20/07/2011

A casa física e aquela psicológica

Adriana Tanese Nogueira

"Casa arrumada é assim:

Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa entrada de luz. Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não um centro cirúrgico, um cenário de novela. Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os móveis, afofando as almofadas... Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo: Aqui tem vida... Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras e os enfeites brincam

de trocar de lugar. Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha. Sofá sem mancha? Tapete sem fio puxado? Mesa sem marca de copo? Tá na cara que é casa sem festa. E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança. Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde. Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante, passaporte e vela de aniversário, tudo junto... Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda. A que está sempre pronta pros amigos, filhos, netos, pros vizinhos...E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brinca ou namora a qualquer hora do dia. Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar com a cara da gente. Arrume a sua casa todos os dias. Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo pra viver nela... E reconhecer nela o seu lugar." Carlos Drummond de Andrade

A casa física reflete nossa casa psicológica. É um conceito tão simples quanto difícil de entender para algumas pessoas. O problema é a parede de cimento que se coloca entre o mundo de fora e aquele interno. Há muros tão sólidos que a pessoa não tem noção alguma do que vive dentro delas. Porém, olhar para sua casa, para como está organizada e "vestida" revela o ser interior.

Muitos homens não sabem cuidar de sua casa, assim como não sabem cuidar de si mesmos. Não cozinham, não lavam, não arrumam. Há homens que sequer usam o protetor solar porque "sabe como que é homem...". Existem indivíduos que mal escovam os dentes ou cortam as unhas de seus próprios pés, quem diria passar um pano nos móveis, comprar flores para a casa e ter o respeito que o lar merece. Afinal, é nele que voltam ao final do dia.

Há mulheres que vivem cuidando da casa, arrumam e limpam tanto que não lhes sobra tempo para viver na casa, para desfrutá-la. Seu limpar tem um quê de obsessivo e uma pessoa justamente pode se perguntar se a sujeira e a bagunça da qual estão querendo se livrar encontra-se mesmo em sua casa. Ou não estará dentro delas? O excesso de cuidado com a casa é o reflexo da ausência de cuidado consigo própria. A mulher super higiênica e organizada na casa é a alma gêmea do homem que come deixando um trilho de migalhas em seu caminho, logo após ela ter passado o pano no chão.

Saber cuidar da própria casa é terapêutico. Crianças de ambos os sexos deveriam ser educadas desde cedo para terem respeito pelo lugar onde dormem, comem e passam seu tempo. Não só, fazer uma boa manutenção do próprio espaço é um expressão da consideração que uma pessoa tem para consigo mesma. Isso inclui não só guardar os brinquedos e a própria roupa, mas positivamente limpar a casa. O desprezo que os homens sentem por essa tarefa cabe às mulheres extirpar. É só deixar a casa virar um chiqueiro e qualquer um que duvidasse vai ver como é bom ter um lugar limpo. E se quiserem saber qual é a diferença entre a limpeza impessoal e aquela personalizada e atenta, basta fazer a comparação entre um hotel cinco estrelas e a casa de uma pessoa que cuida com carinho de sua casa. A energia do lugar é completamente diferente. E é dessa energia que se vive quando se volta para casa, é esse calor invisível e acolhedor que garante o sentimento de segurança.

Pessoas que possuem ordem e clareza mental não conseguem trabalhar num local desorganizado e sujo. Não precisa ser brilhante e impecável, mas ver roupas e sapatos no chão, papeis espalhados, poeira cobrindo móveis, piso manchado, pia lotada de pratos para lavar... é intragável para quem tem um mínimo de auto-estima.

Por outro lado, a casa é um instrumento do nosso viver, um espaço temporário, um meio que deve servir para um fim maior. Esse fim chama-se "o nosso viver". Se nossa vida está vazia ou se o que há nela não nos satisfaz mais, está atrasado no tempo ou esclerosou-se, então por mais que queiramos uma casa perfeita, ela nunca estará porque o que estamos tentando arrumar através da casa é nossa vida, e esta não se conserta limpando casa. É preciso arregaçar as mangas e se dar ao trabalho de ouvir a própria voz interior e se conhecer. A casa que precisa de cuidados é aquela que vive dentro de nós.

Numa perspectiva holística, é natural pensar a casa como o espelho da vida interior de cada um. Uma pessoa que está bem consigo e com sua vida, cuida de seu espaço. Aquela deprimida e insatisfeita se arrasta. O brilho do sol está nos olhos tanto quanto nos quartos. Ou não existe, é fictício, brilho de bijuteria ou escura solidão.

P.S. A casa da imagem foi pintada por minha filha quando ela tinha 5 para 6 anos. Note-se a mandala no centro da casa, símbolo de ordem psíquica, centramento, segurança e saúde mental. A porta está aberta para entrar e sair. No céu, há um sol que é também uma estrela cometa, annunciação do divino. Ou seja, a casa era segura e confiável.

19 comentários:

  1. Fico pensando em quem mora na rua...Será possível manter algum equilíbrio psíquico?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. muitos deles gostam de viver na rua, pq não precisam viver sob regras. Meu pai, embora viva na casa dele, tem todas as características de um morador de rua. Ele sempre insiste q não quer ninguém mandando nele (experimente...), e a casa é um lixo, uma maloca, e ele tb, sujo. E ele não está nem aí, desde q tenha tv, o resto que se lixe, como ele diz. Então... o equilíbrio psíquico do morador de rua, na minha opinião, é igual ao lugar onde ele vive

      Excluir
  2. Boa pergunta... O ser humano consegue se adaptar a quase tudo. A rua é o lugar da não-casa, mas há muitas casas que não são lares para seus habitantes. A psique encontra uma forma, literalmente, um nicho para manter seu equilíbrio. O que não quer dizer que seja um equilíbrio positivo, construtivo, nem por isso, um equilíbrio voltado para sua sobrevivência.

    ResponderExcluir
  3. Já vi carroceiros ( que levam lixo) com suas carroças enfeitadas, até com a bandeira do Brasil. Mas acredito que aquele que foi levado a morar nas ruas perde ( sim) a possibilidade de continuar sua evolução psicológica, qualquer evolução no ''dentro de si''. Vai sendo levado a reboque de si mesmo. É feito fosse a um campo de concentração ( o de extermínio). Recuperar-se disso até pode, mas precisaria de suporte efetivo, psicológico. Não vai haver. O Estado, cada vez mais direcionado outra função que não a de servir aos que o mantêm.
    Continua a vontade de sonhar, talvez. Mas é quase quixotesca. Já conversei com alguns moradores de rua.
    Para mim o que define o ser humano nem é a razão, nem, a liberdade, mas a necessidade de construir uma casa, pelado assim que ele é.

    ResponderExcluir
  4. Se estão enfeitando suas carroças é porque estão criando seu lar. É o que penso vendo de longe. Mas não tenho conhecimentos suficientes para dar meu parecer sobre a realidade psicológica dos sem teto.

    ResponderExcluir
  5. Interessante texto...verdadeiro.
    Parabens , gostei !

    ResponderExcluir
  6. Eu gostei muito do seu texto!Mais, existem teóricos da psicologia que falam sobre essa tema ''A casa física reflete nossa casa psicológica''.Eu gostaria de saber mais sobre o assunto.Chaitonw@bol.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Azul, esse post é o resultado de muitas leituras e muitos estudos, experiências e elaborações pessoais.

      Excluir
  7. Oi Adriana!
    Tudo bem?
    Gostaria de saber o que eu posso fazer. Vivo no meio da sujeira desordem, não consigo arrumar nada, desde pequena que deixo meu quarto uma zona e não consigo me livrar disso.
    Me esforço, limpo e deixo impecável, porém não dura um dia. Eu chego tiro a roupa jogo em qualquer canto, jogo papel no chão etc...vivo em um chiqueiro. Eu gostaria de saber se isso é uma doença ou algo do tipo e se existem pessoas com esse mal? Será que um tratamento psicológico melhoraria? Eu preciso de ajuda..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, um bom tratamento psicológico + o teu engajamento não só ajudaria como resolveria.

      Excluir
  8. Excelente texto!!!!! Foi uma leitura muito agradável!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. não concordo. trabalho com criatividade. projetos e desenhos de arquitetura e tudo quanto é objetos. eu tenho tanto para descobrir sobre o mundo que me cerca que, não posso perder tempo com tarefas rotineiras. não vivemos muito tempo. vamos aproveitar essa sujeirinha e rusticidade que so quem vive no nosso universo pode ter. Bjs Adriana, voce é muito linda.

    ResponderExcluir
  11. concordo com tudo. Sou organizada (não metódica) o suficiente para produzir minhas coisas. E amo limpeza pq sento no chão. Me sinto rica quando estou num lugar limpo e decorado! Infelizmente estou vivendo na casa do meu pai por não ter $ ainda, e ele é absolutamente sem higiene e ODEIA limpar, xinga muito enquanto lava o próprio copo. Então... para mim está sendo o pior momento da minha vida, pq somente meu quarto tem limpeza...me sinto extremamente MAL!

    ResponderExcluir
  12. Bom eu queria comentar com vocês um pouco sobre mim. Sou um menina que gosta das coisas arrumadas e organizadas, meu intimo e minha essência me revela em meu interior essa teoria. Porem na realidade nada disso se concretiza, na verdade muitas das vezes sinto que existe uma personalidade "não minha" que vive dentro de mim, impossibilitando o meu verdadeiro eu'. Se alguém quiser me dar dicas e opiniões, receberei com muito apreso. Danyella Machado bjs

    ResponderExcluir
  13. Casa suja não da pra descansar, lixo se joga

    ResponderExcluir
  14. Eu adoro casa limpa, cheirosa e saber onde encontrar quando preciso meus trecos.Acho que fico com clareza mental quando a casa está ordem. Porém, não tenho TOC.BjsLúcia Dias

    ResponderExcluir