13/06/2016

O QUE FAZER COM UM MARIDO ALCOÓLATRA 2

Esta página segue a primeira, O que fazer com um marido alcoólatra. Este artigo ganhou tantos comentários que, quando eu abro a página para responder, o Blogger não me mostra mais diretamente o comentário mas a página inteira com seus mais de 250 comentários. E como vou achar aquele que está aguardando resposta? Daí criei esta outra página, o que também me permite algumas reflexões, alguns anos após ter escrito aquele artigo.

Em primeiro lugar, todos vocês que comentaram e viram a página, sabem o quanto é comum este cenário, o quanto a vida das famílias dos alcoolicos é parecida uma com a outra, se não completamente idêntica. Igual, de fato, é a violência, a dor, o ressentimento, a culpa, o sofrimento. Igual também é o apego. Apego do viciado à bebida e apego de suas esposas (ou maridos) ao viciado/a. 

Quantas vezes, já li comentários de mulheres desesperadas perguntando o que fazer. Já escrevi com todas as letras o que fazer, mas mesmo assim elas titubeam, a ficha não cai. Sentem-se culpadas em deixar, ir embora, fazer suas vidas. Mas também têm medo de enfrentar suas vidas, de enxergar o tamanho do buraco que têm dentro e que as brigas e o outro lhe cobrem. Ao serem entretidas com os problemas que ele cria, elas deixam de ver o estado dramático no qual se encontram, o vazio interior, a dor. E quando, vocês, mulheres vão se curar?

Quando vão tomar em suas mãos suas vidas e criar um centro de paz e harmonia para vocês e seus filhos? Quando vocês, mães, vão priorizar seus filhos acima do marido viciado, doente, descontrolado, impotente diante do álcool? Quem é mais saudável é quem tem que tomar uma atitude. Como diz a aeromoça na hora da decolagem: se tiver qualquer problema coloque antes a máscara de oxigênio em você e depois em seu filho. Ou seja: se você não se salvar, não se ajudar, como poderá ajudar a ele?

Tem o problema do dinheiro. Em geral, são mulheres sem meios de sustento. Entretanto, algo há de ser feito, família, amigos, qualquer um que possa ajudar. Pedir ajuda é importante. Assumir o controle do dinheiro também: por que manter o timão do navio nas mãos de uma pessoa inconfiável?

E têm as crianças, as quais, obviamente, gostam dos pais, os amam. São crianças pequenas, porque quando adolescentes, estas mesmas crianças em geral detestam os pais viciados. E sabem porque as criancinhas amam os pais alcoólatras? Porque já foi criado lá um vínculo de cumplicidade/pena/omissão. O mesmo que o alcoólatra tem consigo, a esposa dele tem ela mesma e os dois entre si. As crianças criadas nesse ambiente absorveram e assumiram a mesma postura interior e... mantêm a mãe ligada ao pai doente! Mulheres, vamos acordar, o que faz mal, faz mal. Toda criança gosta de pirulito, e daí? Vamos lhe dar pirulito toda vez que ela quer? Seria responsável?

O ambiente que o alcoolico cria é danoso e perigoso para todos, e sobretudo para as crianças. É responsabilidade do mais saudáveld os dois tomar alguma atitude.

Não, o alcoolismo não some sozinho.
Não, o alcoolismo não se cura rapidamente, é um projeto de uma vida inteira.
Sim, o alcoolismo mata, mata nas ruas mas sobretudo mata sonhos, esperanças, amor, alegria, positividade. MATA.
Não, rezar não é suficiente.
Sim, você precisa fazer alguma coisa.
E, sim, deve ser JÁ.
Pare de chorar, venha pra luta.

Se quiser orientação, ajuda, acompanhamento, suporte, dicas: entre em contato. Mas além desses artigos e comentários não posso trabalhar de graça. Eu percorri esse caminho antes de você. Se eu consegui, você também pode. Minha solidariedade se realiza com esses artigos e minhas respostas a seus comentários, depois disso, é trabalho, amoroso e generoso, mas trabalho. Querendo falar comigo: atnhumanize@gmail.com.

Abraço
Adriana Tanese Nogueira

Ver vídeo: O que fazer com um marido alcoólatra.

6 comentários:

  1. Meu marido sempre bebeu mais depois de 1o anos de casada isso começou a me deixar triste não quero q ele beba mais ele tá distante de mim não temos mais diálogos, e por causas disso é muitas outras coisas a mais começei a ter crise de ansiedade e depressão não quero ficar mais com ele. Ele me deixa triste mais ainda amo só queria q ele mudasse 😢

    ResponderExcluir
  2. Tenho duas filhas lindas... amo meu marido. Escolhi ele para sermos felizes.Mas a bebida faz parte da vida dele. Não sei oq fazee. Ele é um ótimo pai e marido quando está sóbrio. Mais a bebida o domina. . Até andou comprando bebida e escondendo de mim... mee ajude por favor.. me aconselhe nao sei oq fazer.. obg.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E muito difícil eu também passo por isso mas eu vou ir embora me separar dele mesmo o amando mais meus filhos já estão cansados de me verem tristes tenho uma filha de 2 anos e ela já sabe dizer meu pai e um bêbado e ele tem só 34 anos e triste sinto muito amiga mas só nos podemos mudar isso .

      Excluir
  3. E tão triste nos mulheres ter w passaar por isso eu também vim de um casamento difícil demorei pra me envolver denovo e agora meu marido nao controla mais seu desejo de beber vira as costas e não se importa se vou ficar mal com isso são 1 e 15 da manhã e ele saiu as 8 e meia e até agora não voltou só volta quando não aguentar mais .VOU EMBORA AMANHÃ TENTAR UMA VIDA DIFERENTE SOZINHA MESMO MAS SEM UM MARIDO E LONGE DO W O ÁLCOOL PODE FAZER

    ResponderExcluir
  4. O meu marido perdeu o limite da bebida, quando começar a beber não quer mais parar, enquanto não fica bastante bêbado, pra cair...E essa situação está me dxando mto triste..Pois ele perdeu o controle!!!
    Tento mto conversar mostrar pra ele q esse caminho não eh bom,está perdendo os amigos bons...pq fica insuportável qdo extrapola na bebida...pesa nas palavras nas atitudes...graças a Deus q não eh agressivo comigo....Ele só faz o mal a si mesmo...E qroo ajudar meu marido...a mudar a sair dessa poço sem fundo...acabar com essa na bebedeira q só trás prejuízo pra ele e pra mim tbem...

    ResponderExcluir
  5. Meu marido é alcoolatra. Desde antes do casamento já bebia, e já faz 17 anos, mas de uns anos pra cá piorou muito a nossa relação. Temos 3 filhos pequeninos, a mais nova tem 6 meses. Ele é um ótimo pai, se preocupa com a educação deles, gosta de brincar, enfim.. mas não tem mais gosto de brincar fora com eles sabe, de sair, só sai obrigado!!
    Não conseguimos sair mais a dois, com um bebê, então ele só escapa sozinho depois do trabalho, duas vezes por semana, é chega tarde demais, bêbado e com mais cervejas, querendo conversar sobre ele, de madrugada!! Meu Deus como não suporto mais isso!! Depois eu vou deitar na marra, ele enfim vem e fala alto, e quer trancar, mas só quer agora se está assim. Ele nunca foi violento comigo, mas eu não tenho paz. Quando não bebe está sempre estressando e irritado com tudo. E eu? Como posso não brigar por conta disso? As vezes não brigo, mas nada muda!!!
    Tento não brigar na frente das crianças. Mas os mais velhos já sabem que se não chegou em casa, está no bar.
    Ele me sustenta e a meus filhos, estamos construindo nossa casa nova, mas sinto que talvez minha vida fique assim pra sempre!!
    Eu estou depressiva e ele também, as vezes chora por estar sobrecarregado de trabalho, não sei como fazer isso dar certo. De convencê-lo a procurar ajuda. Nos amamos muito ainda, mas a bebida está destruindo nossa família.

    ResponderExcluir