Pular para o conteúdo principal

SIMBOLOGIA PSICOLÓGICA DA PÁSCOA

Páscoa é ressurreição. O corpo de Cristo ressurge do mundo dos mortos. Ele é real e palpável mas não é como antes. O que significa do ponto de vista psicológico, nosso, cotidiano, a simbologia da ressurreição de Cristo?

Um sonho ajuda a compreender: 

A sonhadora se vê caminhando junto a outras pessoas no leito seco de um rio. Eles estão subindo o leito, na direção da montanha, origem da nascente. Avançam cabisbaixos, cansados e desgastados. 

O rio simboliza a vida, a vida que corre, que é movimento fluído, que nunca está parada. O rio está seco, só sobrou seu leito. Significa que a vida ficou “seca”, sem água vem a seca, tudo fica estéril, não ha vida. essa metáfora representa aquela condição em que a vida se tornou pesada, é quando nos arrastamos adiante por hábito, por necessidade de sobrevivência, mas sem alegria. Perdemos o sentido da nossa vida, não sabemos mais para onde estamos indo e por quê estavamos fazendo o que fazemos. Uma vida da qual não se entende o sentido vira labuta e sofrimento. 

E quanto isso acontece, quando a realidade vira peso e repetição, tudo o que se almeja é... 

Chegando ao topo da montanha, o povo corre para o guichê com escrito: “Agência de tursmo”. Amontoados, todos querem sair de férias. Mas a moça do guichê diz: “Os bilhetes para as férias estão esgotados. Só temos bilhetes para a Páscoa." 

O inconsciente contém muita sabedoria e mais do que isso orientação, se somente lhe prestarmos atenção e aprendermos a dialogar com ele. Esse é um sonho de início de análise. A sonhadora já fez uma escolha importante: a de se conhecer e se cuidar. Por isso, pôde ter um sonho desses que questiona o comportamento anterior e lhe indica a razão de seu mal-estar.

O sonho fala que é tempo de ressurreição, ou seja de mudar o paradigma. Do ponto de vista psicológico, o corpo espiritual é o corpo que fala e é ouvido, significa darmos valor espiritual aos conteúdos interiores. Sintomas falam, desde a dor de cabeça à dúvida e medo. Lembranças, imagens, fantasias, sensações, pensamentos, sentimentos, intuições: tudo isso tem valor. Simbolicamente, o valor espiritual de uma coisa a torna mais universal do que as outras, ou seja tem um valor maior que transcende a questão individual. A ressurreição do corpo então significa abraçar com carinho todos seus conteúdos interiores (que não se identificam com os órgãos físicos mas com o que sente), mesmo que não estejam alinhados com suas crenças e desejos, sem condená-los e julgá-los mas querendo compreendê-los e estando dispostos a, assim fazendo, sermos transfigurados. 

Mentalidades vão e vem, a história mostra que mudamos. Nenhuma cultura fica a mesma, portanto, o que muda é como pensamos. É nossa cabeça que precisa se abrir para o novo. As ideias novas vêm de dentro da gente, são intuições e percepções que trabalhadas se tornam novos pensamentos e entendimentos da realidade. O mal-estar que sentimos diante de algo é um sintoma importante, uma mensagem a ser ouvida e decifrada. O ser interior clama por evoluição, é o rio que precisa correr, que nunca está parado. Quando paramos, quem para é a nossa cabeça, mas o ser dentro da gente continua querendo correr adiante, se expandir, crescer. 

Nos fecharmos a este processo produz sintomas físicos, emocionais e relacionais. É o leito seco do rio. É o corpo morto. E é o corpo que precisa ressurgir.


Adriana Tanese Nogueira
Terapeuta Transpessoal, Psicanalista, Life Coach, Educadora Perinatal, Orientação Pais, Terapeuta Floral, Consultora, Palestrante e Autora. Atendimento adulto, criança, casal e adolescente. Consultoria em empresas e serviços de saúde. Presencial, Skype, WhatsApp, telefone. Boca Raton, FL +15613055321.  www.adrianatanesenogueira.org.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que fazer com um marido alcóolatra?

NOTA: Pessoal, estou com dificuldade em responder às suas perguntas porque a página está ficando "longa" demais, por isso criei esta outra página (O que fazer com um marido alcoólatra 2) para conversarmos por lá, ok? O Blogger está "em crise": comentários demais! O problema é graaaande, certo? Abraço, A.


"Bom dia Adriana,
Gostaria muito de um conselho, se é que isso é possível.
Em uma das minhas inúmeras buscas na internet por uma luz, um consolo para essa minha vida miserável de esposa de alcoólatra, estava lendo um texto seu "O que fazer com um pai alcoólatra" e resolvi lhe escrever.
Acho que eu e meus filhos é que estamos no fundo do poço. Meu casamento de 19 anos, um casal de filhos e a cada dia que passa fico mais perdida e desiludida. Já perdi a esperança de um dia viver em paz com meus filhos. Tenho aguentado tudo isso por eles. Meu filho mais novo (12 anos) gosta muito do pai e acho que não suportaria se eu o abandonasse. Fico nesse dilema: será q…

O que fazer com um pai alcóolatra

Adriana Tanese Nogueira 
Um leitor, após ler meu texto "Obsessores: quem como e por quê" me escreveu pedindo aconselhamento a respeito de seu pai. Infelizmente, o email acabou sendo deletado pelo sistema e respondarei a S.L. por aqui.
Em primeiro lugar, alcoolismo é alcoolismo mesmo quando a crise, resultado da bebida, acontece uma vez por ano. Que a pessoa beba todos os dias ou de vez em quando (como muitos gostam de chamar com um eufemismo, "socialmente") não importa. Deve-se atentar para o desfecho. O não-alcoólatra quando bebe muito passa mal, o alcoólatra tem uma crise violenta, exagerada, "possessa".

Alcoólatras agridem verbalmente as pessoas que mais amam, quanto mais próxima for a pessoa mais esta sofrerá. A agressão pode ser física ou verbal, mas é sempre de nível extremamente baixo. Parece que o objetivo do alcoólatra é acabar com o outro, frantumar sua auto-estima, afogá-lo na culpa, rasgar-lhe qualquer dignidade. Após ter vomitado violentemente t…

Manipuladores

Adriana Tanese Nogueira
Há dois tipos de manipuladores: os maquiavélicos e os “bonzinhos”. Os primeiros sabem o que estão fazendo, os segundos “não sabem que sabem”. em ambas as categorias há uma gradação de consciência que vai da nível mais consciente (a pessoa está perfeitamente desperta) para aquele parcialmente ou totalmente “distraído”, que é de quem faz “sem perceber”.
O maquiavélico em sentido estreito é aquele indivíduo que, determinado em alcançar sua meta, toma as medidas necessárias mesmo que tenha que enganar o outro, porque, como ensinou Machiavel, “o fim justifica os meios”. O manipulador maquiavélico é esperto,  oportunista, calculador e rápido no agir. Como, porém, nem todo mundo é dotado da inteligência afiada de um Maquiavel, mas não deixa de ser oportunista, há muitas pessoas que manipulam os outros e as situações tentando, ao mesmo tempo, se escondendo de si mesmos. Se trata de uma complicada acrobacia mental que leva à neurose. É como se uma mão “não soubesse” o que …