Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2011

Psicoterapia é empoderamento

Imagem
Adriana Tanese Nogueira
É com grande satisfação que vejo pessoas florescerem e se empoderarem. Hoje como nunca observo a elevação da auto-estima das pessoas que estão em terapia comigo, e seu caminho rumo ao empoderamento pessoal. Em meio aos tumultos da vida, às dúvidas e aos desafios, elas podem nem sempre se dar conta do processo luminoso no qual estão, mas eu enxergo com clareza seu desenvolvimento para melhor. Muitas outras percebem nitidamente os resultados positivos, sentem-se mudadas, mais despertas, mais vivas. Mais poderosas.
Devo dizer também que tenho outra satisfação, a de trabalhar com pessoas que demonstram o potencial certo para esse trabalho. Num consultório de terapia há sempre um

As camadas do Mal: da Sombra a Jó

Imagem
Adriana Tanese Nogueira
O Mal é um tema complicado. Há correntes teológicas para sua explicação, e há as psicológicas. As primeiras esbarram num paradoxo: o de um Deus que é por definição entendido como bom, mas que permite a existência do Mal. No século XXI, a doutrina do pecado original, apresenta-se fraca: como responsabilizar a criança trucidada numa guerra como consequência da desobediência do primeiro casal humano? Como pode Deus continuar permitindo uma coisa dessas? Essas são as perguntas legítimas do indivíduo comum que não é entendido de teologia e que não se satisfaz com fórmulas padronizadas de explicação.
A versão psicológica desse problema é junguiana (e, a partir dele, Montefoschi desenvolve o tema). Em seu livro conhecido, Resposta a Jó, Jung analisa a história de Jó da Bíblia e

Mar português

Imagem
Fernando Pessoa
Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

A FELICIDADE É CONSEQUÊNCIA

Imagem
Adriana Tanese Nogueira



Um animal é feliz quando pode expressar sua natureza. Uma ave precisa voar, uma onça caçar, um golfinho nadar em espaços amplos. Um cão para ser feliz necessita de movimento, disciplina e amor, além de um vínculo sólido e confiável com seu dono. Um gato quer se deixado em paz, quer respeitada sua independência, receber carinho quando lhe der na telha e comida quando sentir fome. A natureza de cada ser vivo ao se expressar livremente produz como efeito colateral felicidade.
Qual é a natureza do ser humano? Diferentemente daquela animal, ou não tanto quanto