Pular para o conteúdo principal

Quem sou

Meu nome é Adriana Tanese Nogueira, sou italo-brasileira no sentido literal de ter metade da minha família nascida e crescida na Itália e a outra metade nascida e crescida no Brasil. Eu nasci no Brasil mas fui para a Itália muito nova, com 5 anos. Posso dizer que o italiano se tornou minha língua materna. 

Cresci em Milão onde frequentei um ensino médio experimental na área de Culturas Comparadas, que foi sensacional. De lá parti para o que me interessava na vida que era "conhecer o ser humano", e estudei filosofia na Università degli Studi di Milano. Foi um longo treino, treino ao estudo, ao pensamento lógico, e muito muito aprendizado. Enquanto isso, entrava para uma análise pessoal (terapia psicanalítica) com uma psicóloga brasileira de família italiana que estava se especializando em psicologia junguiana. Com ela caminhei por 8 anos. Me distanciei após ter me tornado psicanalista e me aproximei de uma de suas principais mestras, Silvia Montefoschi. Fazer análise significa estudo, leituras de vário tipo, desde literatura a física, correntes de psicologia, psicologia social, mitologia, poesia, teologia... 

Após 12 anos dessa trajetória, senti a necessidade de me mudar para o Brasil e lá me fui, de mala e cuia como se diz. Me paraquedei no Rio de Janeiro, fui ser professora na PUC, tive que sair de lá por "não estar casada na igreja" com o pai de minha filha, o que rendeu uma boa novela. Dei à luz minha filha Beatriz de parto domiciliar, acabei sendo recrutada para falar sobre o assunto e, estando em seguida em casa cuidando de uma bebê, naquela solidão que toda mãe conhece aumentada pelo fato de eu estar num país praticamente novo para mim, acabei indo para o computador e lá encontrei uma lista de discussão do yahoo e nela as pessoas que havia conhecido no meu parto... E começou uma nova história.

Envolvi-me na incipiente humanização do parto. Só existiam um punhado de médicos e profissionais na época. Ansiosa por ter conversas inteligentes e por me engajar socialmente (filha do meu pai!), eu dei a ideia de criar um site sobre o assunto e convida fulana, convida sicrana, nasceu o amigasdoparto.com.br. Dois anos depois o grupo se dissolveu por divergências ideológicas sérias. Meu hábito filosófico do questionamento crítico somada à atitude psicanalítica do olhar profundo se chocaram de frente com uma outra mentalidade na qual não cresci e que hoje muitos já sentiram dolorosamente na pele.

E começou mais uma jornada. Uma caminhar solo encontrando ecos aqui e acolá na lenta construção e articulação de novas parcerias, de novos protagonistas, deixando que viessem os que ressoam na mesma vibração.

Acredito, vivo, pratico, fomento, protejo e suporto a evolução da consciência individual e coletiva. Acredito que seja a arma mais poderosa que tem, por isso é tão temida, por isso se foge tanto dela. Pensem bem: uma vez que se toma consciência de algo não tem volta. Uma vez que se enxerga algo não tem como negar, fugir, fingir, camuflar.

Desde então me aprofundei na humanização do parto e nascimento, levando adiante o nome que surgiu graças à minha tomada de atitude e que continua sendo um portal para informações ao público, informações críticas e realistas. sem demagogia - assim espero!

Em 2006, mudei para os Estados Unidos onde vivo até hoje, na Flórida. Estou bem aqui, continuo trabalhando com o Brasil, abri um consultório de terapia transpessoal e life coaching. Atendo, no consultório e online ou por escrito, indivíduos mas também casais e pais, além das gestantes, puérperas, mães. Se buscam alguém que saiba ouvir para além do paradigma atual, que enxergue a alma para além das aparências, alguém que ajude a criar um caminho em meio à mesmice, ou aos condicionamentos que inibem a evolução pessoal: essa sou eu. E muito feliz com o que faço.

Acredito totalmente que, apesar de não podermos evitar dor e sofrimento nessa vida, certamente uma vida realizada como expressão do que somos vale a pena ser vivida. Não prometo ausência de dor e de conflito. Prometo poder, poder pessoal para lidar com dor e conflito e criar união, paz e satisfação sob a luz do amor. Desde que seja verdadeiro, transparente, real. 


"Quem olha para fora, sonha;
quem olha para dentro, desperta."
 C.G. Jung


Promovo e apoio o Desenvolvimento Humano, ensinando formas de compreender melhor a própria situação e como crescer além dela. Também ajudo na interpretação de sonhos e na formulação de estratégias para melhorar a qualidade de vida.


Minha formação acadêmica e prática inclui:
- Bacharel em Filosofia pela Università degli Studi di Milano (Italia);
- Mestre em Ciências da Religião pela PUC/SP (Brasil);
- Doutora em Psicologia pela Bircham International University (Madrid, Espanha);
- Terapeuta transpessoal em Deep Memory Process (DMP - regresão) pela Woolger International;
- Certificada como Comunicadora com os Anjos (Angel Reading) por Carey and Elsa Strokes, AngelShamanic Reading; para consultas ver meu blog: AngelsReading.blogspot.com
- Facilitadora Eco-Psychology, Project NatureConnect de J.M. Cohen, com o apoio do Conselho Econômico e Social das Nações Unidas;

- Hipnotista certificada, por Richard Nogard;
- 8 anos de análise pessoal (Jung and Silvia Montefoschi, nome conhecido na cultura psicoanalítica italiana);
- 6 anos de análise didática (Jung and Silvia Montefoschi, nome conhecido na cultura psicoanalítica italiana);
- 3 anos de Grupos de Estudos Psicanalíticos no Laboratorio di Ricerche Evolutive (Sarzana, SP, Italy, que era a "escola" de Montefoschi, entre aspas porque ela era contra "escolas");
- 2 anos de Curso sobre a História da Psicanálise no Laboratorio di Ricerche Evolutive (Sarzana, SP, Italy, que era a "escola" de Montefoschi, entre aspas porque ela era contra "escolas");
- Sou a fundadora e coordenadora da ONG Amigas do Parto (www.ongamigasdoparto.com); administradora de seus cursos online direcionados a quem fala português e espanhol, promotora de formas naturais e respeitosas de dar à luz e do empoderamento feminino; também publiquei vários livros a respeito, incluindo um para crianças; 
- Fundadora e diretora do Instituto Internacional Aella - Ser&Saber Consciente: www.institutossc.com. Cursos para o crescimento e desenvolvimento pessoal e profissional.
- Finalmente, a maternidade tem sido aproveitada como um lugar de aprendizado e desenvolvimento, cidadania e responsabilidade.



+1-561-305-5321
AdrianaTaneseNogueira.org

Para quem quer superar: depressão, ansiedade, medos, inseguranças.
Para quem quer encontrar: quem é, seus valores, seu modo de pensar e sentir verdadeiros, sua vocação, seu caminho.
Para quem quer desenvolver: independência, foco, determinação, coragem.
Para quem quer resolver: problemas de relação com marido, mulher, filhos, no social e no ambiente de trabalho.  

Sessões presenciais aqui:
3200 North Federal Highway 206-19
Boca Raton, FL, 33431 - USA

Sessões online via: 
- WhatsApp (+15613055321)
- Facebook (Adriana Tanese Nogueira)
- Skype (psicologiadialetica)
- Hangout


Nota: sempre que possível respondo a todos os comentários em meus posts. Quem deseja uma troca mais individualizada e profunda, precisa marcar uma consulta comigo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que fazer com um marido alcóolatra?

NOTA: Pessoal, estou com dificuldade em responder às suas perguntas porque a página está ficando "longa" demais, por isso criei esta outra página (O que fazer com um marido alcoólatra 2) para conversarmos por lá, ok? O Blogger está "em crise": comentários demais! O problema é graaaande, certo? Abraço, A.


"Bom dia Adriana,
Gostaria muito de um conselho, se é que isso é possível.
Em uma das minhas inúmeras buscas na internet por uma luz, um consolo para essa minha vida miserável de esposa de alcoólatra, estava lendo um texto seu "O que fazer com um pai alcoólatra" e resolvi lhe escrever.
Acho que eu e meus filhos é que estamos no fundo do poço. Meu casamento de 19 anos, um casal de filhos e a cada dia que passa fico mais perdida e desiludida. Já perdi a esperança de um dia viver em paz com meus filhos. Tenho aguentado tudo isso por eles. Meu filho mais novo (12 anos) gosta muito do pai e acho que não suportaria se eu o abandonasse. Fico nesse dilema: será q…

O que fazer com um pai alcóolatra

Adriana Tanese Nogueira 
Um leitor, após ler meu texto "Obsessores: quem como e por quê" me escreveu pedindo aconselhamento a respeito de seu pai. Infelizmente, o email acabou sendo deletado pelo sistema e respondarei a S.L. por aqui.
Em primeiro lugar, alcoolismo é alcoolismo mesmo quando a crise, resultado da bebida, acontece uma vez por ano. Que a pessoa beba todos os dias ou de vez em quando (como muitos gostam de chamar com um eufemismo, "socialmente") não importa. Deve-se atentar para o desfecho. O não-alcoólatra quando bebe muito passa mal, o alcoólatra tem uma crise violenta, exagerada, "possessa".

Alcoólatras agridem verbalmente as pessoas que mais amam, quanto mais próxima for a pessoa mais esta sofrerá. A agressão pode ser física ou verbal, mas é sempre de nível extremamente baixo. Parece que o objetivo do alcoólatra é acabar com o outro, frantumar sua auto-estima, afogá-lo na culpa, rasgar-lhe qualquer dignidade. Após ter vomitado violentemente t…

Manipuladores

Adriana Tanese Nogueira
Há dois tipos de manipuladores: os maquiavélicos e os “bonzinhos”. Os primeiros sabem o que estão fazendo, os segundos “não sabem que sabem”. em ambas as categorias há uma gradação de consciência que vai da nível mais consciente (a pessoa está perfeitamente desperta) para aquele parcialmente ou totalmente “distraído”, que é de quem faz “sem perceber”.
O maquiavélico em sentido estreito é aquele indivíduo que, determinado em alcançar sua meta, toma as medidas necessárias mesmo que tenha que enganar o outro, porque, como ensinou Machiavel, “o fim justifica os meios”. O manipulador maquiavélico é esperto,  oportunista, calculador e rápido no agir. Como, porém, nem todo mundo é dotado da inteligência afiada de um Maquiavel, mas não deixa de ser oportunista, há muitas pessoas que manipulam os outros e as situações tentando, ao mesmo tempo, se escondendo de si mesmos. Se trata de uma complicada acrobacia mental que leva à neurose. É como se uma mão “não soubesse” o que …