Pular para o conteúdo principal

CORAGEM E COVARDIA

Ser corajoso não equivale a não ter medo, mas a saber superar o medo. Corajoso é quem não se deixa deter pelo medo. A coragem é uma das maiores virtudes humanas. Sem ela, praticamente, nada se faz. Pelo menos, nada que valha. 

A coragem é um ímpeto, uma força que faz avançar, colocando na sombra as dúvidas. É também a certeza da necessidade de um gesto, um ato ou uma palavra independentemente ou apesar de suas consequências. Coragem é enfrentar o que se sabe ser inevitável. Muitas vezes, é preciso coragem até para fazer o bem, assim como é preciso de coragem para pôr em prática ideias, projetos, desejos e sonhos. De que adianta pensar corretamente se o pensamento fica preso no crânio porque falta a coragem para torná-lo realidade? E, igualmente, de que vale um sentimento maravilhoso que permanece enterrado no coração por falta de peito para encará-lo e vivencia-lo? De nada, absolutamente nada.

É pela coragem que tomamos atitudes, rompemos o que precisa ser quebrado, e dizemos sim ou não sem mais demoras. Muitas vidas são passadas atravancadas em terrenos psicológicos lamacentos e pegajosos por causa da falta de coragem para fazer o que se sabe precisa ser feito.

Ter coragem não exclui passar sufoco, ficar angustiados, ter dúvidas e penar. Para ter coragem é preciso ter a dignidade de sacudir a poeira do comodismo e tomar uma atitude. Todo movimento que chacoalha o que está parado vai trazer "problemas". A coragem sempre sacode, se não fosse assim não existiria a coragem. Assim, a coragem obriga a enfrentar os nossos pontos fracos, motivo pelo qual há quem opte por "manter as coisas como estão"... e continuar vivendo nas sombras da covardia.

Da mesma forma como um sujeito imaginário gordo, preguiçoso, ruminando salgadinhos ou bebendo cerveja na frente de uma TV eternamente ligada, o covarde acumula energias inutilmente, ora via oral (comendo), ora pelo pensamento (masturbação mental), ora pelas fantasias. Ingurgita comida assim como alimenta fantasias, mas, como não usa o que introduziu em si mesmo, só pode ampliar sua existência no sentido material e horizontal: engordando! Há obesos no corpo e há obesos no pensamento. Estes últimos são os que pensam muito, nutrem projetos que ficam só na cabeça, sonhos fantásticos, planos detalhados... Mas na prática nada acontece. A realidade permanece nos trilhos do caminho de sempre. Cansados e lentos sob o peso de tanto pensar e fantasiar, estes indivíduos sente uma particular atração para criticar quem ousa agir, ora expondo seus raciocínios "lógicos e sensatos", ora semeando dúvidas insidiosas que atacam a autoestima alheia.

A verdade é que o covarde foge da vida e de si mesmo. Aparta-se da responsabilidade que seu sentimento, valores e desejos lhe imporiam. Quando não se tem coragem de romper uma relação que precisa ser deixada para trás, ou quando se ama alguém e não se tem a coragem de assumir o próprio sentimento e/ou de agir de forma congruente, além de covardes se é irresponsáveis, porque se está fazendo pelo menos duas pessoas infelizes. 

Enquanto o covarde tem baixa autoestima, o corajoso não pensa demasiadamente em si. Ele enxerga além. Se parasse para considerar todos os pequenos interesses de seu próprio ego, o corajoso perderia o impulso do moto progressivo e naufragaria rapidamente. Ter coragem implica, de alguma forma, esquecer-se de si mesmos. Por isso, se diferencia do exibido que comete atos ousados para se mostrar. O corajoso não é nem tolo nem egocêntrico.

A coragem está na base da dignidade humana, da consistência moral de uma pessoa e de sua coerência consigo própria. Graças à coragem, os valores, a postura e a ação são aglutinados num todo unitário que está à serviço da personalidade individual. Para ser si mesma, uma pessoa tem que ter coragem. Num mundo massificado, mergulhado em estereótipos e preconceitos, emergir para fora da maré requer simples e nobre coragem. Da mesma forma, num horizonte psicológico lotado de falsos julgamentos, dúvidas, inseguranças e visão borrada, é pela coragem de seguir as intuições certeiras que nascem das profundezas de si mesmos que uma pessoa demonstra quem ela realmente é.

Adriana Tanese Nogueira

Psicanalista, filósofa, life coach, terapeuta transpessoal, interprete de sonhos, terapeuta Florais de Bach, autora, educadora perinatal, fundadora da ONG Amigas do Parto, do Instituto de ensino à distância Ser e Saber Consciente e do ConsciousnessBoca.com em Boca Raton, FL-USA. +1-561-3055321

Comentários

  1. adorei o texto! me inspirei para escrever minha redação de escola.
    Você tem talento, deve ser uma pessoa muito culta e sábia!
    abraços (:

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto. Seguir esse "conselho " , implica em dar inicio a transformações que me trarão benefícios .

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o texto, me identifiquei por completo. Tenho me esforçado muito para não perder a coragem e a ternura, sentimentos que me brotam espontâneos, afortunadamente! Obrigada por escrever tudo o que eu precisava ouvir para me sentir ainda mais fortalecida!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escrever tudo o que eu quero ouvir. Talvez isso seja falta de coragem.

      Excluir
  4. a. acho q sou uma covarde

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ser covarde te incomoda, mude. Se não, fique do jeito que está. Só mudamos se querermos.

      Excluir
  5. Fico até com vergonha, pois sou um homen e sou covarde... ja tenho 32 anos e me sinto totalmente perdido, como um barco a deriva num oceano sem fim. Ja pensei em me atirar no mar e me afogar, mas nem para isso acho coragem. Sou um merda mesmo :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não pense assim... a vida é justa e injusta de diversas formas... so cabe a gente a fazer ela ficar a nosso favor

      Excluir
    2. so para constar tenho 15 anos to escrevendo livros... depois indico uns que li...

      Excluir
    3. Se quiser ganhar coragem: se trate. Comece uma terapia.
      É o único caminho.

      Excluir
    4. É melhor um covarde vivo do que um leão morto. A seleção natural prova que as vezes a luta pela sobrevivência é vencida pelo mais esperto.

      Excluir
  6. Cara... Eu sou uma covarde e tanto viu... Mas eu tento me esforçar pra mudar isso, mas na hora... É como se tudo dentro de min travasse, eu sinceramente tenho certos problemas com a coragem pois por mais que eu tente... Eu sempre, sempre fracasso... Mas depois disso eu sinceramente acho que tenho mais chances de conseguir...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sessão de regressão - tente alguém pelo site do dmpbrasil.com.

      Excluir
    2. Uma Pai tem 4 filhos para criar e ele não concorda com a postura de seu chefe, por isso demonstra coragem perante seus colegas de serviço e contraria seu chefe. Resultado... ele perde seu emprego. Passa algum tempo e sua mulher o abandona alegando que ele não está cumprindo a sua função de homem da casa. Mas, ele pensa.. é o desemprego...mas, eu fui corajoso...

      Excluir
    3. Nada a ver! Coragem não é irresponsabilidade.

      Excluir
  7. Também sou covarde, não consigo ir a luta tenho filhos e na minha infância se posso dizer isso aconteceram coisas terríveis, tenho muito medo de que aconteça com elas , mais preciso mudar, eu sei que preciso, seu texto esclarecedor ,me fez sentir que consigo melhorar. obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai melhor! Queira e faça o que for preciso, não desista!

      Excluir
  8. Gostei muito do seu texto. Sou uma covarde e quero melhorar. Faço terapia mas até hoje ainda não tinha achado algo que me tocasse como esse texto.
    Está me fazendo pensar e rever minha postura com relação à vida.
    Obrigada!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada! Às vezes, o que falta é o ponto de vista que permite a mudança.

      Excluir
  9. Nossa, que texto certeiro! Muito bom! Me ajudou muito!

    ResponderExcluir
  10. o ruim é quando se confunde coragem com orgulho e humildade com covardia, tem vezes que eu acho dificil diferenciar

    ResponderExcluir
  11. Amei. Eu sou mt corajosa,só tenho medo de barata e,ainda assim,a enfrento,msm arrepiada e tremendo.��

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pelo texto, Adriana. Sou leitora do blog há um bom tempo e seus textos me ajudaram muito. Hoje vim falar de algo que me incomoda um pouco em alguns poucos textos seus. Ainda bem que nesse texto você falou se tratar de um sujeito imaginário: gordo e preguiçosos que apenas come e bebe e fica sentado em frente a TV. Digo ainda bem que você colocou como um sujeito imaginário porque pessoas gordas reais são estigmatizas e sofrem preconceito e bullying exatamente porque os outros julgam que elas são gordas porque comem demais e são preguiçosas. São julgamentos de senso comum pois ignoram que há fatores genéticos, hormonais e até mesmo sociais bem como problemas mentais como a depressão que fazem com que uma pessoa engorde. O problema vai muito além da preguiça, fraqueza moral ou gula em muitos dos casos de excesso de peso.
    É bom ressaltar que obesidade é doença e que pessoas obesas sofrem muito preconceito. Além disso, pessoas, principalmente mulheres, acima do peso ideal e portanto com corpo fora dos esteriótipos de beleza, fora do padrão miss/top model ainda que não sejam obesas sofrem muita pressão para melhorar um corpo que ja é bom. Lembremos de como Trump fala das mulheres, inclusive misses, que ele considera fora dos padrões de beleza.
    Com a idade avançando, homens e mulheres tendem a ganhar peso.
    O que quero salientar com esse comentário é que uma pessoas acima do peso ideal, seja pelo padrões da medicina ou dos esteriótipos de beleza, não necessariamente são preguiçosos que comem demais.
    Outro ponto é que homens ou mulheres que estão acima do peso em relação aos padrões de beleza, mas que não estão com a saúde afetada e taxas de exame clínico alteradas não tem que emagrecer para se conformar a padrões de beleza estabelecido pelos outros que só fazem com que as pessoas se sintam insatisfeitas consigo próprias embora não haja nada de errado com seus corpos. Se não tem corpo de miss/top modelo ou se é gordinha sem que isso afete a saúde não tem que mudar pra agradar ninguém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, obrigada pelo comentário. É importante ressaltar tudo o que disse. Concordo plenamente. A minha é uma metáfora. Na verdade essa obesidade é coletiva uma vez que a cultura atual tende a criar indivíduos passivos que engolem tudo o que a mídia passa, com pouca capacidade de reflexão crítica (digestão) e nenhuma criatividade (passividade diante da vida). O consumismo no qual vivemos gera um excesso de matéria e um vazio de consciência. Os padrões de beleza nada têm a ver com o texto acima, aliás, apegar-se a eles e mudar o próprio corpo em função da ditadura da beleza e dessa cultura massificada não é parece ser um ato de coragem na expressão do próprio verdadeiro Eu. O

      Excluir
    2. Obrigada, pelo esclarecimento ao meu comentário Adriana. Sei que você não teve intenção de estigmatizar ninguém. Mas eu quis falar devido a como as pessoas preconceituosas interpretam mesmo textos inocentes. E, no Brasil está cheio de pessoas desse tipo atualmente.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O que fazer com um marido alcóolatra?

NOTA: Pessoal, estou com dificuldade em responder às suas perguntas porque a página está ficando "longa" demais, por isso criei esta outra página (O que fazer com um marido alcoólatra 2) para conversarmos por lá, ok? O Blogger está "em crise": comentários demais! O problema é graaaande, certo? Abraço, A.


"Bom dia Adriana,
Gostaria muito de um conselho, se é que isso é possível.
Em uma das minhas inúmeras buscas na internet por uma luz, um consolo para essa minha vida miserável de esposa de alcoólatra, estava lendo um texto seu "O que fazer com um pai alcoólatra" e resolvi lhe escrever.
Acho que eu e meus filhos é que estamos no fundo do poço. Meu casamento de 19 anos, um casal de filhos e a cada dia que passa fico mais perdida e desiludida. Já perdi a esperança de um dia viver em paz com meus filhos. Tenho aguentado tudo isso por eles. Meu filho mais novo (12 anos) gosta muito do pai e acho que não suportaria se eu o abandonasse. Fico nesse dilema: será q…

O que fazer com um pai alcóolatra

Adriana Tanese Nogueira 
Um leitor, após ler meu texto "Obsessores: quem como e por quê" me escreveu pedindo aconselhamento a respeito de seu pai. Infelizmente, o email acabou sendo deletado pelo sistema e respondarei a S.L. por aqui.
Em primeiro lugar, alcoolismo é alcoolismo mesmo quando a crise, resultado da bebida, acontece uma vez por ano. Que a pessoa beba todos os dias ou de vez em quando (como muitos gostam de chamar com um eufemismo, "socialmente") não importa. Deve-se atentar para o desfecho. O não-alcoólatra quando bebe muito passa mal, o alcoólatra tem uma crise violenta, exagerada, "possessa".

Alcoólatras agridem verbalmente as pessoas que mais amam, quanto mais próxima for a pessoa mais esta sofrerá. A agressão pode ser física ou verbal, mas é sempre de nível extremamente baixo. Parece que o objetivo do alcoólatra é acabar com o outro, frantumar sua auto-estima, afogá-lo na culpa, rasgar-lhe qualquer dignidade. Após ter vomitado violentemente t…

POR QUE ESQUECEMOS DA INFÂNCIA

Adriana Tanese Nogueira

Em minha opinião, aceitamos com demasiada indiferença o fato da amnésia infantil - isto é, a perda das lembranças dos primeiros anos de vida - e deixamos de encará-lo como um estranho enigma. S. Freud, Sobre a psicopatologia da vida cotidiana

Um dos motivos que, com certeza, provocam o apagamento de grandes partes da infância é o estresse vivido naquela época. No conto de fada que os adultos gostam de tecer a respeito das crianças consta que a delas seria uma época dourada, sem preocupações, contas para pagar, tensões, trânsito e relacionamentos difíceis. Balufas. As crianças sofrem e podem sofrer muito, e muitas delas têm uma vida do cão (estou falando de crianças "normais" vindas de famílias “normais”).
O fato delas não terem a consciência e o conhecimento de um adulto só piora as coisas, porque elas não podem dar nome ao que as machuca. Isto as confunde, as deixando ainda mais assustadas. Para pior as coisas e aumentar a perplexidade e confusão da crianç…