Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2016

SABER AGUENTAR O TRANCO

Imagem
Há várias maneiras de ser fortes. Se tivessem que representar a força muitos imaginariam um homem musculoso, alterofilista dedicado. Um cara assim poderia derrubar uma parede, quebrar obstáculos, avançar intrépido... É o que em psicanálise se chama de atitude fálica. Fálico é o sujeito que atua, fala, toma iniciativa, age, intervém. Atitude muitas vezes necessária, mas nem sempre. Quando se ficar só nela a pessa se torna chata, obsessiva, impositiva e dominadora.
Ainda por cima, esta força pode ser inútil em várias situações da vida. para começar, o poder de ação pode não ter nada a ver com a força moral. Ter músculos não quer dizer ser fortes por dentro, e deste tipo de força é o que mais precisamos.
A prova de força é quando é preciso aguentar o tranco. O poder que é exigido nesse momento não vem do físico, mas do poder interior do qual o falo é mero canal. Sacou? Ter verdadeira força é ter bolas. O que se manifesta em conseguir aguentar a tensão. Essa, que vou chamar de força moral, …

EDUCAR NO SEU SENTIDO ORIGINAL E MAIS BONITO

Imagem
O método de ensino Montessori leva a sério o sentido da palavra EDUCAR. Verbo que vem do latim EDUCERE, composto pela partícula “e” significando “da, de, fora” e do verbo “ducare, ducere” para “conduzir, trazer para fora o que está dentro”. Assim, “educar” significa ajudar, com disciplina apropriada a por para atuar e desenvolver as boas inclinações do espírito e as potencialidades da mente. A educação então serve para apreender, expressar e desenvolver qualidades e competências (ainda) não expressas.
Para Maria Montessori (1870-1952) então educar não é um episódio da vida, um momento no espaço e tempo, mas uma forma de se relacionar com a criança para orientá-la na muitas expressões que a vida requer. Nada a ver com mera “transmissão de cultura” (ou de regras!), mas com uma atenção e consideração pelo indivíduo, um olhar sensível e ajuizado sobre o outro no intuito de, levando em consideração sua realidade subjetiva, sua fase de desenvolvimento bio-psico-social e seu contexto, ajudá-l…

CRIANÇAS MIMADAS E PAIS HISTÉRICOS...

Imagem
Esta reflexão está inspirada num trecho do livro “Vamos acabar com isso!” (“Facciamola finita!”, 2011) do pediatra e professor italiano Paolo Sarti, consultor da Região da Toscana para a educação e capacitador das professoras das creches públicas da cidade de Firenze.
Segundo ele, as próprias crianças com sua inquietação, nervosismo incontrolável, sono perturbado, falta de apetite ou gula histérica clamam por uma mudança radical na abordagem de seus pais.
Temos hoje crianças que crescem com uma raiva e arrogância relacional injustificadas e insustentáveis, capazes de desmoronar por causa de um insucesso escolar ou, o oposto, histericamente agressivas, desafiadoras e ameaçadoras, gesticulando exageradamente mesmo quando festejam um sucesso esportivo, geralmente obtido com tenácia obsessiva, muitas vezes sem regras ou respeito.
Tudo sem regras, limites e imposições, conforme uma pedagogia permissiva e liberal: tudo combinado, avaliado e decidido por elas, e a elas subordinado. Tudo define-…

CRIANÇAS MIMADAS E PAIS HISTÉRICOS...

Imagem
Esta reflexão está inspirada num trecho do livro “Vamos acabar com isso!” (“Facciamola finita!”, 2011) do pediatra e professor italiano Paolo Sarti, consultor da Região da Toscana para a educação e capacitador das professoras das creches públicas da cidade de Firenze.
Segundo ele, as próprias crianças com sua inquietação, nervosismo incontrolável, sono perturbado, falta de apetite ou gula histérica clamam por uma mudança radical na abordagem de seus pais.
Temos hoje crianças que crescem com uma raiva e arrogância relacional injustificadas e insustentáveis, capazes de desmoronar por causa de um insucesso escolar ou, o oposto, histericamente agressivas, desafiadoras e ameaçadoras, gesticulando exageradamente mesmo quando festejam um sucesso esportivo, geralmente obtido com tenácia obsessiva, muitas vezes sem regras ou respeito.
Tudo sem regras, limites e imposições, conforme uma pedagogia permissiva e liberal: tudo combinado, avaliado e decidido por elas, e a elas subordinado. Tudo define-…

CRIANÇAS MIMADAS E PAIS HISTÉRICOS...

Imagem
Esta reflexão está inspirada num trecho do livro “Vamos acabar com isso!” (“Facciamola finita!”, 2011) do pediatra e professor italiano Paolo Sarti, consultor da Região da Toscana para a educação e capacitador das professoras das creches públicas da cidade de Firenze.
Segundo ele, as próprias crianças com sua inquietação, nervosismo incontrolável, sono perturbado, falta de apetite ou gula histérica clamam por uma mudança radical na abordagem de seus pais.
Temos hoje crianças que crescem com uma raiva e arrogância relacional injustificadas e insustentáveis, capazes de desmoronar por causa de um insucesso escolar ou, o oposto, histericamente agressivas, desafiadoras e ameaçadoras, gesticulando exageradamente mesmo quando festejam um sucesso esportivo, geralmente obtido com tenácia obsessiva, muitas vezes sem regras ou respeito.
Tudo sem regras, limites e imposições, conforme uma pedagogia permissiva e liberal: tudo combinado, avaliado e decidido por elas, e a elas subordinado. Tudo define-…

PORQUE A ANSIEDADE IMPEDE QUE O QUE VOCÊ QUER ACONTEÇA

Imagem
Há quem acredite que a realidade é a que está fora de nós pode ser tocada, medida e manipulada e existe independentemente da gente que a observamos. Estes são os que enxergam o mundo pelos olhos da física newtoniana. Newton foi um grande fisico, o descobridor da teoria da gravidade, que viveu no século XVIII na Inglaterra. Trezentos anos depois surgiu uma nova física, denominada de Física Quântica, a qual descobriu que a realidade MUDA conforme nossa observação... Pois é... 
Para Newton e seus seguidores o mundo é feito de matéria sólida, estável e separada no tempo e no espaço. A isso se agrega o princípio da objetividade de Aristóteles (IV século a. C.) que preconiza que os objetos existem independentemente de uma mente. O corolário dessa visão é a de uma realidade que, como uma máquina, é regida por leis determinísticas: ou seja, as coisas são como são, nada podemos fazer para mudá-las. 
A Física Quântica vê o mundo como cheio de mistérios e fenômenos que nos colocam numa nova condiç…

Principais diferenças entre Freud e Jung

Imagem
Tem um antigo ditado que aprendi nos meus tempos de estudante de psicanálise, “Um homem caminha por uma estrada e encontra dois outros homens. O primeiro lhe pergunta de onde ele vem, o segundo, para onde ele vai. Esses dois homens são Freud e Jung.” 
Sigmund Freud (6 de Maio de 1856 – 23 de Setembro de 1939) foi o fundador da psicanálise. Ele criou sua teoria após e por causa de seus estudos sobre uma interessante “doença” muito difundida naqueles tempos: a histeria. Carl Gustav Jung (26 de Julho de 1875 - 6 de Junho de 1961), que Freud havia inicialmente proclamado seu “herdeiro”, foi adiante a partir da experiência de outra doença psicológica: a esquizofrenia. Ambos os pioneiros trabalharam essencialmente com mulheres, seu principal objeto de pesquisa. Ele se depararam estupefatos diantes das atividades do inconsciente, que como eles perceberam podia tão profundamente subverter e conturbar a vida de uma pessoa. Entretanto os dois também chegaram a conclusões muito diferentes.

O pano …