo muito insatisfeito, amedrontado e desesperado...enfim...prejudicial a sí e aos outros, na ilusão "inquestionável" de ser "grande"(maior que todos) e na necessidade de realizar essa imagem...

    Sempre que alguém é sincero com ele, na tentativa de criar uma assertividade, mesmo tratando-o como copo de cristal, ele usa a sinceridade da pessoa para tentar controlá-la, para sentir-se seguro (acho eu). De forma a tornar a decisão profissional viável, considerando a existência de outros envolvidos e a tendência à síndrome do pombo enxadrista que o mesmo apresenta, tentei entrar no jogo, e depois de estudar e aprender, e finalmente decidir, em função do que pude entender até então, e em função das circunstâncias...resolvi ser o então "submisso" que ele tanto desejava...
    Tornei-me o espelho dele, sendo, em imagem, o que ele queria, e, portanto, manipulando-o em retorno...Usei da dissimulação e do sinismo, sempre como um contra-ataque dos mesmos comportamentos...consegui me retirar portanto da situação sem grandes prejuízos a mim, mesmo tendo sido "omisso" a outros, tratando-se esse de meu prejuizo (não aconselho esta estratégia para quem quer que esteja lendo, não é sempre uma solução com final feliz)... Sinto um impulso de querer ajudar os outros envolvidos (emocionalmente frágeis apesar de maiores vacinados e presunçosos, dos quais não sou responsável) que estão em sua teia, mas isso envolve tamanho dispêndio de energia... e nem sei ao certo se eles são merecedores, ou seja, me restam dúvidas.

    Então vêm as perguntas:

    -Esse indivíduo, ao menos como descrito, ESTÁ DOENTE? É algum tipo de doença mental a falta de empatia?
    -Um sociopata tem cura?
    -É possível mostrar a esse tipo de indivíduo suas sombras (traumas, crenças, etc...)? Ou ele só mudaria vendo-as sem a orientação de terceiros? (se é que mudaria)
    -Um sociopata que entende a origem de seus traumas, deixa de ser um sociopata?
    -É possível ser sincero com um manipulador controlador? Ou só resta a opção A > Se afastar ou B> Contra-manipular (a tal bruxa, "passiva")...ou, como lidar, uma vez sendo "necessário" lidar?
    -Me precipito ao compará-lo a um suicida auto-destrutivo inconsciente (a longo prazo)?
    -Não sendo um dominador, nem um dominado, é possível viver em sociedade, em sua concepção?


    Grato, um novo admirador de seu trabalho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respostas simplificadas na base do que vc escreveu, que pode ser diferente do que eu veria dessa mesma situação se pudesse observar mais de perto:
      -Esse indivíduo, ao menos como descrito, ESTÁ DOENTE? É algum tipo de doença mental a falta de empatia?
      DOENÇA MENTAL ORGÂNICA? NÃO CREIO. É UM PADRÃO COMUM, BEM ADAPTADO NA CULTURA DE HOJE, INFELIZMENTE... FALTA MUITO MAIS DO QUE EMPATIA...
      -Um sociopata tem cura?
      NÃO SEI SE ESTE É E QUAL O NÍVEL DO PROBLEMA...
      -É possível mostrar a esse tipo de indivíduo suas sombras (traumas, crenças, etc...)? Ou ele só mudaria vendo-as sem a orientação de terceiros? (se é que mudaria)
      NINGUÉM QUER VER SUA SOMBRA! MUITO MENOS SER "ORIENTADO" POR OUTREM A QUEM NÃO PEDIU AJUDA. ALÉM DISSO NESS "BRINCADEIRA" DE MOSTRAR AOS OUTROS SUA SOMBRA VOCÊ PRIMEIRO DEVE TER MUITO CLARA A SUA.
      -Um sociopata que entende a origem de seus traumas, deixa de ser um sociopata?
      NÃO NECESSARAIMENTE.
      -É possível ser sincero com um manipulador controlador? Ou só resta a opção A > Se afastar ou B> Contra-manipular (a tal bruxa, "passiva")...ou, como lidar, uma vez sendo "necessário" lidar?
      ISSO DEPENDE DE QUEM VC É, SUA PERSONALIDADE, A SITUAÇÃO ESPECÍFICA, A SITUAÇÃO GERAL, O QUE ESTÁ EM JOGO, ETC. MANIPULAÇÃO É ALGO MAIS FREQUENTE DO QUE PARECE. SE TRATA DE DESENVOLVER UM ALTO GRAU DE CONSCIÊNCIA (E AUTO-CONSCIÊNCIA, OBVIAMENTE), PRESENÇA E INTELIGÊNCIA EMOCIONAL PARA LIDAR BEM COM O QUE FOR.
      -Me precipito ao compará-lo a um suicida auto-destrutivo inconsciente (a longo prazo)?
      NÃO TENHO A MENOR IDÉIA. SUA VISÃO DO SUJEITO DEPENDE DE QUEM VC É, DO QUE VC É, DO QUE SENTE, DA SITUAÇÃO EM QUE TUDO ISSO ACONTECEU, DE SEU HISTÓRICO, E ETC. QUEM VÊ É VC, SUAS LENTES ESTÃO APURADAS?
      -Não sendo um dominador, nem um dominado, é possível viver em sociedade, em sua concepção?

      Excluir
  74. Adriana, bom dia! Preciso muito de sua ajuda, sou casada a 12 anos, temos 03 filhos. Amo muito meu marido, mas ele sempre foi e continua agindo de forma infantil, achei que depois de casado e com filhos iria mudar, mas não, depois de discussão por "picuinha", ele fica de cara feia por dias, sem falar comigo, até aliança ele fica. Estou ficando muito cansada disto, sou eu que peço sempre desculpas pois ele nunca o faz, tenho que assumir várias coisas em casa do dia à dia, tomar decisões, pois ele não se envolve. Depois tenho que ouvir coisas do tipo, "eu lidero", sou "general", nem manutenção de casa ele faz, tenho que pagar para outros fazerem serviços básicos. Mas o ponto crucial, é a infantilidade, como faço para este cenário mudar?Tem cura? Sou cristã e não queria dissolução familiar (até porque tive outros motivos, tipo traição) e não o fiz, mas estou ficando cansada, creio que no fundo ele me manipula ? Me ajude? Parabéns pelo seu trabalho !! ME

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Terapia. Precisa de terapia. Ele é infantil e vê em vc uma mãe. Menino mimado não gosta de crescer até quando for tolerado e amparado.

      Excluir
  75. Olá Adriana!
    Gostaria de uma breve opinião, se possível.
    Lendo o texto me identifiquei em partes com o segundo tipo de manipulador, o "feminino". Tenho esta dúvida a anos, se realmente sou um manipulador ou não.

    Tenho 25 anos e sinto mais atração física e emocional por garotas mais jovens (adolescentes) do que outras de minha idade. Venho de um namoro longo com uma pessoa 5 anos mais jovem que eu, que chegou ao fim.
    Recentemente me envolvi com uma garota de 16 anos, ficamos por alguns meses e demos fim à relação. Estou muito apaixonado por essa recente garota, ainda sentindo as dores do amor e da perda.

    A questão é que me pergunto o quanto errado é me envolver com uma adolescente, até onde esses desejos vem de uma imaturidade afetiva?
    E também me questiono se são sentimentos verdadeiros ou se eu uso da inocência delas para suprir uma carência emocional, uma situação como li acima, de não conseguir ficar sem ser amado por alguém.

    Às pessoas com quem convivo e tenho mais intimidade, perguntei como me descrevem. Escutei muito bom coração, racional, dedicado, confiável. Mas será mesmo?
    Então, o que achas, chapeuzinho ou lobo mal?

    Ah, parabéns pelo texto e pelo site, são de grande ajuda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você já está com a pulga atrás da orelha, pelo visto. E já respondeu indiretamente à sua pergunta. Um homem de 25 com uma adolescente... tem algo estranho, não é? É muito mais fácil "administrar" uma pessoa mais nova e portanto menos experiente do que uma da nossa idade, não é? O que não significa necessariamente que você seja um manipulador, mas alguém que demonstra imaturidade afetiva e/ou insegurança. Dalí pode se tornar manipulação também...

      Excluir
  76. Adriana Muito obrigado pela Publicação abraços

    ResponderExcluir
  77. E se um manipulador agir de amos os jeitos? feminino e masculino, de que tipo ele seria?

    ResponderExcluir
  78. Me ajuda por favor moça, eu não consigo deixar de ser manipulador, aconteceu e acontece muitas desgraças na minha vida, tenho muitos traumas, como disse a maninha aí em cima tem um fundo de verdade, porque antes dos 14 anos eu era "o cara", daí eu comecei a pesquisar coisas na internet e mexeram com a minha cabeça e fui piorando cada vez mais e só pecando, pecando, pecando, sem me dar conta até que aconteceu dois traumas muito fortes na minha vida e depois do último trauma eu mudei completamente parece que eu perdi minha alma, mas eu ainda tenho vontade de mudar dentro de mim, eu não quero morrer, tenho vontade de viver mas não consigo viver, eu já tive muitos traumas, mas o primeiro trauma grave que eu tive afetou a minha moral e me levou ao segundo trauma onde eu fiquei internado numa clínica que me torturava, eu fui obrigado a fazer e a pensar coisas que eu não queria para sobreviver e parar de ser torturado, sofri demais, pior que filme de terror, conscientemente o primeiro trauma é o pior o segundo fica mais no inconsciente que também é importante, ninguém me ama mais nem a minha própria mãe, eu só fico trancado dentro da sala com som alto pra não ouvir o barulho das pessoas da vizinhança que me afetam muito, não sei mais o que fazer eu preciso de ajuda eu ja tentei me matar muitas vezes mas eu quero morrer sem dor e humilhação, gabrielpr09091992@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Procure ajuda psicológica. Se quer sair dessa, precisa ir ao um bom psicologo. E já.

      Excluir
  79. Adriana,

    Gosto de algumas de suas postagens, portanto vou comentar, pra compartilhar a experiência.

    Considero que uma pessoa pode se tornar manipuladora em razão das condições ambientais a que esteve sujeita.

    Portanto, este egoísmo me parece mais complexo do que simplesmente motivado pela vontade de enganar o outro.

    Pense da seguinte maneira - tentarei personalizar a narrativa, o que tornará mais difícil lidar com a questão apresentada, pois incorrerá no problema do vitimismo, que não justificará as ações descritas, mas demonstrará o que estou tentando exemplificar.

    Imagine que você acreditou durante muitos anos de sua vida em histórias mentirosas sobre a realidade - na bondade inata dos seres humanos (mesmo roendo unhas compulsivamente, curiosamente) - tendo se esforçado para ser uma pessoa ética - e razoavelmente bondosa - durante quase 20 anos de sua vida.

    Imagine-se sentindo muita culpa, acreditando no cristianismo e considerando a homossexualidade condenável, justificando insistentemente (por meio da religião) o fato de você não ser amado (ou não se sentir amado), tentando amenizar os efeitos das perseguições escolares.

    Imagine-se chegando a um ambiente universitário, tendo saído de casa aos 17, caindo em um mundo desumano, explorador, e de pessoas egoístas que reproduzem um sistema de classes perverso.

    Neste sistema você passa a usar uma, ou outra droga, e passa a frequentar bares com amigos, observando os comportamentos e os desejos que vão se apresentando nas ocasiões de socialização.

    O choque destas experiências, e de outras mais intensas, te desorienta durante um tempo. Você descobre que as pessoas são egoístas e que só pensam em si mesmas. Que elas não são inatamente bondosas e que nada que fazem pode, em momento algum, desconsiderar suas necessidades e fantasias pessoais.

    Passados alguns anos adquire estabilidade, mas continua existindo num universo de pessoas que me parecem demasiado neuróticas para perceberem que vivem em um mundo cheio de gente perversa, sádica e manipuladora.

    As observa se unirem e se separarem, literalmente "usarem" umas as outras, e pensa: "se eu não tivesse pensado em mim, estaria numa situação precária agora".

    Afinal, o que estou tentando te dizer é que é difícil acreditar no amor. Quero dizer, considerando-se um histórico de abuso sexual, a mera constatação da violência cotidiana contra homossexuais, o sistema econômico individualista e neoliberal, que sustenta a ética de que cada um deve viver para e cuidar de si mesmo, a estrutura perversa de determinadas famílias, e assim sucessivamente, cada uma destas variáveis molda este tipo de caráter a que você se refere - aliás, em sociologia há um livro sobre o tema chamado "A corrosão do caráter" (Sennett).

    ResponderExcluir
  80. Realmente, não sei se simplesmente basta querer acreditar no mundo e na possibilidade de que nada disso que narrei tenha sido vivido, ou constatado verdadeiramente - e, ao final de contas, gostaria de dizer que é isto o que me motiva a ser uma pessoa "manipuladora", "obsessiva" ou "paranóica"e relativamente cruel.

    Não sei se existem pessoas que nascem predeterminadamente (genética, ou naturalmente) vazias e desumanas, mas acredito, por estar acompanhando atualmente a vida em outro povo (cultura - indígena), que, ao menos em partes, nossa cultura esteja por trás da construção deste tipo de personalidade, pois é uma sociedade que institucionalizou fetiches em relação a morte, a competição e a hostilidade (e a guerra), uma civilização etnocída que mutila seus indivíduos, e que é igualmente seu algoz.

    Aliás, quando converso com indivíduos visivelmente anti-sociais, a primeira coisa que digo a eles é: "Eles querem que você faça 'isso e isso', assim poderão trucidá-lo".

    Enfim, não quero justificar esse narcisismo do "meu próprio umbigo", só tentei demonstrar que, dentro das atuais condições de nossa vida em sociedade, este processo de regressão a um narcisismo quase-primário, que nos torna egoístas ao extremo, é bastante comum, sistêmico e, quiçá, necessário a sobrevivência, mesmo que parca, dos indivíduos.

    ResponderExcluir
  81. Olá,
    venho passando por um namoro bem complicado. Namoro à distância, nos vemos nos finais de semana. Há dois anos só temos brigas. Meu namorado parece sempre pegar meus pontos fracos para me colocar para baixo, como partes físicas que eu não gosto e acentuar essa característica, ou tentar insinuar que estou velha e que mulheres velhas não conseguem encontrar homens (ou são largadas por outras mais novas); causar ciúmes porque sabe que sou insegura... coisas do tipo.
    Sempre tenta me deixar culpada, reclama que sou reclamona e tudo o que vou colocar da relação ele retorna com essa queixa de que eu só sei reclamar. Nesses momentos fica sem falar comigo direito, ficava seco, grosso, sem me responder. Antes eu caia nessa, ficava mal, achava que estava botando meu namoro a perder com minhas chatisses; pensava em diversas formas diferentes de colocar alguma questão que estava me incomodando para não parecer chata. Enfim, muito desgastante.
    Faço terapia há bastante tempo mas já faz um tempo que tento ficar atenta a esses jogos emocionais de manipulação que ele faz e tentar inverter o jogo. Mas o resultado é que parece que ele sempre consegue de alguma forma me atingir. Ele é muito inteligente e racional.
    Fico pensando se isso terá fim. Estou chegando à conclusão que é melhor procurar outra pessoa (além de continuar a terapia, claro).

    Na terapia percebo como meus próprios pais me colocavam para baixo emocionalmente, na minha infância, e como minha mãe até hoje é manipuladora. E eu sempre me relaciono desta forma. Assim, eu queria deixar o conselho de que a terapia realmente é fundamental para perceber como as próprias vítimas também contribuem para a relação de manipulação. E isso só vem com terapia, não virá com autoanálise porque é muito profundo e difícil de perceber.
    É necessário nos transformarmos para estabelecermos relacionamentos mais saudáveis...

    ResponderExcluir
  82. Otimo artigo.
    Mas acho que o pior de tudo em relação ao manipulador é justamente admitir que tem este disturbio. Não há como consertar atraves de terapia porque simplesmente, e como voce disse, como se uma mão não soubesse o que a outra fez.
    Minha esposa, por exemplo, acordou pela manhã brigando com a filha, discutindo, batendo... e eu cuidei do bebe, dei banho, fiz dormir, em silencio esperando que ela se acalmasse.
    Resultado: fui acusado de omissão.
    Em outra situação, busquei a ela com carinho, perguntei se estava bem, que achava que a filha estava sendo bastante rude com a mãe... resultado, estava me intrometendo.

    Resultado pior que isso tudo: mandou emboa de casa, chingou, humilhou, acusou de tudo que foi coisa, inclusive de estupido... falando exatamente as coisas que ela fez trasnportada para mim, mostrando incapacidade total de enxergar o que fez ou o que provocou reações - como a minha de sair de casa no dia do meu aniversario, por não admitir uma briga desta monta e ainda ser acusado de culpado por ela.

    Sinceramente é muito dificil de lidar porque beira o ilogico e irracional.

    Acho que fiz certo em sair de casa, apesar de ser uma decisão terivel para mim.

    A pergunta é: como fazer uma pessoa dessas admitir que precisa de tratamento se ela simplesmente não enxerga em si erros ou defeitos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelix, isso não é manipulação, ou melhor, na acepção que estou usando no artigo. Isso que vc relata é um caso sério de neurose. Ela está profundamente perturbada (mas não é nada psiquiátrico, algo muito comum infelizmente). O seu comportamente, mesmo involuntariamente, concorre para a piora da situação. Tenho como ajudar nisso sim. Se quiser marcar uma sessão de análise comigo me fale - obviamente que uma sessão só não será suficiente, mas o quadro acima tem como ser melhorado até porque vc tem filhos que precisam de uma condição de vida melhor.

      Excluir
  83. Olá, Adriana! Parabéns pelo excelente artigo. Gostaria de saber o que fazer, como se comportar, quando você percebe, depois de alguns meses, que o seu chefe "gente boa demais" é um manipulador mentiroso, (do tipo que te faz acreditar que você está tomando as decisões, quando é ele que orquestra tudo e te faz seguir pelo caminho que ele traçou), mas ele é tão "bonzinho" que você chega a pensar que está sendo injusto com a pessoa ou vendo "chifre em cabeça de cavalo"?

    ResponderExcluir
  84. Olá Adriana. Eu gostei muito do seu artigo e gostaria que me desse a sua opinião sobre a seguinte situação. Eu tenho 31 anos e durante 5 anos estive apaixonada por um rapaz de 34 anos. O nosso convívio sempre foi muito turbulento porque havia atritos entre pessoas amigas nossas. Mas havia momentos em que ele era a pessoa mais decente do mundo para comigo, mas havia outros momentos em que ele ia na onda dos amigos dele e acabava por fazer exclusão social comigo. Havia momentos em que ele tentava se aproximar de mim e quando eu me mostrava receptiva, acho que acabávamos por recuar por medo. Agora o que aconteceu é o seguinte: eu à 6 meses atrás me declarei a ele, mas a reacção não foi a que eu esperava: me humilhou e me xingou só para me dizer que não gostava de mim. Chegou ao ponto de dizer que não gostava das minhas músicas nem das minhas brincadeiras. Passado uma semana após esta discussão, houve uma ex amiga minha que eu identifiquei logo como manipuladora feminina. Ela durante uma viagem que fizemos começou a fazer insinuações sobre os sentimentos dele em relação a mim, a dizer que nós os dois tínhamos que resolver as coisas, e que ele supostamente lhe tinha dito que não me incluía em convívios sociais porque se sentia incomodado com a minha presença. E eu fiquei chocada. Na altura confrontei ele é ele me disse que as coisas não tinham sido assim. E ela cada vez que organizava algum programa mais do que uma vez nos queria obrigar a estar no mesmo espaço socialmente, mesmo ela sabendo a opinião dele. Eu tentei resolver as coisas a bem com ele, mas quanto mais tentava, mais estranho ele ficava e eu desabafava com ela. As coisas agravaram quando ele andou a começar a fazer passar a ideia de que eu andava a assedia-lo e a querer que ele namorasse à força comigo (o que não é verdade porque nunca insinuou nada disso). Mas depois o tio dele disse que sabia que eu tinha falado com ela. Na altura comecei a agir com precaução em relação a ela. E depois comecei a estranhar alguns comportamentos dela. E a última saída que nós estivemos juntas, ela me tinha convidado e combinado carona comigo. Mas tinha acontecido um imprevisto e eu lhe pedi ajuda com a carona, ao que ela se recusou e acabei por ir de táxi. Quando me juntei ao grupo acabei por ser ignorada por eles porque ela acabou por contar a história de que tinha aparecido lá sem ter sido convidada. E depois comecei a ve-la demasiado íntima com o rapaz de quem eu gostava. Semanas depois me contaram que ela se tinha aproveitado da minha amizade e das coisas que eu contava para chegar perto dele. E que ela andou planejando de forma fria e calculista para namorar com ele. O que me aconselha? Eu fiquei emocionalmente abalada e em breve vou começar a fazer terapia. Depois disto ela ainda me falou duma forma arrogante. Ele estão juntos vai para 3 meses. Ele é o primeiro relacionamento sério que tem em anos. Acha que fui manipulada por ele, por ela ou por ambos?

    ResponderExcluir
  85. Convivi com um manipulador maquiavélico "feminino/masculino" durante os últimos 2 meses, e estou absolutamente surpresa com a capacidade impressionante que ele tem de influenciar a quem quer que tenha cruzado o caminho dele, e eu presenciei isso várias vezes! Sou uma pessoa "esclarecida", bastante intelectualizada, e ele soube de forma magistral me enredar em sua armadilha justamente me pagando por aí: meu intelecto. Ele é também absolutamente inteligente, com um QI acima da média e uma cultura absurdamente abrangente. Tínhamos uma relacionamento com muita amizade, cortesia, companheirismo, muita troca de ideias e novas visões a respeito do mundo, pois ele embasa tudo o que diz com provas científicas, com "conhecimento de causa" e experiência vasta. Havia também muita sedução, afeto e sexo, até que ele sentiu à vontade para começar a fazer seus jogos de manipulação e tentar obter o que ele queria: ter controle absoluto da minha vontade e da minha "energia" - é, além de tudo, é um vampiro energético graduado!!! Eu questionei, reagi algumas vezes, mas, de início, tentei ponderar e ver se ele talvez não poderia ter razão. Até que as coisas chegaram num ponto crítico, e seria agir contra minha integridade mental, física e moral atender às necessidades dele, ao que ele me propunha. Terminei tudo, achando que dois meses foi tempo até demais. Escrevo esse comentário para aquelas que também buscam uma explicação, e para dizer que não somos "tolas, burras, imaturas, culpadas" por receber alguém assim nas nossas vidas - mas, incautas, lá isso somos! rsrs! Assim como esse homem que descrevi, existem verdadeiros "mestres da manipulação", e não importa quão inteligente e experiente você seja, pode, sim, se deixar ficar numa armadilha sedutora dessas, se não "prestar atenção em si mesma". Mas tem uma verdade incômoda: A GENTE SEMPRE SABE QUANDO ESTÁ SENDO ENGANADA. Se formos humildes pra lembrar, sem a capa da "vitimização", vamos ver que percebemos, SIM, DESDE O COMEÇO, sinais que faziam tocar o alarme dentro da cabeça. Mas, a gente continua, né? E usa o argumento que menos importa: "Ah, mas eu o amava tanto!" Amiga, "de boa", como dizem os adolescentes, amar tanto alguém a ponto de deixar esse alguém fazer gato e sapato da gente, não é amor, certo? Esse amor imenso deve existir primeiro aqui, aqui dentro, é respeito próprio, e a auto-estima, é o conhece-te a ti mesmo, escrito lá no templo de Delfos, zilhões de anos atrás! Vamos olhar primeiro pra dentro, descobrir que mulher é essa que se submete a um manipulador qualquer, depois, de verdade, mudar de foco, amadurecer o "querer". Eu to aprendendo, gente! rsrs! Pelo menos, dessa vez, foram só dois meses! E, daqui pra frente, não tenho mais nem 2 minutos a perder! Boa sorte a todas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente comentário, Cláudia. Muito bom você ter postado isso. Friso o que você escreveu sobre não ser burras e tolas, nem diria incauta, ou pelo menos nem sempre. Não podemos viver desconfiadas de tudo e todos, precisamos fazer experiências na vida. Vivendo e aprendendo. O importante é APRENDER e seguir. Tirar uma lição e crescer. Abraço.

      Excluir
  86. Muitas coisas que li nesse site mostram exatamente o que passo com minha irmã, que é uma manipuladora. Mente, dissimula, põe a culpa nos outros ao invés de assumir seus erros. Fica ai a dica:
    Não importa se é teu filho, teu irmão ou seja o que for, quando tiver como desmascarar desmascare porque gente assim não tem consideração por ninguém e fazem tudo de um modo estudado com o objetivo de conseguir o que quer sem o menor escrúpulo.

    ResponderExcluir
  87. Oi me sinto agredida e desgastada emocionalmente. Há 7 anos comecei a namorar meu atual marido. Tanto os meus parentes como minha sogra era contra o namoro mesmo assim continuamos, engravidei e até que ela me apoiou, porém queria que morássemos na casa dela o que eu nao quis. Daí ela se transformou novamente. Como nao tenho mãe e meus parentes nao me apoiavam encontrei ajuda com ela e a familia do meu marido, que ajuda com o irmão dele que é especial. Virou uma troca. Ele como ja ajudava continuou ajudando a levar o irmão pra escola de autistas e ela ajudou na gravidez e resguardo do nosso filho. Mas queria que eu acatasse o que ela dizia ate na educação do meu filho. E um dia como eu e ele somos claros ela disse q ainda bem que o menino vai ser bem branquinho. Mas so que ela é mais morena e minha mãe tambem era morena e minha avó. Eu disse que poderia vir moreno ja que tem gente morena na família, nao gostei do comentário racista dela. Ate falei tomara que venha moreno que nem minha mãe ou a senhora. Pra que falei? O menino o nasceu moreno como ela e minha mãe. E ela insinuou que nao era do meu marido. Falou em DNA. No inicio nem percebia as insinuações qdo passava em programas de TV o tal exame de DNA ela falava pra eu assistir eu dizia que nao gostava de programa de baixaria e o pior que mais me doeu é que meu marido se deixou levar por isso e me perguntou se era dele mesmo ainda na gravidez. Comecei a chorar, pois eu nunca dei motivos pra ele desconfiar de mim. Ele assumiu o filho. Continuamos. Mas ela continuou a insinusar e eu disse que nao ia tirar da boca do meu filho 300 reais sem poder pra exame mas o menino se ela quisesse pagar o exame ffizesse.Ela nem respondeu. Eu andava do trabalho pro grupo de oração quando ele me conheceu. E nunca me viu com outro homem ou sequer falarem mal de mim. Mas mm assim continuamos. Qdo o bb nasceu ela continuou as insinuações e eu cansada e estressada falei que ia ligar pro programa de TV pra pedir o exame. O meu marido disse q eu nao fizesse isso q ele ia pagar o exame pois era uma vergonha pra ele. Eu disse que como é que iamos pagar 300 a 500 reais num exame do qual ja sei o resultado. Liguei pro programa de TV. Ele falou pra ela parar pois eu ja tinha ligado. Faltava so confirmar. Dai so desisti por que ele disse q ela ia parar. E pensei no meu filho que iria ficar taxado pra todos os lados como o menino do DNA. Ponto. Mas de vez em qdo ela solta que o menino nao se parece com o pai e o chato eh que vem gente que nem conheço e me pra pra dizer eh a cara do caçula. Eh a tua cara eu digo q ele tem a cara dele mm q eh parecida comigo e as vezes muda e parece com o tio mas calvo q nem o pai. Outra coisa que ela me ataca bastante pois somos de religiões diferentes eu catolica e ela evangélica. Diz que eu frequento a casa do demónio me desrespeitando. Qdo o bb nasceu chegava na minha casa que era perto da dela exigindo que meu esposo qdo raras vezes estava de folga fosse la pra casa dela. Apesar de todos os dias ele ir la pegar e deixar o irmão especial na escola. E olha q tenho cunhada adulta que trabalha so meio período. Hj eh que ta fazendo curso. Dai a minha sogra ia la em casa gritando, batendo na porta, assustando todos principalmente o bebe. Gritando que meu marido tinha esquecido da mãe, que tinha que passear com o irmão especial,que ele so queria saber de me comer, que devia ser muito gostoso pra esquecer da mãe. Detalhe so um ou dois dias no mês todo que ele ficava de folga. Ele ia pra casa dela pra ela parar de gritar e eu ficava sozinha com o bb. Se ele nao fosse na mesma hora ela me chamava de exploradora, de preguiçosa, de rapariga que ele so tava comigo devido o bb. Pois muitas vezes ele estava me ajudando com o bb. Adoeci e tive que fazer tratamento. Tive que sair do emprego e como a criança nao tinha com quem ficar ela ficava. E passeava com o menino mostrando pra todo mundo perguntando se era parecido com o pai. Eu adoecendo cada vez mais. Ele pediu pra ela deixar comida la em casa pois eu nao podia cozinhar devido ao resguardo.

    ResponderExcluir
  88. E depois adoeci. Pior como adoeci nao arranjei trabalho e fico nessa dependência dela. O meu marido nao consegui trabalho melhor pra pagar uma pessoa pra ficar com a criança que ja tem 5 anos. Ela tem um menino de 11 anos que bate no meu pequeno por qualquer coisa e o meu pequeno esta agora agressivo. Bate em todos qdo ta irritado ou ate feliz. Ele adora ela e quer ir pra la todo tempo mas qdo ta la eh pra o de 11 anos bater nele. e pra completar eu tava fazendo tratamento pra policistos e nao me dei com o tratamento tive que parar e acabei engravidando de novo e uma gravidez complicada. Pior de vez em quando a criança fica com ela pra eu fazer tratamento e os cuidados do pre natal e de vez em qdo vou ao hospital devido as complicaçoes. Agora ela fica perguntando pro meu pequeno se ele quer morar mais ela. Pois nos mudamos pra uma casa mais distante ele diz que sim. Ela fica dizendo pra ele morar mais a vovó e que me deixasse so com o bb. Perguntou na frente dele se eu dava ele pra ela. Eu disse que o amava muito e que nao ia dar ele. Ela disse que eu num posso nem cuidar de mim qto mais dele. Passou a semana toda perguntando se eu dava ele pra ela. Dai no sábado. Meu marido que nem sabia disso levou ele pra la sem eu saber e ele nao quis voltar pra casa de jeito nenhum qdo fomos pegá-lo. E ela nem quis ficar com a criança disse q nao tinha rede e a criança chamando ela de mae. Comecei a chorar e disse aos gritos nervosa q apesar de amá-lo muito nao ia forçá-lo a voltar pra casa se o problema era a rede eu mandava. Ela nao ficou com ele. Nervosa comecei a gritar que a senhora passou a semana pedindo ele agora que ele quer a senhora nao quer? O menino começou a morder o pai ja q ele tava no colo dele e o pai começou a dar palmada nele pedi pra ele soltá-lo dai olhei pra uma sacola e fui devolver junto com a criança dizendo q a sacola era dela e de fato era mas foi mais pra acalmar os ânimos. Ele foi disse q eu ficasse ja q eu ja tava cansada. Ainda nervosa gritei com o pequeno perguntando cade a tua avó te quis? Rapaz quem te ama sou eu quem te quer sou eu. Quem te pariu foi eu. Ele se jogou no chão e começou a chorar e eu chorando tambem. Respirei fundo olhei pro céu pedi pra ele levantar abracei ele e disse a mamae te ama tanto. Eu so to dodói mas vou ficar boa. Pra cuidar de vc e Di Daniel seu irmão. Vcs dois sãos meus BBs. Ele pediu desculpa e ficou sentado do meu lado. Mas 2 dias depois acabei precisando ir pro hospital e ela ficou com ele de novo. Agora a questao eh que q
    Moramos um pouco longe dai ela diz que nao vai poder me ajudar no resguardo dessa criança que vem ja que moro longe. No mm bairro mas uns 15 a 20 minutos a pé. Dai arranjou uma casa perto mas imaginei passar por tudo de novo e nao quis ir. Dissenso q ia ver a casa. Dai meu marido caiu na besteira de dizer q eu nao queria ir agora tudo por tudo ela fala q eu nao queria ta perto dela e fica perguntando se o meu pequeno quer morar mais ela pra eu cuidar so do Daniel. Sinto que vou enlouquecer. Pedi ajuda pra minha prima no dia q passei mal Sobre uma dormência q senti em todo corpo q fiquei paralisada. Ela pediu ajuda pra nossa tia pra me levar pro hospital. Qdo tive melhora ja pediu pra eu trocar a minha casa pela casa da mae dela ja que é menor pois ela precisava de ajuda. So que a renda que eu tenho eh de aluguel dessa casa e a casa da mae dela fica ja no final da rua e o aluguel seria menor. Me sinto sozinha. Sufocada e sem amor. O meu marido mal para em casa trabalhando direto. As vezes peço forças a Deus. Pra nao fazer besteira ja pensei em me matar. Desisti por causa dos meu filhos. Socorro.

    ResponderExcluir
  89. A minha sogra ajuda com comida e com a criança mas sinto que ela nao gosta de mim. Demonstra preocupação quanto a criança que vem. Mas interfere da educação Di de 5 anos. Eu digo pra ela nao dar besteira pra ele como biscoito recheado e nescau ao mesmo tempo que de uma fruta pois tem diabéticos na familia ela disse que o menino faz escândalo e me corta a conversa. Eu disse eh so negociar. Da uma bolacha salgada e o nescau mas nao da muito doce se nao vai ficar doente. Da uma fruta e depois o biscoito. Ela nao deixa eu falar e bota a criança contra mim disse q agora la nao vai comer biscoito porque eu nao deixo. Eu disse olha nao disse isso disse q faz mal comer demais. Eh diferente falar nao PIDE comer muito doce que da dodói do que coloca-lo contra mim dizendo nao vai comer porque sua mae nao quer. Ta botando o menino contra mim. dai ela saiu e foi falar pra minha vizinha que eu falo demais e ainda falou pra mim que falou mal de mim. Cheguei em casa a vizinha confirmou me chamando que tinha visto a minha sogra e que ela tinha reclamado. Contei minha versão. Ai meu Deus o q faço. Pra completar o marido dela bebe e esculhanba a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Debora, parece claro que você precisa de um acompanhamento, não acha? Ou espera encontrar uma receita mágica aqui? De repente, uma frase que tudo vai resolver? Impossível. Vc precisa de acompanhamento, isso significa: alguém que se dê o trabalho de estar constantemente em contato com você, de vá conhecendo sua história e cada situação para te orientar sobre o que fazer, alguém que te ajude a entender o que está acontecendo, a tomar atitudes, a enfrentar seus medos, a decidir o que realmente quer e como quer e a fazer acontecer. Alguém que trabalhe para vc e com você. Cada situação individual é única. No geral, a resposta a "O que faço?" é: Faça o que for melhor para você. O que pode não significa absolutamente nada na prática porque cada realidade é complexa e se não a abordarmos pelo que é não poderá ser resolvida.

      Excluir
  90. Boa tarde. Estava casada há quase 9 anos e há 3 meses meu marido foi embora. Eu comecei a fazer terapia e só agora descobri que sou a "manipuladora boazinha". Tenho tentado mudar porque vi o quanto me prejudica, acabei perdendo meu marido desse jeito. E sinceramente, na maioria das vezes eu não percebia meus atos e nem via como "manipulaçao". somente vejo agora com a ajuda da psicóloga. Tenho me esforçado muito para mudar mas queria apenas dizer que nós também temos sentimentos, muitos colocaram aqui nos comentários como se o manipulador fosse "bicho papão"...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na moral,eu sou como vc e vou ter q ser sincero como queria que fossem cmg. Cê é mt fútil, vc tem uma visão muito limitada de tudo. Tenho certeza que o que falta pra mim e pra vc são verdades que estupram nossos orgulhos até eles se renderem e aceitarem que nós somos apenas poeira também. Eu me iludo e iludo as outras pessoas a minha volta mostrando minha inteligência em relação a compreender os humanos, eu realmente sou bom em entender os jovens da minha idade ( entender quase tudo que cê passa na cabeça deles até oque meus próprios amigos n sabiam q pensavam) e eu só fico nessa de querer ser reconhecido como alguém incrível por eles, e bla bla esse papo tosco, essa visão limitada, eu quero tanto defender isso que sinto que ser adorado dessa forma é o suficiente e me limito ao resto. Mas eu sou mt burro, porque na vdd eu sou um Zé ninguém... Você também é um Zé ngm, mas finge e convence as pessoas a sua volta de q vc é foda. Eu uso a única coisa boa minha pra me travar desse jeito... Eu sou muito infantil, e sipa admitir isso assim é uma desculpa ou talvez eu queira ser admirado nesse post. Pera, é isso msm '-'... Pra q q eu tô comentando isso? Quero ser reconhecido até aqui? Eu sou mt nojento na moral... Mas eu sempre soube que era esse o motivo. E ainda me amo por isso. Eu tenho problema...

      Excluir
  91. Já passei por isso muitas e muitas vezes por isso! Já caí muitas e muitas vezes nessas redes de neurose alheia! Já perdi muitas e muitas vezes a minha própria identidade, por causa de gente assim! Porém, tenho aprendido que, apesar de ser um desafio conviver com isto, eu decido com quem vou continuar convivendo e com quem não quero mais conviver!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maraiza Possa dos Reys2 de janeiro de 2017 17:14

      Se já fui manipulada, hoje, não serei mais. Adquiri aquilo que é o mais difícil para eles- os que gostam de manipular as pessoas, muitas vezes, em nome do amor,que eles nem sabem o que é -apenas falam sobre ele: adquiri autoconhecimento! É isto é algo muito precioso, que não se obtém de um dia para outro, não se compra,mas se constrói ao longo de anos e anos a fio, analisando-se, sondando-se, revendo suas posturas, entrando e saindo constantemente em seu próprio interior. Não é algo que o manipulador gostaria de fazer. Mas quem já foi muito machucado e manupulado na vida, depois de muito penar nas mãos de pessoas assim, acaba por amadurecer, num processo lento, mas seguro, um processo de aprendizagem de quem se é, de restauração de usa auto-estima delapidada, mas que se reegue pouco a pouco, transformando-te em uma Fênix renascida das cinzas, alçando um alto e vigoroso voo, para cima, para as nuvens de um céu imenso, repleto de liberdade, de novas possibilidades e de vida plena! E, ao olhar para baixo, vai ver aqueles mesmos que te manipularam em nome de um amor doente,te olhando, te invejando e não compreendendo como você pôde escapar-lhes de suas redes, seus esquemas, sua suposta bondade!....

      Excluir
  92. nem todo manipulador é psicopata certo?

    ResponderExcluir
  93. Gostei! Você pode me indicar livros que fale sobre esse tema?

    ResponderExcluir
  94. Tenho 20 anos, sou homem e tenho certeza que sou o manipulador feminino. Tudo oque você disse é verdade, eu sempre soube mas sempre me enganei e sinto que não vou superar isso por concordar ou ler isso talvez essa seja uma nova desculpa para eu me enganar, e talvez eu falar q isso é uma desculpa é outra desculpa... Então tô preso nesse ciclo de ficar inventando desculpas e deixo de amadurecer pq é como vc disse, tenho medo de crescer em meio ao meu ego pq quero ser aceito e aceito e reconhecido... Eu realmente não sei oque fazer e sei que meu orgulho não vai permitir que eu admita para as pessoas a minha volta que na vdd eu sou um bosta. Sério oque eu faço é só pensar em mim, não consigo nem amar minha mãe sem pensar em mim primeiro, sinto q só vou amar ela depois que perder ela. Eu tenho esse medo é pra me sentir bem me forço a acreditar que amo ela mais q tudo mas não, eu me amo mais q tudo, não tô nem aí pro resto se n me envolver. Eu sou uma pessoa muito ruim. E nem me sinto mal por isso, porque no fundo eu tenho desculpas criadas pro meu orgulho só crescer... Eu me amo mas devia sentir nojo de mim.

    ResponderExcluir